CONHEÇA NOSSAS CERVEJAS

Conheça nossas cervejas ............................ Tira dúvidas .. 1 .. 2 .. 3 .................... Adquira seu Equipamento ............................ Fórum

Como usar seu KEG .. 1 .. 2 .. 3 .. 4 .. 5 .. 6 .. 7 ............ Calcule seu Priming ................ Processo Cervejeiro .. 0 .. 1 .. 2 .. 3 .. 4 .. 5 .. 6 .. 7 .. 8

............................ Encomende seus Kits e Copos ............................

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Equipamentos – Nível intermediário

OK, todo mundo já constatou que dá pra fazer cerveja em casa com coisas bem simples e um pouco de conhecimento. Mostramos aqui a lista de material, a receita e o processo passo-a-passo para o básico 1, 2 e 3, agora inicio o que considero nível intermediário. Começaremos da mesma maneira, alterando a lista do que já possuímos e adaptando tudo o que for possível de forma a proteger o investimento já feito e adquirir o mínimo de coisas novas.

Você agora utilizará:

1. Caldeirões
Continuaremos com os mesmos três caldeirões, porém, faremos uma adaptação no de brassagem, de maneira a utilizarmos a bomba (de máquina de lavar), de uma forma mais segura. Simplesmente adicionaremos a ele um outro registro na parte superior, em linha com o de baixo, para que possamos prender a bomba e controlar a vazão de saída de modo a evitar revoluções no colchão de malte durante a clarificação. No nível avançado adaptaremos uma peça a ela para “Sparge”, visando aumentar a eficiência.

2. Fogareiros
Para evitar movimentações desnecessárias dos caldeirões quentes e cheios, o mais adequado será possuir três fogareiros, um para cada caldeirão e, se possível, uma estrutura metálica para mantê-los fixos, desta forma utilizaremos mangueiras para ligá-los a uma única fonte de gás. A figura ilustrativa do fogareiro você pode encontrar no post "Equipamentos - Parte 3".

3. Fermentadores
Lembram dos galões de água azul? Pois é, tem muitas vantagens, são fáceis de encontrar, baratos, podem ser substituídos facilmente por outros mais limpos, mas se já utilizaram sabem o quanto é difícil limpá-los depois da fermentação, embora não seja impossível, mas utilizar baldes de plástico atóxico alimentício é muito mais prático para quem deseja fazer cerveja com mais frequência, além de possuírem uma vida útil bem maior que os galões. Minha orientação é adquirir um balde de 20 litros para cada 15 litros de cerveja que você pretenderá fazer, pois não se deve encher o fermentador, o ideal é deixar esse espaço de 20-25% do volume para evitar vazamentos ou entupimentos do airlock durante a fermentação.
Balde fermentdor com airlock e torneira

4. Airlock
Poderemos utilizar os mesmos airlocks dos galões (em oito ou de três peças), lembrando somente que precisaremos de um para cada balde. Caso você ainda utilize o sistema caseiro com mangueira e garrafa, poderá também conectar as saídas dos baldes a um conector em “T” e direcioná-las para uma única garrafa de água. Essa solução somente será viável se você puder manter os baldes todos juntos e a uma mesma temperatura de fermentação.


Airlock caseiro com conector "T"

5. Estrutura metálica para cozinha
Agora que você já está mais familiarizado com o processo e já decidiu que realmente é isso o que você quer fazer, ou seja, sua própria cerveja, uma estrutura para auxiliá-lo na utilização dessa “beerparafernália” será muito interessante e facilitará a montagem e desmontagem da área de produção. Você poderá escolher entre alguns tipos de estrutura ou até inventar uma que se adapte às suas necessidades. Abaixo coloco quatro tipos diferentes para auxiliá-los na escolha:

5.1. Estrutura em linha


Forma mais simples de construir e perfeitamente funcional no caso de utilização de bomba para trasfega, trata-se de uma forma de “mesa” sem tampo, feita de perfis metálicos. Você pode utilizar o modelo que anexei na postagem “Estrutura Metálica”, porém, as medidas naquele desenho suportam caldeirões de 125 litros, assim, minha sugestão é que a largura da estrutura seja igual a do seu caldeirão mais 10 cm de folga para o caso de um upgrade. Por exemplo, se você tem um caldeirão de 15 litros (n°28) construa sua estrutura com 38 ou 40 cm de largura, assim, você poderá utilizá-la com um caldeirão maior, até n°40, sem ultrapassar as laterais. A desvantagem nessa estrutura é a necessidade de se bombear a água de lavagem.

DICA: se você pretende ampliar sua capacidade em um curto espaço de tempo, já construa sua estrutura com 46 cm de largura, assim poderá usar caldeirões de 60 litros (n°46).

5.2. Estrutura em patamar


Essa é a estrutura que utilizamos atualmente, tem como vantagem a utilização da gravidade para a água de lavagem, porém, tem a desvantagem de localizar a fervura em um ponto muito baixo o que dificulta o processo de resfriamento, exigindo uma trasfega no final da fervura antes do whirpool.

5.3. Estrutura em dois níveis


Existem várias formas de se montar uma estrutura em dois níveis. A mais simples é ter a água de lavagem em uma altura superior, de forma a utilizar a gravidade para a aspersão (ver acima) e manter a brassagem e a fervura na mesma altura de forma a manter ergonomicamente confortável a posição de trabalho do cervejeiro. Se já não possuíssemos uma estrutura em patamar hoje eu optaria por uma em linha, ou no máximo faria uma em dois níveis como essa.

5.4. Estrutura em três níveis
Essa é uma estrutura onde se realiza a brassagem no topo. A figura a seguir ilustra uma estrutura onde a brassagem fica acima das demais tinas e a fervura e a água de lavagem em níveis inferiores. Na minha opinião, exceto pela economia de espaço, essa disposição não apresenta mais vantagens sobre a estrutura em linha, pois a água de lavagem deverá ser bombeada, ao contrário daquela que a utiliza por gravidade.


Recentemente participei do encontro da ACervA Paulista em Campinas, onde a cervejaria Colorado presenteou a associação com uma cozinha em inox construída em uma estrutura de três níveis bastante funcional, que possui um design bem bacana e controles eletrônicos para facilitar a vida do cervejeiro. Mas, como nada é perfeito, para termos uma dessas em casa precisaremos de muita poupança forçada, por isso, ficam aqui as dicas para construir um equipamento mais barato e com todas as funções necessárias, mas com adaptações que evitam qualquer comparação com este “sonho” de cozinha cervejeira, embora não fique a desejar, pois só não teremos ainda o controle eletrônico, mas falaremos disso no avançado.

Foto do Beer Sculpture doado à ACervA Paulista pela Colorado
Fonte: Blog ACervA Paulista
 
Como disse anteriormente, cada um pode montar sua estrutura da forma mais adequada às suas necessidades e se precisarem de mais detalhes sobre medidas, materiais e onde encontrá-las ou encomendá-las, podem deixar um comentário aqui ou enviar um e-mail para mhbreda@hotmail.com que terei o maior prazer em respondê-los e auxiliá-los.

O orçamento médio para essa adaptação será:


Os demais equipamentos que vocês possuem devem ser mantidos e somente descartaremos aqui os galões de água e as rolhas dos mesmos, isso caso vocês optem por utilizar os baldes, caso contrário, não haverá nenhum descarte, somente deixaremos de utilizar o fogão de casa.

Seria interessante também começar a pensar em um freezer (vertical ou horizontal) para evitar problemas com a maturação e brigas com a concorrência que quer a geladeira da cozinha de volta.

Prosit!!!

2 comentários:

  1. Bom dia, pretendo montar uma estrutura em patamar, qual material uso nela? Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai?
      O ideal seria em ferro para suportar bem o peso e não ficar caro demais.
      Mas vc pode fazer em inox ou em alumínio, desde que dimensione o material corretamente e saiba que os custos serão maiores.
      Para usar cantoneiras de ferro, use no mínimo as de uma polegada, as demais medidas estão nos drafts da postagem.
      Boa sorte.
      Abs.,
      Breda

      Excluir

Muito obrigado por seu comentário! O Blog "Breja do Breda" é feito pensando em você!