CONHEÇA NOSSAS CERVEJAS

Conheça nossas cervejas ............................ Tira dúvidas .. 1 .. 2 .. 3 .................... Adquira seu Equipamento ............................ Fórum

Como usar seu KEG .. 1 .. 2 .. 3 .. 4 .. 5 .. 6 .. 7 ............ Calcule seu Priming ................ Processo Cervejeiro .. 0 .. 1 .. 2 .. 3 .. 4 .. 5 .. 6 .. 7 .. 8

............................ Encomende seus Kits e Copos ............................

Tira Dúvidas 2 - FAQs 2

Olá pessoal, esta segunda página de FAQs foi criada porque o limite de espaço do Blogger para comentários em uma única postagem estourou na primeira página de "Tira dúvidas" do Blog BREJA do BREDA, bom sinal, mas um problema, contudo fácil de solucionar, assim, libero a partir de hoje essa nova página de FAQs "Tira Dúvidas 2" para que não tenhamos mais esse problema de espaço, pelo menos até o limite desta nova página estourar.

Forte abraço a todos.

Continuem comentando.

Saúde!!!

Breda

164 comentários:

  1. Opa! Bom dia!!! Mais perguntas. E vem ainda outras! Se tiver demais, me avisa... Seguinte. To na mira de uma lager. Mas to meio limitado por causa da temperatura. Freezer.... To fermentando a ALE controlando temperatura (19-22graus) dentro de um armário, isolado com isopor e garrafa pet com gelo dentro. O freezer, mantenho a 2 graus pra maturação. Baixar pra 15 graus (pra lager) dentro do armário, com gelo, num dá não.... To pensando na seguinte estratégia: Fermento a Ale no armário. Uma semana. Dai, mudo o balde, coloco o freezer a 10-12 graus e faço de uma vez a maturação da ALE (acima um cadim da temperatura ideal) e de quebra, fermento a Lager. Depois que ela fermentar (uma semana) jogo o freezer pra 2 graus e maturo as duas. Funciona? A Ale vai maturar na temperatura de fermentação da lager. Lagering? O que é? É feito depois da maturação, para clarear ainda mais? Só depois faz o priming e engarrafa? Cervejas escuras ou naturalmente turvas (trigo) permitem uma maturação em temperaturas mais altas,ficando ainda "sujas" mas sem perder no sabor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Guimma, co o vai?
      A resposta é Sim.
      Vou tentar sumarizar em um passo a passo com o que você deve fazer:
      1. Fermentar a Ale - 18-22 graus - ok
      2. Maturar a Ale e Fermentar a Lager juntas - 10-12 graus - ok
      3. Continuar a maturação da Ale e fazer a maturação da Lager - pelo menos a 4 graus podendo chegar a até a 6, o que seria melhor - ok
      4. Baixar a temperatura para 0 grau e fazer lagering das duas.

      Você pode tirar a Ale antes? Sim, pode, porém, como não baixou a temperatura para zero grau depois da maturação ela ainda não estará límpida, portanto eu sugiro que você faça uma maturação mais longa e tenha uma cerveja melhor e mais límpida fazendo a decantação das dus a zero grau alguns dias depois.

      Correto, lagering é um processo feito depois da maturação, pode ser feito em qualquer cerveja, tem como principal objetivo no nosso caso que não filtramos a cerveja, colaborar com a limpidez da bebida. Não precisa nem dizer que as grandiosas não fazem isso.

      Oriming será feito depois, mesmo se alguém lhe pergunte ou lhe diga que sua cerveja turvará novamente porque fará priming, o que é verdade, não querdizer que não adianta fazer o lagering, ele é sempre bem vindo.

      Cervejas de trigo devemossuir uma turbidez permanente e, memsmo que fiquem meses maturando a zero grau não devem ficar límpidas, se ficarem sua receita precisa de "reparos". As escuras também podem passar pelo lagering, pois em algumas vocêercebe uma translucidez, apesar da coloração.

      O sabor somente será afetado beneficamente, fique tranquilo.

      Forte abraço.

      Saúde!!!

      Breda

      Excluir
  2. Bom dia Breda!
    E o Natal foi blz?

    Seguinte. Acordei inspirado no dia 24.
    Ganhei de um amigo aqui 4,3 quilos de um malte que ele achava que era trigo. Mas era cevada (tinha casca, formato igual ao pilsen que eu tenho). Acho que veio de uma microcervejaria de uma cidade aqui perto. Na saca tava escrito Malte Vienna, da Weyermann. Dei uma fuçada no google, comparei cor e formato e "acreditei" que Vienna.
    O que que eu fiz? Peguei esses 4,3 Kg, misturei com 5,7Kg de Pilsen e mais 0,8Kg de Carablond que eu tinha. Joguei no Beersmith (apanhei feito doido daquilo). Fui chutando a lupulagem no software até chegar em algo parecido com Blond Ale. 70g de SPALTER SELECT 05.40% AR T-90 (inicio da fervura), 20g de HALLERTAU HERSBRUCKER 04.40% AR T-90 (30 min do fim) e 15g de LUPULO SAAZ 03.40% AR T-90 (10 min do fim). A mão coçou e coloquei mais 5 g de Saaz enguanto filtrava (acho que o FWH). Fui lavando até perto de encher a panela de fervura (+- 56 litros. cabia mais mas fiquei com medo de vazar na fervura). A densidade ficou em 1,049 (beersmith falava em 1,048). Fervi 70 minutos. Acabou com 51 litros fervidos e densidade de 1,058 (beersmith falava em 1,054). Tava um calor horroroso aqui e so consegui resfriar ate 30º. OS fermentos, eu tinha um sache de WB-06 e um sache de S-04. Dividi a leva em dois fermentadores, um fermento em cada (fiquei com vontade de misturar os dois fermentos). Perdi muito no Trub quente(ainda apanho disso). Foi pro fermentador uns 45 litros (metade em cada). Ofermentador com o S-04 tava parecendo metralhadora. o WB-06 mais tranquilim....Depois de tudo, dei mais uma sangrada na panela de lavagem, tirei mais uns 2 litros de liquido sem ferver, mas filtrados. o trub cheio de mosto da panela de fervura, coloquei num pet, resfriei e descansou. o lupulo sedimentou. separei o liquido, misturei com os 2 litros filtrados, fervi e congelei. To com 3 litros guardados assim. Limpinho, com a cor meio ambar, mais clara um pouco do que a cor da garrafa. Esqueci de medir a densidade.
    Nao quero arriscar fazer priming com isso. Acha que devo? mais 3 litros (5 garrafas)......
    Outra opção seria usar o fermento que sera purgado (s-04) e fermentar esses 3 litros separado....
    Jogar na pia vai doer o coração.......A meta é perda ZERO!
    Grande Abraço e Excellente Ano novo!!!!

    ResponderExcluir
  3. Ola breda.
    Estou querendo fazer uma lager com malte pilsen e carapils. pouco amargor tipo um chopp B. Tenho um refrigerador controlado com tic 17 mas não sei se ela alcança a temperatura de maturação e lagering. Tem problema se maturar a temperatura superior a 4 graus?.

    Abraço.

    Adriano- SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Adriano, co o vai?
      Sem problemas, pode maturar a 6 graus por 10 a 15 dias, mas depois desseperíodo tente fazer o lagering na temperatura maisbaixa quesua geladeira xonseguir próximo dezero ou até -1 celsius.
      Boa cerveja e feliz 2013.
      Saúde!!!
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  4. ola breda.
    Que tipo de lupulo recomenda para uma pilsen

    Adriano sp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Adriano?
      Cara, eu sugiro o Saaz que é o lúpulo das Pilseners Tchecas, mas você pode utilizar as variedades alemãs que também trarão ótimos resultados.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  5. E aí Breda, beleza?

    Cara, no projeto do enchedor de garrafas, não consegui entender o que é o adaptador de pressão, que segura o tubo à válvula. Como ele é? Tem algum outro nome? Ele faz pressão sendo rosqueado?
    Valeu!
    Abraços
    Gustavo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Gustavo, como vai?
      O nome dele é esse mesmo, mas em alguns locais eles podem conhecer como prensa tubo. É um conjunto rosqueável com vedaçao, queprensa o tubo a medida em que você rosqueia as duas peças, assim evita vazamentos.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
    2. ola breda

      Qual a quantidade de fermento necessario para 20 litros de lager, uns dizem um saquinho de 11,5 outros dizem que tem que ser 2 saquinhos. Qual voce indica S 23 ou W34.

      Abraços

      Ricardo- sp

      Excluir
    3. Como vai Ricardo?
      Negativo, não precisa de dois sachets, um sachet de 11,5 g de fermento liofilizado é suficiente para 20 litros de mosto. Aere bem seu mosto e faça uma ativação prévia do fermento, pelo menos 20 min antes de inocular e no mesmo mosto que irá fermentar.
      Mais do que isso é desperdício.
      Os dois são bacanas, depende do resultado que você quer pra sua cerveja. Pode usar qualquer um que sua cerveja ficará boa. Uso ambos.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  6. Amigo gostaria de saber sobre as paradas proteicas para a Witbier, eu li em algum canto que tem algumas paradas que melhora o processo de filtragem porem não lembro a fonte nem qual essa parada você poderia me ajudar com isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem anônimo?
      Seguinte, para trigo em geral você pode fazer uma parada a 42-45 graus por 15-20 minutos que já resolve seu problema. No mais, filtração de trigo é sempre mais complexa pelo fato de ter mais pó, seja wit seja weiss. O que vc pode fazer pra auxiliar nisso é uma boa moagem dos maltes que tem casca usando um moinho de rolos eficiente como o Malte JOE e caprichar no seu sistema com um fundo falso adequado.
      Boas cervejas.
      Forte abraço.
      Breda

      Excluir
  7. Olá Breda, gostaria de sua ajuda para minha 1a cerveja. Estou usando a receita do site Gräbenwasser que fica facil de acompanhar. É uma cerveja Blond Ale, malte tipo Pilsen e fermento S-04 de alta fermentação. Minha dúvida é:
    1 - ativo o fermento e misturo bem ao mosto para fermentar ou jogo dentro do fermentador sem misturar?;
    2 - Lá pede 36 Litros de água, para fazer 20 litros de cerveja, uso tudo isso?
    Muito obrigado e parabéns pelo Blog.
    Marcelo - RJ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Marcelo? Obrigado pelo contato.
      Vamos lá, não posso garantir a receita do Grab, mas seguem as respostas às suas dúvidas:
      1. ative o fermento 20 minutos antes de inocular. Utilize pelo menos 300ml de mosto para cada sachet de 11,5g de levedura liofilizada. Quando a ativação estiver completa vocêobservará um espumamento nessa amlstra de mlsto omde ativou as leveduras. Basta verter essa solução no fermentador onde o seu mosto resfriado e aerado está aguardando. Não precisa agitar não;
      2. Olha só, uma medida base é utilizar de 2,5 a 3,0 litros de água por Kg de malte na mosturação, depende do tamanho da sua panela. Com 3,0 litros/Kgfica mais fácil de brassar, mas veja se não encherá demais seu caldeirão. Menos de 2,5 litros/Kg pode complicar sua conversão. Supondo que você usará 5,0 Kg de malte, pois não conheço a receita, você deve utilizar de 13 a 15 litros de água para a mostura. Para a lavagem o cálculo considera a eficiência do seu sistema, porém, como é sua primeira brassagem você ainda não tem essa informação, mas geralmente esse número flutua entre 10 e 20% devido a variação do tamanho das panelas, da potência do fogão, da perda etc., logo mais 3 litros de água para evaporação é um bom número, mas vá ajustando conforme suas repetiçōes de brassagem, além disso não vamos complicar, utilize pelo menos mais 15 litros de água que é a mesma quantidade da mostura, portanto somando 15+15+3=33, pode usar pelo menos 33 litros.
      Forte abraço.
      Boa cerveja.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  8. ola Breda , mandei um e-mail para vc com uma duvida , na verdade um pedindo de ajuda com relação ao barril que adquiri , vc recebeu esse e mail ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então rapaz, não sei, recebi muitos e.mails sobre barris, respondi todos, mas preciso saber que é você para poder te ajudar.
      Algumas vezes há problemas nos envios/recebimentos de e.mails.
      Forte abraço.
      Breda

      Excluir
  9. Olá Breda, primeiramente queria elogiar seu blog, que me tem me ajudado muito. Sou iniciante e fiz minha primeira brassagem, vi depois que fiz várias coisas erradas que preciso aperfeiçoar, tanto que não estava otimista e achei que essa primeira leva fosse ficar muito ruim. Após 7 dias de primimg abri uma garrafa pra experimentar e me surpreendi, esta com gosto de cerveja, boa carbonatação, mas achei que a cerveja está bem adocicada ainda. Se eu prolongar o tempo de primimg há chance desse adocicado melhor?
    brigadão.

    ResponderExcluir
  10. Há alguma alternativa viável caso o teste de iodo da cerveja não dê certo? mesmo após os 90 min de brassagem a 65º? a ceveja está completamente perdida?
    e ainda:

    Surgiu uma nova questão: podemos fazer a brassagem diretamente na panela com fundo falso? Fiz um curso na Sinnatrah, e lá foi utlizado esse processo. Porém, alguns colegas me questionaram sobre se isso é mesmo correto, pois poderiam passar alguns grãos pelo fundo falso e se caramelizar, prejudicando o resultado da cerveja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Giovanni, como vai?
      Obrigado pelo contato.
      Olha só, em tese, se a brassagem foi de 90 minutos a 65 graus seu teste de iodo deveria ser negativo.
      Logicamente uma pequena variação da conversão com ligeira tonalidade de azul no teste seria admissível, mas um teste positivo, ou seja, iodo ficando preto, é sinal de problemas no seu processo, muito provavelmente temperatura acima de 72-74 graus antes da conversão ou até pH inadequado, embora com menor probabilidade, não pode ser descartado.
      Outro fator que pode gerar um teste positivo é faze-lo com a amostra de mosto muito quente, neste caso o positivo é falso e você verificará isso resfriando a amostra e repetindo o teste, mas não sei se é o seu caso.
      No mais, respondendo realmente sua pergunta, não está tudo perdido se você passou da temperatura, há uma forma de corrigir. Você deve certificar-se de que a mostura voltou a uma temperatura segura (toda a mostura, principalmente o fundo, pois medir somente a superfície é que causa esses problemas) ou seja, retorne aos 65 graus, moa mais 30% do volume inicial de malte que você está brassando (por ex se sua brassagem inicial era de 5kg moa 1,5kg) e adicione esse novo malte moído a sua mostura, zere o cronômetro e faça a mostura novamente cuidando para não passar mais da temperatura limite.
      Isso pode levar mais 30 ou 40 minutos além do que você imaginava (lembre-se, sua previsão era 90+40 = 130), irá alterar sua receita podendo mudar até o estilo de cerveja que vc estava fazendo, mas pelo menos você não perde sua brassagem.
      Sobre usar o fundo fa
      So na tina de brassagem, sim é plenamente possível e não causa nenhum problema, aliás, sempre fiz as minhas cervejas assim, faço assim até hoje.
      Olho na temperatura sempre.
      Boas cervejas.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  11. Caro Breda , em primeiro parabens pelo blog muito bom! Minha duvida é : Como posso filtrar minha breja com eficiencia mas gastando pouco ? Que tipo de fitro e de quantas micras ? Pois estou colocando em barril e carbonatando com cilindro como vc esplicou ja algum tempo, a breja esta até legal mas gostaria de dixa-la limpida e cristalina . Grande abraço , saude e obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fred, tudo bem?
      Obrigado por seu comentário.
      Essa é uma ótima questão, você pode utilizar produtos para melhorar a decantação da cerveja, embora eu não seja partidário disso é largamente utilizado na indústria (isinglass) e pelos caseiros (irish moss, gelatina).
      Quanto a filtrar para dar brilho e polimento na cerveja você pode tentar um filtro de celulose ou terra infusória, ambos caros para o caseiro, mas aguarde, em breve terei novidades sobre isso.
      Já tenho um piloto em funcionamento.
      Forte abraço.
      Boas cervejas.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  12. Caro Breda,

    Estive lendo o seu blog e vi muitas informações importantes, que me esclareceram várias dúvidas. Meu nome é Fabio, e junto com 2 amigos meus, compramos um kit de 30 litros da WE Consultoria e fizemos a nossa primeira leva de Pilsens, segundo receita da própria empresa. Seguimos o processo todo a risca, dando muita enfase a sanitização e a não contaminação dos insumos diretos e colheres, panelas, garrafas etc. Salvo um pequeno incidente no momento de resfriamento da cerveja com a serpentina, onde a mangueirinha escapuliu e deixou cair uma pequena quantidade de água não filtrada (da bica), temos convicção que fizemos tudo convida forme as abundantes recomendações encontradas pela internet, na receita e em seu blog.

    Entretanto, tivemos duvidas na fase de maturação:
    - Ao abrir o fermentador após 6 dias (o air-lock borbulhou furiosamente durante 5 dias e no 6o já estava inerte) verificamos uma quantidade grande de flóculos de levedura tanto em suspensão quanto decantadas no fundo do fermentador, e ficamos na dúvida com o que devíamos fazer. Deveríamos envasar mesmo com estes flóculos ou deveriamos dar uma filtrada neste excesso? Depois de muita insistência de minha parte com os meus amigos, eu os convenci a filtrarmos a cerveja fermentada para uma outra panela, onde teriamos uma mistura "mais limpa", e nesta nova panela nós adicionamos o primming e misturamos generosamente. Fizemos a coisa certa??

    - Após o envase, notamos que apesar de termos filtrado com uma peneira, ainda houve acúmulo de detritos de levedura no fundo da garrafa, o que é normal, segundo informações colhidas na internet. Pois bem, deixamos as garrafas maturarem em pé, dentro de uma geladeira com temperatura controlada entre 5 e 8 ºC por um termostato digital. Uma semana depois, abrimos uma garrafa para provar, e achamos que a cerveja está muito gostosa, com um sabor mto bom, porém falta um pouco de gás. Bastante, pra falar a verdade. Ficamos um pouco decepcionados. Será que pode ter sido por conta da filtração do fermento? Ou porque abrimos muito cedo? Deixamos mais uma semana maturando e vamos recolher as garrafas hoje, quando completa exatamente 14 dias da data de adição do primming. Mais tempo maturando nesta temperatura ajudará na carbonataçao ou nao faz diferença?

    - Depois de maturada, as cervejas devem ser armazenadas em baixa temperatura (na geladeira) ou podem ser armazenadas na dispensa, a temperatura ambiente, desde que longe de luz solar?

    Qualquer dica que vc possa nos dar será muito bem vinda Breda, desde já lhe agradeço imensamente.

    Abraços,
    Fabio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Fábio? Obrigado pelo contato e pelo ótimo comentário.
      Na verdade você não precisaria filtrá-la, poderia simplesmente baixar a temperatura do seu freezer para zero grau por dois dias para forçar a decantação e ai sim fazer a trasfega da cerveja mais limpida. Filtrar gerou um ponto de contaminação que, felizmente, não ocorreu.
      A fermentação de laggers caseiras pode durar até 10 dias dentro do range correto de temperatura ou mais se estiver fora do ideal. O borbulhamento é um indicador, mas o melhor dado é a atenuação.
      A maturação deve ser feita primeiro em tanque por 10 dias para uma nova decantação e melhora nos aromas e sabores da cerveja. Somente depois desse periodo é que deve ser engarrafada.
      O priming de lager deve ser de mais 10 dias a temperatura de 15 graus (pelo menos 13 graus) para carbonatação. Na temperatura que vocês deixaram ela vai carbonatar, mas muito lentamente.
      Depois de carbonatadas é melhor mante-las geladas abaixo de 4 graus celsius. Se tiver certeza absoluta de que atenuou tudo o que tinha para atenuar na primaria e na secundária (priming) poderã até deixar fora da geladeira, mas não aconselho até que tenham prática.
      Para ficar mais claro segue um roteiro:
      1. Fermentação primaria ente 9 e 15 graus por tempo suficiente para atenuar o que você planejou;
      2. Decantação a zero grau por 2 dias para trasfegar a cerveja para o maturador;
      3. Maturação por 10 dias a 13-15 graus em tanque sem retenção do CO2;
      4. Envase em garrafas com priming;
      5. Carbonatação por 10 dias nas garrafas.
      Forte abraço e boas cervejas.
      Saúde!!!

      Excluir
  13. OLA BREDA.
    Tem problema em fazer o priming de uma lager com as garrafas em temperatura ambiente?

    Abraços.

    Julio- RS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Julio, tudo bem?
      O ideal é se fazer próximo da temperatura de fermentação, pois o priming nada mais é do que uma refermentação em garrafa, mas você pode fazer a carbonatação à temperatura ambiente sim.
      O que pode ocorrer é de sua lager ficar um pouco esterificada o que em alguns casos não é um problema, mas se for uma Pilsen pode ser considerado um defeito.
      No mais, bom priming e boa cerveja.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  14. Caro Breda
    como definir a priori o volume de alccol, o amargor Bu e a cor EBU que uma receita irá gerar?
    obrigado
    Freire

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Freire, tudo bem?
      Ótima sua pergunta, obrigado.
      Existem cálculos para que você defina as características pretendidas na sua cerveja antes de iniciar, ou seja, isso faz parte da elaboração de sua receita.
      Para que sua cerveja fique dentro dos parâmetros do BJCP, por exemplo, você precisa saber o que está fazendo e não como muitos por aí que vão jogando malte na panela e depois perguntam fiz isso, que cerveja é?
      Outra forma é utilizar programas de computador, porém eles trazem parâmetros pré formatados e que voce precisa alterar sempre que seus maltes e lupulos estiverem diferentes do definido como padrão para não errar na mão.
      Sua pergunta me inspirou em fazer uma postagem para ensinar o pessoal a calcular as receitas sem precisar de um software pronto. Farei isso na próxima postagem.
      Em breve você terá um passo a passo aqui no Blog para montar sua receita.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  15. Caro Breda,

    Estou iniciando nesta aventura da produção de cerveja para beber com os amigos.
    Comecei devagar para não ter que desembolsar muita grana no começo até pegar alguns macetes que somente a prática nos dá.
    Comprei um desses maltes prontos da Brewferm tipo Weiss e fiz todo o processo de satinização, diluição, adicionei o açucar e o fermento e coloquei para fermentar em um balde para fermentação com airlock e tudo mais, medi a densidade inicial e registrou 1050 após 24hs verifiquei que a água do airlock está quase toda de um lado só, mas não vi ainda sair bolhas.
    Estou fermentando a uma temperatura entre 21º e 25º, acha muito? ou devo esperar mais um pouco para ver sair as bolhas?
    Grande abraço e parabéns pela iniciativa de ajudar os leigos no assunto.

    Alessandro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Alessandro?
      Obrigado pelo comentário.
      As vezes o airlock demora a borbulhar e outras vezes não borbulha, isso não quer dizer que não há fermentação, mas pode indicar que há vazamentos na tampa de seu fermentador, ou mesmo na rolha do airlock.
      Experimente inalar o ar próximo ao fermentador e observe se percebe um aroma de CO2 que em inalações profundas o fará até tossir.
      Vc pode também passar uma fita adesiva do lado de fora da tampa do fermentador unindo-a ao balde de forma mais eficiente e evitando vazamentos.
      Porém, a melhor forma é utilizar fermentadores com boa vedação, pois se algo sai pela lateral da tampa algo entra, ou seja, seu fermentador pode ter entrada de ar e contaminar sua cerveja.
      Quanto a temperatura, tente manter no máximo a 22 graus.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  16. ola breda

    Estou fermentando uma lager feita com fermento S 23,gostaria de saber se eu posso reaproveitar esse fermento quando separa-lo e qual o procedimento.

    Obrigado
    Adriano- sp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Adriano.
      Pode sim reutilizá-lo, mas tenha certeza de que o aroma está puro, sem contaminações ou autólise.
      Você deve separá-lo quando fizer a trasfega para maturação (essa é a prática caseira).
      Depois deve armazená-lo em temperatura abaixo dos 4 graus celsius e alimentá-lo a cada sete dias para que não haja baixa de viabilidade.
      Alimente com mosto de 1020 a 1040 no máximo.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  17. Olá Breda,

    Apertei um pouco a tampa do balde e inspirei perto da saída do Airlock, mas não senti cheiro algum. Mesmo assim passei uma fita para tentar vedar melhor.

    Lembrei que quando fui colocar o fermento, a água que fiz a mistura estava um pouco quente, algo em torno dos 35 graus, será que danifiquei o fermento?
    Quanto a temperatura, no momento não tenho o que fazer pois não tenho o controlador de temperatura e aqui em Porto Alegre o verão é quente, consigo manter em 25 graus, isso trará algum problema ou somente irá alterar a questão do tempo de fermentação?

    Obrigado pela ajuda e um grande abraço.
    Alessandro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alessandro.
      Espere algumas horas pra saturar o ambiente, imediatamente você não sentirá mesmo, pois a liberação de CO2 devido a temperatura está reduzida.
      Sobre ativar o fermento a 35 graus não deve ser feito, procure fazer com mosto e a no máximo 26 graus.
      O que pode acontecer é que a baixa atividade da levedura pode favorecer a contaminação por microorganismos indesejávei e você perder sua cerveja, pois enquanto a acidez e o teor alcoólico não estiverem em um nível determinado, outros microorganismos poderão sobreviver no meio açucarado e se reproduzir estragando sua cerveja.
      Procure um controle de temperatura, mesmo que seja com gelo, e ative o fermento da forma adequada.
      Forte abraço.
      Breda

      Excluir
  18. Breda
    retirei uma leva de ouatmeal stout, a cerveja está boa pórém a espuma está um pouca rala e desparece rápido do copo.
    como posso corrigir este problema para as ´próximas levas?
    Freire

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Freire?
      Olha só, com aveia ficar sem espuma não é comum não, mas para te ajudar preciso saber o que exatamente vc fez, receita, tempos e temperaturas de brassagem.
      Mande as informacoes e vou corrigir pra que na proxima nao tenha mais esse problema.
      Lembrando que parto do principio que nao houve contaminacao na sua cerveja, ok.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  19. Boa tarde Breda, a mais ou menos dois anos estava com a idéia de produzir minha própria cerveja, então a duas semanas comprei os equipamentos e neste final de semana estarei fazendo minha primeira leva 20 litros de (Blonde Ale) a base de extrato de malte. Não tenho um freezer com controlador de temperatura, então me surgiram alguns questionamentos. Li vários blogs e post e sem sombra de dúvidas o seu foi onde me senti mais seguro, devido a forma de responder as perguntas e o conhecimento demonstrado, parabéns ótimo blog. Vamos aos questionamentos:Tenho dois fermentadores, na fermentação tenho que manter a temperatura de 18°- 24°C certo? Na maturação transfiro para o segundo fermentador e posso deixar fora da geladeira? Meus fermentadores possuem torneira será necessário a retirada da levedura durande a maturação ou posso apenas ter o cuidado de quando for tranferi-lá para o balde com o priming não deixar que levante a levedura do fundo? No caso do priming estou pensando em usar 6gr/L o que acha?
    Obrigado e mais uma vez parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Joel?
      Obrigado pelo contato.
      Fico muito satisfeito em receber sua história com a cerveja e saber que o Breja do Breda faz parte dela.
      Sobre suas perguntas, na fermentação de Ales você tem um range de temperatura de 15 a 22 graus para a melhor atuação das leveduras. Eu prefiro manter a temperatura estável a 18 graus que é o midle range, mas como você não tem um controle de temperatura pode ser que não consiga manter a fermentação estável, assim o limite de 24 graus realmente não deve ser ultrapasado.
      Após a fermentação, o ideal seria você ter uma decantação das leveduras, a forma mais rápida e fácil de se fazer isso é baixando a temperatura do fermentador a zero grau e após dois dias fazer a trasfega para o maturador. A maturação deve ser feita a uma temperatura mais baixa, porém se vc não tem controle ficará um pouco difícil, mas sugiro que tente manter a maturador refrigerado. A maturação no caso da Blond pode ser feita a 15, 10 ou 6 graus por pelo menos 4 dias, depois você pode baixar para zero novamente.
      Haverá uma segunda decantação e você deve evitar ao máximo que o depósito vá para o balde junto com a cerveja quando for fazer o priming, fique tranquilo que haverá levedura suficiente para carbonatar sua cerveja.
      Para a Blond 6 gramas por litro está bom, mas lembre-se, mais importante do que a quantidade a adicionar é saber se sua fermentação primária foi completa, pois caso não tenha sido pode ter muito açúcar residual que somados a esses 6g/l podem também ser muito.
      Para saber se a fermentação foi completa, o ideal é medir a FG e ter a OG anotada para verificar se você atingiu a atenuação completamente.
      Continue acessando o Blog e envie seus resultados e dúvidas.
      Forte abraço.
      Boas cervejas.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta Breda, então vamos lá,vc diz que tanto faz eu maturar a Blonde a 15, 10 ou 6 graus por pelo menos 4 dias. Qual o tempo de maturação, 10 dias? Depois desses 4 dias seriam mais 6 dias a zero? E quando estiverem engarrafadas para carbonatação manter a temperatura em que ela fermentou? Seria isso? Abraço e obrigado pela atenção.

      Excluir
  20. Ola Breda , sou iniciante no assunto estou na minha 4° Leva, e de cara ampliei para esta leva meus equipamentos passando de 20 litros para equipamentos de 60 Lts, porem esta nova leva farei 40 lts de uma RED ALE, peço a seguinte ajuda quais ajuntos poderia acrescer neste estilo, quantidade, e em que fase da fervura fica melhor. Outra pergunta é porque nas minhas tres primeiras que achei que ficaram muito boas a espuma fica muito tempo no copo a ponto de "oxidarem" começam a ficar amarronzada ???? o que posso fazer para evitar isto? Desde já agradeço Abraço Valter homebrew kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Valter?
      Rapaz, parabéns pela ampliação, eu comecei também com 60 litros de cara, você vai gostar.
      Sobre adjuntos na Red Ale, na verdade ela deve ser feita somente com malte, porém acredito que você deve estar se referindo a maltes especiais, se for isso OK.
      Considerando o estilo você pode usar maltes carared, cararoma, carahell e até um pouco de carafa I, mas precisa observar as quantidades. No caso de 40 litros, por exemplo, se vc usar 100g de cararoma e 500 de carared já terá uma boa coloração e aromas na cerveja, o resto é malte pilsen.
      A respeito da sua pergunta sobre espuma oxidar, confesso que nunca presenciei esse fenômeno de escurecimento, contudo, o que você pode fazer para diminuir a persistência dessa espuma é uma parada protéica de 15 a 20 minutos na sua brassagem mantendo a temperatura da mostura entre 45 e 55 graus, mas cuidado, se ficar muito tempo nessa temperatura pode ter uma cerveja com pouquíssima espuma.
      Forte abraço.
      Boas cervejas.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  21. Boa tarde Breda,
    Estava lendo os comentários e ao ler o post do Joel, dia 6 de março e a sua resposta, acabei ficando em dúvida sobre o processo de fermentção. Já faço a minha cerveja artesanal a quase 1 ano e fiz umas 10 brassagens. Particurlamente tenho achado o resultado final muito bom. No meu processo, faço a fermentação primária no fermentador e depois de finalizada, transfiro para um balde, onde faço o priming usando high maltose (normalmente uso 8g/L) e em seguida encho as garrafas. Quando comecei as minhas pesquisas para iniciar na arte da cerveja, encontrei muito material na internet, porém com muitas coisas contraditórias e muita confusão, mas no final consegui uma boa referencia, mas nunca encontrei nada muito preciso sobre a segunda fermentação e sempre considerei que a segunda fermentação fosse o processo na garrafa, juntamente com o priming, mas nesse post que mencionei (e aí ficou minha dúvida) fala em uma segunda fermentação em um ferementador e depois o priming na garrafa. Se a primeira fermentação chegou a final, com atenuação adequada, qual o objetivo da segunda fermentação no fermentador?
    PS: achei muito bom o teu blog, achei uma excelente referencia!
    Abraço!
    Humberto Beck

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Humberto Obrigado pelo coment[ario.
      Olha só, há uma grande confusão mesmo com essas nomenclaturas, mas para que fique bem claro para você vou dividir as fases e esclarecer a questão.
      1. Fermentação - o que você pode chamar de Fermentação primária - Aquela que se inicia logo após o resfriamento e aeração do mosto com a inoculação da levedura, OK;
      2. Maturação - é aqui que ocorrem os equívocos, pois alguns chamam a maturação de fermentação fina ou fermentação secundária, pois quando feita corretamente as leveduras ainda estão em ação. Eu sempre procuro me referir a esta fase como MATURAÇÃO, mas quando o leitor me faz perguntas e a chama de secundária ou fina acompanho o raciocínio dele para não confundí-lo. Minha sugestão é usa o termo MATURAÇÃO, OK;
      3. Carbonatação na garrafa ou PRIMING - algumas pessoas chamam essa etapa de fermentação secundária também, assim quando falar com alguém sobre o processo procure entender se a pessoa se refere ao priming paras carbonatação na garrafa ou a maturação quando falar em secundária. OK.
      No geral o que lhe causou essa confusão foi o fato de você pular uma fase do processo, ou seja, pelo que me descreveu você vai do fermentador onde ocorreu a primária diretamente para o priming e o envase em garrafa para carbonatação, logo você está pulando uma fase importantíssima do processo que é a MATURAÇÃO.
      Nesta fase, como disse, acontece uma fermentação mais lenta devido as baixas temperaturas em que a cerveja deve ficar, mas é aqui na maturação que vários dos aromas e sabores da bebida se revelam por completo, além disso haverá também uma segunda decantação de leveduras e outros sólidos em suspensão o que deixará sua cerveja mais límpida.
      Portanto, esclarecidas as fases, sugiro que você passe a fazer a maturção daqui pra frente e tenha seu processo completo. Proceda da seguinte forma:
      A. Faça a fermentação como já faz hoje;
      B. Faça uma maturação de 10 dias após a fermentação, preferencialmente em outro balde, mantendo o '[inimo de leveduras ao transferir a cerveja do fermentador. Procure trasfegar a cerveja o mais limpa quanto possível;
      C. Faça uma nova trasfega para o balde onde fará o priming, evitando novamente a trasfega de leveduras/
      D. Envase nas garrafas para carbonatação que levará mais 10 dias mantendo as garrafas a temperatura de fermentação correta para a levedura utilizada ou pelo menos a mesma temperatura que utilizou na primária.
      Tenho certeza de que suas cervejas ficarão ainda melhores.
      Espero que tenha ficado mais claro para você agora.
      Continue acessando o Blog e enviando suas perguntas.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  22. oLA breda

    Tenho feita minha cervejas com uma rampa que me passou 55, 62 68 76
    e estão ficando muito boas. porem tenho umas duvidas.
    qual a diferença que da na cerveja se eu fizer a parada protéica mesmo sem ter adjuntos com proteinas. como aveia, oque isso causara?. e quero fazer uma cerveja um pouco mais adocicada,o que devo fazer? adicionar malte caramelo ou deixar mais tempo a 68 graus. no caso para fazer uma lager. e li que alguns usam aveia para dar mais cremosidade na espuma. acha que é uma boa?

    Obrigado.

    Adriano sp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Adriano?
      Se fizer parada protéica sem necessidade o resultado será uma redução drástica na sua espuma.
      Sobre a aveia, minha opinião é que não há nenhuma necessidade, a menos que você esteja fazendo um cerveja que tem aveia na receita, pois fazendo as rampas adequadamente terá uma espuma muito consistente sem a necessidade de aveia.
      Em muitos locais você verá essa recomendação, mas observe que em quase todos eles as rampas se iniciam a 42 graus, o que é uma gigantesca incongruência, pois com exceção da aveia o que vc estará fazendo é diminuindo muito o potencial de espuma de todos os maltes numa rampa baixa e depois adicionando aveia para recuperar a espuma que vc mesmo destruiu...logo, ilógico.
      Para ter a cerveja mais adocicada pode fazer brassagens longas com alta temperatura.
      Forte abraço.
      Breda

      Excluir
  23. Olá Breda,

    Primeiramente parabéns pelo blog, cada vez que eu acesso aprendo algo a mais.
    Aqui estou eu novamente para sanar algumas dúvidas que surgiram após outra brassagem, desta vez uma IPA que foi feita com um pouco mais de estudo e não menos entusiasmo neste sábado dia 23/03.
    Lá vai:

    1 - Medimos a OG utilizando uma amostra com muito "trub" e o resultado foi 75 no densímetro. Creio que essa não é a maneira correta de se fazer a medição, correto?

    2 - Utilizamos uma panela muito larga para fazer a fervura o que levou uma quantidade razoável de trub para o balde fermentador. Como isso pode afetar a cerveja e queria saber se existe uma maneira de corrigir o problema.

    3 - Inoculamos a levedura a uma temperatura de 30 graus.Já se passaram 14 horas que a levedura foi inoculada e até agora não ha sinal de fermentação, o airlock está sem nenhum sinal de pressão. Devo me preocupar?

    Forte abraço e obrigado.

    Charles

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Charles? Obrigado.
      Seguem suas respostas item a item:
      1. Realmente não. A medida é distorcida, tanto no densímetro quanto no refratômetro se estiver turva, o ideal é medir com a amostra o mais límpida quanto possível. Além disso, o momento ideal de se fazer a leitura da OG é no início da fervura, antes da adição de lúpulo e depois verificar no final da fervura qual fou sua eficiência, assim procure sempre medir a OG antes da adição do lúpulo. No caso, se optar por fazer já com a lupulagem feita, faça a medida com o mosto o mais límpido possível e não se esqueça de medir com a amostra a 20 graus.
      Se não souber como deixar sua amostra limpa use um artifício, pegue um coador (daqueles para café) com filtro de papel e filtre sua amostra de 250ml. Ela ficará bem limpa e você terá uma medição mais assertiva.

      2. O trüb não deve ir para o fermentador de maneira nenhuma. Ele interfere no desempenho das leveduras e ainda pode deixar um amargo ruim na sua cerveja pronta. O que você deve fazer é um whirpool eficiente de forma que todo seu trüb fique parado no centro da panela.
      Usar uma conexão em gancho na saída da panela para evitar que o trüb seja sugado é uma bos saída.

      3. Você deve inocular as leveduras de alta no máximo a 26 graus e as de baixa a 22 graus. Acima disso elas terão um comportamento ruim e podem ter queda de viabilidade, ou seja, você pode ter uma fermentação muito ruim. Sobre o tempo, as vezes a fermentação leva 24 horas para iniciar, tudo depende do ambiente favorável, no seu caso isso pode ocorrer. Em condições normais e utilizando levedura ativada o início é mais rápido. Você deve se preocupar se no segundo dia não houver atividade, porém, verifique se não está fermentando ou se seu fermentador está com problemas de vedação. O airlock sem bolhas somente não é definitivo para você ter certeza de que não há atividade.

      Boa sorte.

      Saúde!!!

      Breda

      Excluir
  24. Salve Breda, minhas cervejas agora estão engarrafadas e esperando carbonatar, o sabor ficou muito bom, agora esperar um pouco mais e ai é só curtir minha primeira leva, obrigado pelas dicas. Estive no sábado em Blumenau no Festival Nacional da Cerveja (FANTÁSTICO), e comprei 3kg de extrato de malte para cerveja tipo Stout , que rende 20 litros, gostaria de tirar algumas dúvidas com vc, pelo fato de ser iniciante a gente sempre fica inseguro. No Beersmith, pelos cálculos de uma DRY STOUT tenho que usar 60 gr de East Kent Goldings nos 60min de fervura para amargor e 30 gr de fuggles nos últimos 10min para aroma, isso para atingir 35,8 de IBUs, sendo que a DRY STOUT varia de 30 - 45 IBUs. Usarei fermento Nottingham (danstar)Austria. O que achas? Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem Joel?
      Olha só, não uso BeerSmith ou outro programa para elaborar cervejas, faço meus cálculos baseado em fórmulas de livros sobrecerveja e defino meus parâmetros assim.
      Tomando como base uma Dry Stout pelo BJCP e considerando que fará 20 litros dessa cerveja você precisará de pouco menos de 03kg de extrato, mas é necessário saber quais os parâmetros do extrato, utilizando uma amostra base de Dark Dry Malt Extract você terá uma OG de 1054 com 3kg de extrato, mas o ideal é saber quanto esse extrato que você comprou tem de açúcares.
      Dilua o extrato conforme foi orientado pelo vendedor e massa a OG, mas vou trabalhar com os 1054, ok.
      Seu East Kent goldings tem quanto de alfa ácidos? Seu Fuggles tem quanto de alfa ácidos? Vou considerar 5,0 para o goldings e 5,0 para o Fuggles, mas o ideal é saber quanto eles tem realmente. A embalagem deve trazer essa informação.
      Usando o método tinseth para cálculo de IBU sua cerveja com essas quantidades terá em torno de 60 IBU, ou seja, fora do estilo. Se utlizar 30g do Kent Goldings aos 60 minutos já entrará no estilo, por volta de 40 IBU. Lembrando que considerei 5,0 de a.ácidos para cada um.
      Usando o nothinghan você deve obter com essa OG algo em torno de 5,0% de álcool ABV, no limite do estilo.
      Quanto a coloração, se o extrato tiver a cor média do ingredoiente Dark Dry Malt Extract você estará na metade do caminho, logo preciso saber qual o SRM do extrato para te dar uma opinião mais acertada, caso esteja baixo (menos de 350) você terá que adicionar um pouco de malte escuro para chegar pelo menos ao 25 SRM da cerveja, que é o limite mínimo para o estilo.
      Espero ter ajudado e se puder enviar mais detalhes dessa matéria prima que comprou posso melhorar a assertividade dessa receita para você.
      Boa cerveja.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  25. Ola breda.
    Sou iniciante na produção de cerveja artesanal, fiz um curso em campinas e venho pesquisando muito na web.Infelizmete existe muitas informações erradas, suposições postas como regra o que atrapalha muito.exemplo da quantidade de açucar para o priming.li muitos dizendo que o maximo seria 7 gramas/l acima disso seria muito perigoso de as garrafas estourarem.Até que li no seu blog uma matéria que você usava 9g/l então resolvi fazer assim tambem e não tive problemas.Agora li em um site que uma cerveja não pasteurizada tem validade de 10 a 15 dias.Acontece que sempre faço lager, ja deixei quase um mes fora da geladeira a temperatura ambiente, longe da luz e nenhuma explodiu ou estragou.Afinal, quanto tempo uma cerveja sem pasteurização tem de validade fora da geladeira? Por ser iniciante,acho que minhas cervejas estão ficando muito boas,isso graças ao seu blog, pois sigo todas as dicas que você dá.Realmente é a melhor referência na net para cervejeiros artesanais.Sou muito grato e admiro muito a atenção que você da a todos. Parabéns.




    Adriano- sp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Adriano, como vai?
      Realmente tem muita coisa ruim por aí.
      Sobre sua pergunta, não há como precisar o tempo, pois isso depende muito da forma que a cerveja foi feita, se não houve contaminação no processo, se foi bem decantada antes do envase, se a quantidade de açúcar no priming foi correta, se está armazenada em local adequado, sem luz, a temperatura estavel, entre outras coisas.
      Supondo que a cerveja foi bem feita ela vai durar mais do que 15 dias, meses talvez, mas o ideal é sempre beber a cerveja fresca, principlamente a pilsen, pois não é uma bebida para ser guardada, raras são as cervejas de guarda e a pilsen definitivamente não é uma delas.
      Obrigado pelos elogios e continue acessando o blog.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  26. Ola breda.
    Estou querendo fazer uma leva de 100 litros. minha preocupação é que me chiller de imersão tem 15 metros. passarei primeiro a agua em uma serpentina no gelo para depois ir para a panela. Será que 15 metros é suficiente para resfriar?

    VALEU.

    ricardo silva.SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem Ricardo?
      15 metros são suficientes sim, porém eu prefiro passar o mosto por dentro do chiller e deixar o chiller dentro da água com gelo.
      Esse processo é mais rápido do que circular água por dentro do chiller e deixar o chiller dentro do mosto, além de deixar o mosto por menos tempo em contato com o cobre.
      Boa cerveja.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  27. Olá Breda.

    O que causa gosto ácido na cerveja?As minhas cervejas estão ficando com gosto um pouco ácido. O que pode ser?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Charles? Tudo bem?
      Rapaz, pode parecer engraçado, mas temos que ter certeza de que é ácido mesmo que você está sentindo, pois há quem confunda acidez com adstringência.
      Partindo do princípio que é acidez mesmo, o mais provável é que tenha havido uma contaminação, portanto minha dica para você é caprichar na sanitização.
      Outra causa menos provável é o pH da sua água, mas precisaríamos medir para afirmar, mesmo assim não é muito provável, pois a água teria que ser muito ácida para causar problemas no sabor.
      O ideal seria me enviar uma garrafa para que pudesse fazer uma análise sensorial e dar uma opinião mais acertada.
      Repita a cerveja e atente para a sanitização.
      Mande notícias sobre os resultados.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  28. Boa tarde Breda, enviei um email para ArteBrew, onde comprei meu extrato de malte para cerveja stout, a resposta que recebi foi essa: O SRM aproximado é 25-40. O OG deve ficar entre 1,036 e 1,050. Ou seja é a característica que consta no BCJP para uma cerveja tipo Dry Stout. Não sei se ajuda, mais enfim foi o que me responderam, no caso do lúpulo o east kent tem alfa ácido de 6,1% e o Fuggle 4,8%. Pensando bem acho que vou ler e estudar um pouco mais e talvez até mude para uma Oatmeal Stout. Agradecido pela sua atenção. Só mais uma pergunta com relação a essa conta no livro do John Palmer.
    O primeiro passo é calcular as unidades de alfa ácidos (AAUs) de cada lúpulo.

    AAU = Peso (G.) x % alfa ácidos (total, sem decimais).

    AAU (60) = 42,52 g x 6,4 = 9,6 AAUs de Perle e AAU (15) = 28,35 g x 4,6 = 4,6 AAUs de Liberty. Como ele chegou a esse resultado sendo que 42,52 x 6,4 = 272,128, desculpe minha ignorância, mais como eu disse antes talvez eu precise estudar um pouco mais essa arte de fazer cerveja em casa.
    Obrigado e saúde.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem Joel?
      os dados que te passaram são da cerveja e não do extrato, mas melhor deixar isso pra lá, eles não devem ter a informação.
      Você terá que ir diluindo o extrato em água até atingir a OG que deseja, melhor assim.
      Sobre a cor, fica difícil, pois precisaríamos do potencial de coloração do extrato, por exemplo, o potencial do Malte Black Patent é 500, mas desencana também, pois não vão saber te informar.
      Sobre o cálculo de IBU, não li o livro do Palmer, mas prefiro explicar pra vc um cálculo melhor, que é o que eu utilizo.
      Você deve considerar:
      A.ácidos de cada lúpulo, tempo de fervura e peso em gramas.
      Cálculo:
      (peso do lúpulo em g)*(% alfa ácido)*(coeficiente de aproveitamento)/(volume em litros)
      Lúpulo 1: 60*6,1%*1000*33%/20 = 60,39
      Lúpulo 2: 30*4,8%*1000*2,6%/20 = 1,90
      Total de IBU = 62,29

      - O 1000 da fórmula é para corrigir os valores em percentual do alfa ácido e do aproveitamento.
      - O aproveitamento do lúpulo em pellet será sempre de 33%.
      - Para tempo de fervura de 60 minutos considerar 100% do aproveitamento, logo 33% * 100% = 33%;
      - Para tempo de fervura de 10 minutos considerar 8% do aproveitamento, logo 33% * 8% = 2,6%

      Esses valores de aproveitamento são tabelados!

      Esse cálculo pode ser usado para qualquer cerveja e qualquer lúpulo, basta saber o % de alfa ácidos.

      Dúvidas, me avise.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
    2. Obrigado Breda, sempre bom perguntar pra quem sabe, vou seguir a sua forma de calcular. Abraço e saúde.

      Excluir
  29. kkkkkkk, por isso que eu digo, nada como ler e reler várias vezes para entender e compreender. Com relação a pergunta sobre o cálculo de AAUs ja entendi o raciocínio:42,52 g x 6,4 = 9,6 AAUs (42,52 equivalem a 1,5 oz) logo 1,5 x 6,4 = 9,6. Não havia reparado que a conta é feita em onças. Valeu Breda. Um dia ainda fico bom nisso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom que descobriu.
      Agora, onde está o aproveitamento nesse cálculo?
      O cálculo precisa considerar o tempo de fervura.
      Como disse, não uso o cálculo desse livro, portanto verifique se há nos cálculos o tempo de fervura do lúpulo, caso contrário melhor utilizar outro cálculo.
      Forte abraço.
      Breda

      Excluir
  30. Ola breda.
    Estou querendo fazer uma leva de 100 litros. minha preocupação é que me chiller de imersão tem 15 metros. passarei primeiro a agua em uma serpentina no gelo para depois ir para a panela. Será que 15 metros é suficiente para resfriar?

    VALEU.

    ricardo silva.SP

    ResponderExcluir
  31. ola breda.

    Comprei uma panela de 124 litros e uma fermentador conico de 100. estou saindo das levas de 40l.Tenho 3 panelas de 60 litros, mas agora me surgiu uma duvida.Fazendo a receita, de uma cerveja não muito encorpada,calculei 20kg de malte para a brassagem. oque daria 50 litros de água de brassagem e 75 de lavagem.Como a panela tem apenas 60 litros, será que da pra fazer a brassagem com 20kg de malte e 50 de água. senão, vou precisar usar a panela de 124 litros que usaria para a fervura e terei que ficar transpondo o mosto entre panela, ou terei que comprar outra de 124.Quero fazer 100 litros de cerveja final.Li uma matéria sua sobre dupla brassagem. em que você fez a mesma coisa, mas não entendi muito bem, se quase não ficou agua na panela, como fez a clarificação? minha receita pede uma OG de 1045. Agradeço pela ajuda.

    Adriano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Adriano.
      Não precosa comprar nada mais, use a panela de 120 litros para fazer a mostura. Deixe uma das panelas de 60 com um fundo falso e use a outra para água de lavagem.
      Quando terminar a mostura passe todo o conteudo da panela para a de 60 litros e faça a recirculação e a clarificação bombeando o mosto entre as duas panelas.
      O bagaço ficará no fundo falso e a panela maior será utilizada para a fervura quando o mosto estiver clarificado.
      Entendeu?
      Boa sorte.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  32. Entendi sim. valeu breda.
    Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  33. Olá Breda ,
    Muito bom mesmo todos estes esclarecimentos que tú nos fornece aqui. As páginas deste blog acabam virando uma espécie de livro de cabeceira. Já fiz uns 5 lotes de cervejas e gostaria de saber 2 coisas:
    01 - Maltes caramelizados geram açucares fermentáveis quando adicionados a maltes com 100% do seu poder diastático ? ou realmente só fornecem açucares não fermentáveis para encorpar a cerveja?
    02 - ( já sei que não usas o Beersmith ) Mas nós, simples mortais, nos escoramos nele. Assim , quando adicionamos maltes ele nos calcula altomaticamente o vol de alcool.A pergunta é : Ele não deve estar levando em consideração a adição de maltes caramelizados e nem mesmo o tempo de sacarificação alfa-amilase certo? pois quando adicionamos estes maltes ele também acrescenta , proporcionalmente o vol de alcool ( se a resposta da pergunta 1 for não )
    abraços

    Alceu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem Alceu?
      Obrigado pelo comentário.
      O malte em linhas gerais tem como POTENCIAL de açúcares o seguinte perfil:
      50% de maltose; 18% de maltotriose; 12% de açúcares complexos e dextrinas; 10% de Glucose; 8% de sacarose e 2% de frutose.
      Deste potencial, são fermentecíveis 70% sem controvérsia nenhuma na literatura; dos 18% da maltotriose há quem diga que podem ser fermentecíveis e os 12% de dextrinas e outros não será fermentado pela saccharomyces, ok?
      A questão dos maltes caramelizados deve ser analisada sempre com a ficha do malte em mãos, porém o raciocínio geral é que eles trazem mais a´cucares fermentecíveis que por processos de torra acabam por converter parte daqueles açúcares maiores em açúcares fermentecíveis, por isso ao utiliza um software ou fazer um cálculo manual as informações técnicas do malte que você adquiriu são importantíssimas.
      Quanto ao poder diastático, ele também está na ficha do malte, mas salvo melhor juízo, 100% não encontraremos sequer nos modificados para serem diastáticos.
      O que acontece nos programas é que eles utilizam valores de potencial de sacarificação padronizados para as variedades de malte comerciais e para alguns cereais, para uma produção caseira como a da grande maioria não há a necessidade de ficar alterando os parâmetros a cada brassagem com maltes adquiridos em datas diversas se são do mesmo tipo, porém, quando você começa a aumentar a produção passa a perceber que as informações da ficha técnica do malte no momento em que você está calculando sua receita são importantíssimas e respondem pela assertividade da repetição de sua cerveja, para ser mais claro, exemplificando, posso fazer uma cerveja pilsen exatamente da mesma maneira que fiz antes, com o mesmo malte pilsen, e tudo omais sem nenhuma alteração sequer e conseguir o mesmo resultado, porém, basta que adquira outro lote do mesmo malte para verificar que minha cerveja poderá ficar bem diferente se os parâmetros do segundo malte divergirem do anterior, principalmente em poder diastático, FAN e outros itens.
      O que quero dizer é que o ideal seria a cada brassagem você regular o software com os dados de cada malte que você utilizará para poder ter mais assertividade na produção.
      A grande indústria realiza testes a cada produção e faz correções nas quantidades para poder manter um padrão, pois mesmo sendo do mesmo lote, um malte mal armazenado ou armazenado por muito tempo, pode apresentar diferenças de eficiência.
      Logicamente, isso não é muito perceptível nas produções caseiras, ms fica a ilustração para melhorar o entendimento.
      Sobre o teor alcoólico que o software te dá automaticamente, segue o mesmo raciocínio, ele está fazendo um cálculo de teor alcoólico POTENCIAL, baseado nos parâmetros gerais do malte e na eficiência que você determinou no seu sistema.
      Não é que ele não se preocupe com tempo de sacarificação alfa ou beta, pois ao pedir a eficiência do seu sistema, e todos os softwares devem pedir, ele está considerando sua conversão máxima na eficiência apontada e levando em consideração os potenciais dos maltes da receita, agora, fazer a brassagem e manter a eficiência apontada é tarefa sua e, geralmente, o pessoal aponta eficiências maiores do que conseguem na realidade e daí não dá pra culpar o software ou o cálculo pela derrapada na produção.
      Entendeuu?
      Se ficou algo para esclarecer é só me falar que melhoro a explicação.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
    2. Valeu ...muito obrigado

      Excluir
  34. OLÁ BREDA, BOM DIA!
    MEU NOME É CARLOS VINICIO, MORO NO RJ E JA ESTOU NA MINHA 5°LEVA...
    GOSTEI MUITO DO SISTEMA EXTRATOR PARA BARRIS DE 5L, MAS FICARAM ALGUMAS DUVIDAS.
    1°-SE EU COLOCAR A CERVEJA JA COM O PRIMER EM BARRIS 5L ONDE A SAIDA DA CERVEJA É AQUELA TORNEIRINHA NA PARTE DE BAIXO E QUE APENAS PUXAMOS E TORCEMOS PARA SAIR A CERVEJA DARÁ CERTO???? MINHA PREOCUPAÇÃO É COMO VEDAR EM CIMA...
    2°-ESSE SISTEMA DO EXTRATOR JA VEM COM UMA BOMBA P/ INJETARMOS O AR SEMPRE QUE NÃO TIVER MAIS PRESSÃO P/ SAIDA DA CERVEJA??? E A CARBONATAÇÃO ELA NÃO SE PERDE???
    3°-QUANTO CUSTA O EXTRATOR????

    GOSTARIA DE PARABENIZA-LO PELA DEDICAÇÃO EM UM ASSUNTO QUE TEM UM FUTURO MUITO PROMISSOR EM NOSO PAIS...
    CORDIALMENTE!
    CARLOS VINICIO PINHEIRO DE SOUZA
    E-MAIL CARLAOVINICIO@YAHOO.COM.BR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carlos, tudo bem?
      Obrigado pelo comentário.
      Vamos por número:
      1. SIM, dará certo. O que pode ocorrer é mais ou menos o que ocorre com as cervejas comenrciais que você compra com o barril, pode ser que a carbonatação vá diminuindo a medida em que você vai consumendo o barril, pois o espaço vazio que vai ficando lá dentro tende a ser preenchido pelo CO2 que escapa do líquido e se equaliza ao ambiente, pois a medida que sai cerveja a pressão interna diminui.
      Quanto a vedar em cima, é imprescindível, caso contrárionão carbonatará a cerveja.
      Você pode adquirir as rolhas especiais aqui mesmo pelo meu Blog.
      2. A Extratora manual para minikegs da B&R não acompanha a bomba, pois serve tanto para cilindro de CO2 quanto para as bombinhas de bicicleta. Você pode adquirir uma bomba aí mesmo na sua cidade ou utilizar uma que você já possua. Mantendo a pressão interna do barril com a bomba você impede qu o CO2 da bebida escape para o espaço vazio dentro do barril, pois esse movimento do gás se deve ao fato de que a pressão tende a se estabilizar no recipiente e o líquido tem mais pressão que o espaço vazio quando você começa a extrais a cerveja. Bombeando ar, vc mantem esse espaço pressurizado. Entretanto, como está injetando oxigênio no barril você deve consumir todos os 5 litros no mesmo dia.
      3. Envio orçamentos somente por e-mail para evitar a desatualização do Blog, já te mandei a cotação. Para os amigos leitores que desejem saber o valor da extratora e das borrachas de vedação basta enviar e-mail para mhbreda@hotmail.com
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  35. Olá Breda,

    Será que o motivo das minhas cervejas estarem ficando "ácidas" ou adstringentes é que estou usando muito lúpulo Magnum?
    Meu equipamento cervejeiro é todo da B&R e estou muito satisfeito com o kit porem, tenho interesse de adquirir um fermentador cônico. Onde encontro para comprar?Não encontrei no site da ArteBrew. Posso fermentar, maturar e fazer o priming nele sem nenhuma transfega?

    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Charles, como vai?
      Não acho que a acidez seja do lúpulo, precisa ver se vc não está lavando demais o bagaço depois da clarificação ou se sua água de lavagem não está muito quente (acima de 78 graus). Veja também o pH da sua água.
      Fermentador cônico vc acha na indupropil, sem problemas. Nele vc pode fermentar e maturar sem trasfega, porém pra fazer priming terá que trasfegar, senão todo o fermento depositado será novamente misturado a sua cerveja.
      Forte abraço.
      Boas cervejas.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  36. Olá Breda.

    È o seguinte, tenho 100 litros de uma lager a 7 dias na fermentação, achei que ela está um pouco mais adocicada do que eu queria, é possivel acrescentar um pouco mais de amargor durante a maturação, para dar uma balanceada na doçura?

    Valeu.

    Adriano- SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai meu caro?
      Poder colocar até pode, mas se a cerveja está adocicada o melhor a fazer é deixar fermentar por mais tempo até que seu objetivo (planejado) seja atingido.
      Forte abraço.
      Breda

      Excluir
  37. Bom dia, Breda! Estou entrando na onda do homebrew e ontem produzi minha primeira leva, uma Pale Ale feita com extrato comprado no Alquimia Cervejeira. Segui as instruções deles e do How To Brew, sendo que introduzi o fermento quando a temperatura estava em torno de 28ºC (o HTB indica que deveria estar entre 18 e 32, então fui em frente). Coloquei tudo no tanque, que está em meu closet, a uma temperatura média de 24ºC, aqui no RJ tenho dificuldade em baixar mais que isso sem refrigeração artificial. Agora, meu airlock não está borbulhando e já tem quase 24h que coloquei no tanque. Melhor analisando, achei a tampa do tanque frouxa, então tirei ela e coloquei outra (tenho dois tanques). Posso ter danificado? O cheiro é de fermentação,tipo massa de pizza, e a mistura estava com espuma e borbulhas, com a tampa encharcada. Agradeço sua opinião!! Abs, João

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai JLD?
      Obrigado pelo contato.
      Olha só, a falta de borbulhas no airlock não quer dizer que não há fermentação em curso, aliás, como você mesmo percebeu, a tampa não estava vedando, logo o CO2 estava escapando por outro lugar. O cheiro agradável de fermentação alcoólica (citado por você como de massa de pizza) é indicador de que a cerveja está fermentando.
      Trocar a tampa como você já fez e certificar-se de que ela vedou bem fará com que o airlock borbulhe e você possa acompanhar visualmente a fermentação.
      A espuma na superfície do líquido também é um indicador de fermentação em curso.
      Não acho que danificou a cerveja não, mas se está se referindo à tampa do seu tanque, não sei dizer, mesmo assim acredito que não.
      Forte abraço.
      Boa cerveja.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
    2. Bom dia Breda.
      To encucado com uma coisa,alguma garrafas de uma lager que eu fiz estão ficando viscosa, o gosto ta ótimo mas ta quase parecendo um calda,quando bem geladas, quase não espumam,tem alguma idéia do que pode estar acontecendo,será que pode ser o malte carapils? sei lá. se puder me ajudar com sua experiência agradeço.

      Valeu.

      Adriano- sp

      Excluir
    3. Rapaz, sua cerveja contaminou.
      Não deve ser nenhuma contaminação deteriorante, pois segundo você não afetou o sabor da cerveja, mas acho difícil estar boa se está viscosa.
      Observemelhor sua sanitização.
      Nada a ver com carapils, a falta de espuma é mais uma indicação de problemas.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  38. OLA BREDA.
    ACho que a contaminação aconteceu nas garrafas, pois não são todas que estão assim, estava apenas lavando as garrafas com jato de agua e depois acido peracético. Mas estou pensando em usar tambem a esterelização com vapor quente. Que método voce usa?

    valeu.

    Adriano. sp

    ResponderExcluir
  39. fala Breda.
    É o seguinte, tenho um fermentado conico de 100 litros, fermentei minha cerveja mas quando vou purgar o fermento, ele sai pouco, parece que a cerveja faz um furo no meio e o fermento esta grudado. ja dei uma batidinhas e nada abro bem devagar e mesmo assim sai um pouquinho de fermento e depois só liquido. Tem alguma macete para esse problema, vi em alguns foruns que esse é um problema comun, mas ainda não achei solução.
    se puder me ajudar agradeço>

    Paulo Assis. BH

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Paulo?
      Isso é comum sim, mas comum quando mal utilizado. Me estranha os fóruns não resolverem esse problema simples, sugiro não acessar muito esses fóruns...rsrsrs...
      Bom, o que acontece é que para utilizar um fermentador cônico existe uma técnica apropriada.
      Você deve estar fazendo a purga depois de vários dias de fermentação, certo? Provavelmente após o término dela, não?
      Bom, independentemente disso, segue procedimento correto para utilizar conicos e, não se assuste, mas a perda para baixos volumes e proporcionalmente grande, portanto, em produções pequenas o ideal é usar baldes mesmo, pois a perda é quase nula.
      No cônico você deve fazer purgas a cada 12 horas nos dois primeiros dias (atente para iniciar a contagem das horas após o início da fermentação tumultuosa e não do momento da inoculação).
      Nos demais dias faça uma purga a cada 24 horas.
      Isso fará com que a floculação não se compacte muito no cone permitindo que a levedura ainda semi-líquida, pouco pastosa, possa escoar pela válvula de purga.
      Simples não?
      Contudo, repito, sua perda pode ser grande e não te agradar.
      Uma segunda forma de fazer é drenar a cerveja e não a levedura, mas aí, como disse antes, melhor usar um balde de fundo chato para perder pouco.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  40. Boa Tarde Breda!
    Em primeiro lugar quero parabenizá-lo pelo blog. Acompanho sempre e gosto muito.
    Gostaria de uma orientação sua, por favoe.
    Fiz minha 1ª brassagemde uma Pale Ale com o kit da artebrew e ficou muito boa modéstia parte. Agora adquiri um kit também da arte brew de uma trapistta Dubell. Fiz conforme as instruções deles Participei de um curso na artebrew com o Afonso Landini.
    Bem, nessa segunda leva após 90 minutos a 65° , adicionei o lúpulo de amargor , fervi por 1 hora e faltando 15 minutos adicionei o de aroma. Fiz o resfriamento até 20º e depois o whirpool.Não decantou todo o lúpulo, somente 2/3 e tive que fazer uma espécie de filtro de tecido com o resto várias vezes para não perder o restante do mosto. Areei o mosto e adicionei o lúpulo.Medi com densímetro e deu 1.070. Achei baixo,pois na artebrew está marcado 1.090. Passei para o fermentador e deixei por 4 dias a uma temperatura de mais ou menos 15°C(está bem frio já aqui no sul de Minas),até perceber que acabou mesmo a fermentação. Fiz a trafega e medi com densímetro novamente e deu 1.035. Essas medidas estão muito fora da marcação da artebrew, mas está com uma aparência e um cheiro bom. O gosto também não está ruím. O que você me diz Breda. Será que tem salvação ou vai ficar "bebível" mas totalmente fora do padrão de uma Trapistta Dubell?
    Obrigado e tenha um ótimo final de semana.

    Michel .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Michel?
      Olha só, primeiro você não deve fazer isso, usar tecido para filtrar trub. Capriche no whirpol e espere a movimentação do mosto terminar antes de começão a resfriar. Dará certo, pode ter certeza.
      Sobre o OG é complicado dizer, mas se vc manteve o volume em litros que era o alvo da receita e se a quantidade de malte estava certa tinha que dar os 1.090. Me diga quantos litros deveriam fazer e auntos quilogramas de malte esse kit tinha que te digo se esta correto.
      Entendo que 1.035 está muito alto mesmo. Você deixou decantar bem antes de medir? Mediu a 20 graus?
      No mais, se o aroma e a aparência estão bons, ótimo, mas esse "o gosto não está ruim" me preocupa, pois se estivesse bom você teria dito, logo pode ter contaminado no momento em que usou o pano para filtrar e a atenuação ruim pode ser reflexo disso.
      Se não contaminou, ótimo, melhor uma cerveja sem estilo e boa para beber do que uma Dubbel intragável que vai para o ralo.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  41. Bom dia Breda,
    Retorno aqui com novas duvidas e aproveito para agradecer os esclarecimentos que fizestes sobre a maturação (inicio de março) e que apliquei no meu processo e de fato obtive melhores resultados, uma cerveja mais clara e mais complexa em aromas.
    Bom, minha duvida é um pouco mais incomum acredito. Sou engenheiro da área eletrônica e naturalmente estou colocando a tecnologia a meu favor... Estou desenvolvendo um processo automatizado para a mosturação, um controlador automático para as rampadas de temperaturas de mosturação e fervura, no intuito de garantir uma repetibilidade no processo e também facilitar um pouco a vida nessa fase da produção que exige bastante atenção. Bom, em conversa com um amigo meu que também faz cerveja e está ajudando nesse desenvolvimento, surgiu a dúvida de que se o mosto durante o descanso deve permanecer realmente descansando (parado) ou se o mesmo ficar com alguma movimentação pode diminuir a eficiência da conversão dos açúcares. Ele comentou que deveria ficar parado, mas isso foi baseado no processo da panela speidels-braumeister (a mesma para de circular o mosto quando atinge a temperatura) e não de um estudo ou conhecimento específico a respeito do processo de conversão dos açúcares.
    Na minha experiencia, percebi que quando o mosto fica parado mais tempo, no termômetro parece que a temperatura está ok, mas ao mexer o mosto a mesma estabiliza numa temperatura menor, em especial em dias mais frios, indicando que ficando parado a temperatura não fica homogênea, o que, ao meu ver, pode influenciar negativamente no processo.
    Então fica a pergunta: O mosto deve ficar parado o máximo possível ou a circulação do mesmo não acarreta em problemas no processo?
    Obrigado!
    Humberto Beck

    ResponderExcluir
  42. Olá Breda!
    Tudo bem?
    Desculpe o sumiço. Estava envolvido com uns probleminhas e dei uma suspendida temporária na produção. Deve se lembrar de mim. Mas agora, estou de volta, todo "mal intencionado" (hehe). Tá nascendo a Guimas Beer (to te devendo amostras, elas vão, num xinga não), e grande parte dessa criação tem um dedo seu. Foi voce que me tirou algumas grandes dúvidas quando à produção.
    E claro, apesar de ja produzir alguma coisa, ainda tenho muito a aprender contigo. Se não se incomodar, brevemente começarei a te importunar com perguntas.
    Grande abraço e obrigado pelo apoio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Guimma, lembro sim, sumiu mesmo.
      Fique a vontade para enviar suas questoes, estarei sempre a disposicao para ajudar.
      Saúde!!!
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  43. Grande Breda! Sua dica foi excelente, minha Pale Ale ficou ótima e está em fase final de carbonatação, já com 9 dias (provei no sábado com 6 dias e estava sem gás, vou provar de novo amanhã, com 10 dias)! Agora, comprei alguns brinquedos novos (um termostato Full Gauge 17RGTi, alguns tabletes Whirlfloc e Kalyclean S390) e estou planejando a próxima produção, que será de uma pilsen feita com kit de extrato. Algumas perguntas:

    1. Basta acrescentar o whirlfloc nos últimos 15 minutos de fervura do mosto?

    2. Viajo por 12 dias no fim do mês e penso em brassar logo antes, deixando a cerva fermentando no freezer, com temperatura controlada pelo Full Gauge a 14ºC. Você acha seguro deixar por tanto tempo sem supervisão? A ideia é brassar dia 25/26, viajando dia 30.

    3. Andei lendo sobre métodos de resfriamento do mosto e vi uma sugestão interessante: congelar potes sanitizados com água fervida, colocando os blocos de gelo dentro do mosto quente, resfriando e fazendo a correção da quantidade de uma vez. O que vc acha?

    4. Posso guardar as garrafas já lavadas e sanitizadas por longo prazo, com o bocal vedado por plástico-filme?

    Grande abraço!!

    João Deiró

    ResponderExcluir
  44. Boa Tarde Breda!
    Em primeiro lugar quero parabenizá-lo pelo blog. Acompanho sempre e gosto muito.
    Gostaria de uma orientação sua, por favoe.
    Fiz minha 1ª brassagem de uma Pale Ale com o kit da artebrew e ficou muito boa modéstia parte. Agora adquiri um kit também da arte brew de uma trapistta Dubell. Fiz conforme as instruções deles. Participei de um curso na artebrew com o Afonso Landini.
    Bem, nessa segunda leva após 90 minutos a 65° , adicionei o lúpulo de amargor , fervi por 1 hora e faltando 15 minutos adicionei o de aroma. Fiz o resfriamento até 20º e depois o whirpool.Não decantou todo o lúpulo, somente 2/3 e tive que fazer uma espécie de filtro de tecido com o resto várias vezes para não perder o restante do mosto. Areei o mosto e adicionei o lúpulo.Medi com densímetro e deu 1.070. Achei baixo,pois na artebrew está marcado 1.090. Passei para o fermentador e deixei por 4 dias a uma temperatura de mais ou menos 15°C(está bem frio já aqui no sul de Minas),até perceber que acabou mesmo a fermentação. Fiz a trafega e medi com densímetro novamente e deu 1.035. Essas medidas estão muito fora da marcação da artebrew, mas está com uma aparência e um cheiro bom. O gosto também não está ruím. O que você me diz Breda. Será que tem salvação ou vai ficar "bebível" mas totalmente fora do padrão de uma Trapistta Dubell?
    Obrigado!
    Abraço.


    Michel .

    ResponderExcluir
  45. Fala joão, tudo certo?
    Que bom que sua cerveja está indo bem, fico feliz, parabéns.
    Vamos as respostas:

    1. Basta para que? Para etr uma boa formação de trüb? Não, você tem que fazer um bom whirpol também, aliás, um bom whirpol sem whirfloc funciona muito bem, mas o contrário não é verdadeiro.

    2. Não tem problema não, pode deixar fermentando até voltar. Somente me diga qual cerveja vai fazer pra ver se 14 graus está correto.

    3.Não gosto da idéia de colocar nada dentro do mosto para resfriar, nem mesmo o chiller. Prefiro passar o mosto dentro do chille. Essa idéia não me parece ter vindo de alguém com experiência em produção, deve ter sido uma idéia de mesa de bar. Pode até resfriar o mosto, afinal gerará uma troca de calor, mas não recomendo.

    4. Pode sim, inclusive nem precisa de plástico. Coloque-as de ponta cabeça em uma caixa de papelão e tampe a caixa, de preferência.

    Boas cervejas.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Breda!

      1. OK, valeu! Vou fazer os dois então!

      2. Minha mulher já vetou a ideia, não quer que eu perca um dia inteiro antes da viagem com isso, haha. De todo modo, vou fazer uma pilsen mesmo, com kit de extrato.

      3. OK, o problema é que meu caldeirão só cabe na banheira de casa, então o negócio é colocar lá dentro e encher de água/gelo. Deve levar quase uma hora para resfriar abaixo de 30ºC com a tampa fechada. É isso mesmo, né?

      4. OK, vai me poupar muito trabalho no dia de engarrafamento!

      Aproveito para fazer duas perguntas adicionais:

      1. Vou aos EUA em 2 semanas e estava pensando em trazer lúpulos Citra, Amarillo e Simcoe, em pellets mesmo. Você acha que eles resistem bem à viagem? Chegando aqui, quanto tempo posso guardá-los na geladeira sem perder qualidade?

      2. Minha Pale Ale ficou excelente, com gás na medida certa mas....não forma um grande colarinho! O que posso ter feito de errado? Fiz a partir de um kit de extrato, coisa bem simples.

      Grande abraço!

      João

      Excluir
  46. Por que nao se usa acido inorganico para quebra do amido do malte?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos usar um exemplo de acido inorganico, o acido sulfurico, ele reage fortemente com substancias organicas, libera muito calor e pode ser explosivo, ele é oxidante e desidratante, com isso, tem ação corrosiva. Leis do Brasil proibem sua utilização no processo de produção de alimentos, se ingerido pode causar severas queimaduras na boca, garganta, estomago... Como cerveja é um ALIMENTO e sua produção é regulamentada pelo M.A.P.A, ele nao pode ser utilizado no seu processo produtivo. Há riscos de ficar pequenas partes do acido em meio a produção e gerar problemas no futuro

      Excluir
    2. Como vai anônimo?
      Exemplifique o que você chamaria de ácido inorgânico, ou seja, a que substância exatamente você se refere.
      A grande indústria utiliza atualmente enzimas sintéticas para realizar esse trabalho mais rapidamente e sem a preocupação da temperatura, mas elas são caríssimas.
      Pode ser que algum ácido inorgânico que você esteja pensando em utilizar seja parte de uma dessas enzimas sintéticas, quem sabe.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
    3. Rs, ok, nem precisa ir ao MAPA pra saber que não seria legal usar ácido sulfúrico para isso, mas o mesmo MAPA permite dezenas de substancias para produção de alimentos, enfim, como disse abaixo, qual sua necessidade de fato, pois me parece que suas perguntas são retóricas.
      De qualquer forma, fique a vontade para me enviar suas questões, principalmente aquelas para as quais já não tenha a resposta.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  47. Como verifico uma posssivel contaminação em um processo fermentativo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo.
      Gostaria de saber seu nome.
      A verificação não é simples, pois contaminação é uma palavra bastante genérica, portanto, a resposta a sua pergunta precisa ser genérica.
      Essa identificação de que algo está errado deve ser feita por eliminação, ou seja, se o processo não correu bem e conforme o planejado há algo errado e que pode ser contaminação. Quero dizer que, caso a cerveja esteja com aroma e/ou sabor e/ou coloração ~estranhas~ ao que conhecemos como cerveja, muito provavelmente você teve uma contaminação.
      OK, mas fora isso existem contaminações que chamamos de não deteriorantes, ou seja, não vão causar algo tão perceptível assim como alterações substanciais no produto, essas somente com análises sensoriais e em alguns casos laboratoriais.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  48. Como podemos isolar leveduras a partir de uma fonte natural como o mel?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Anonimo, você está desenvolvendo algum projeto acadêmico? Pergunto, pois suas questões são bastante teóricas e não me parecem ser de alguém que está fazendo cerveja.
      Seria mais fácil me dizer qual seu projeto ou problema específico para que eu pudesse te ajudar de uma forma mais assertiva.
      Sobre isolar leveduras a partir de uma fonte natural, ok, basta fazer a coleta de amostras dessa fonte utilizando, por exemplo uma alça de platina e depois desenvolver uma possível cultura em meio nutritivo, como por exemplo o agar agar, numa placa de petri ou em tubos de ensaio.
      Porém, o mel do seu exemplo não me parece uma boa alternativa de fonte natural para isolar leveduras devido a suas propriedades naturais de, chamemos por assim dizer, "auto conservação", mas você pode tentar.
      Gostaria que se identificasse e esclarecesse melhor sua necessidade.
      Se preferir, envie e-mail para mhbreda@hotmail.com e falamos por e-mail.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  49. Olá Breda!!
    Parabéns por compartir seu conhecimento cervejeiro!
    Minha dúvida é o seguinte: Após duas levas(20l) de APA (4,5kg malte pilsen + 0,5kg Malte cara ruby) usando água de poço artesiano, notei uma certa adstringência na cerveja e resolvi tentar com a água de torneira (ph 6 e previamente fervida para tirar o cloro). Pois então que depois de 20min de parada proteica e 2h30min de parada enzimática a 66°, não teve maneira do mosto passar no teste do iodo. Acabei tendo que jogar tudo fora!!
    Tu pode me dar uma luz e apontar possíveis problemas que podem ter influênciado na não sacarificação do mosto???

    Abração!
    Nico

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nico, como vai?
      Pela descrição do seu processo, tempos e temperaturas, a conversão deveria ter ocorrido sim, principalmente por seu pH estar em 6 e quase com certeza próximo de 5 depois da adição dos maltes.
      A questão aqui é saber se o teste de iodo foi feito com o mosto resfriado a 20 graus ou próximo disto, pois se vc faz o teste de iodo a temperaturas altas (como a de brassagem que você utilizou, 66 graus celsius) você pode ter um falso positivo para o iodo e não necessariamente a não conversão.
      Fatores que impactam nesse processo são o tempo, a temperatura, o pH e o poder diastático (ou diastásico) dos maltes. Não me recordo de algum outro no momento.
      Me diga se o teste foi feito a temperatura adequada.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
    2. Olá Breda! Muito obrigado pela resposta!
      Realmente o nosso teste do iodo foi feito com temperatura próxima a 66°c, não sabiamos que o mosto deve estar 20°c.
      Isso pode ter influênciado para a reprovação no teste do iodo?
      Abç
      Nico

      Excluir
  50. Olá Breda!
    Blz? Tomara que sim!
    Ja vem eu com minhas perguntas..
    Agora é o refratômetro!
    O meu tem só a escala Brix. Mas a conversão ja achei como fazer.
    A grande duvida! Posso medir densidade do mosto somente ou posso utilizar para medir a densidade da cerveja após fermentação? Li que tem uma diferença porque já possui alcool. É verdade? Como lido com isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Guimma.
      Pode sim, vc precisa de uma tabela de correção, somente.
      Me manda um e-mail para mhbreda@hotmail.com que te envio a planilha.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  51. Fala Breda! Blz?

    Duvida quanto a chiller.
    To querendo um melhor. O de imersão não ta eficiente pra 100 litros. Alguma sugestão?
    abraço
    Fabio Guimma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala guimma.
      Sim, tenho, use o mesmo chiller, mas como passagem e não como imersão no mosto, sua eficiência será bem melhor passando o mosto pelo chiller e estre imerso em água e gelo.
      Porém, a melhor alternativa ainda é o trocador de placas, gasta menos água que o chiller de imersão e é mais rápido que o chiller de passagem.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  52. olá Breda tudo bem ?
    Me chamo Matheus Luz Alberti, estudo engenharia de alimentos na Universidade Tecnologica Federal do Parana. Estou comecando nesse ramo cervejeiro e estou gostando muito. Vou fazer minha primeira producao em média 35 L de Pale Ale,se quiser me mande seu email que mando a receita que fiz para fazer essa cerveja. Minha duvida é na etapa de Primming, nao estou conseguindo achar como faço essa etapa, sei que tenho que fazer uma solucao de agua com açucar para adicionar na cerveja e posteriormente engarrafa-la, porem nao sei a quantidade de açucar e agua que devo usar para fazer essa solucao. O senhor pode me ajudar???

    Atenciosamente
    Matheus Luz Alberti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Matheus, tudo bem?
      Obrigado pelo contato.
      As informações completas sobre priming estão no blog. Acesse o link Desmistificando o medo do Priming que fica logo abaixo do logotipo do Breja do Breda.
      Vc terá a aula completa sobre o processo nessa postagem.
      Boa sorte.
      Forte abraço.
      Breda

      Excluir
  53. olá Breda.
    Muito obrigado pela ajuda, vou tentar fazer.
    outra duvida que tenho é em relacao a equipamento. O que o senhor me endicaria para usar por agora que estou no começo,um refratrometro ou um densimetro?

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida economiza mosto e é mais prático.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  54. Se uma cerveja está no tanque com 01 kgf/cm2 de CO2, quantas g/Litro de CO2 está nessa cerveja? (consideremos que o CO2 do tanque já está todo na cerveja)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Luiz, obrigado pelo contato.
      Por definição temos::
      01 kgf/cm² = 0,96787 atm (atmosfera)
      O volume de CO2 é a quantidade de CO2 a 20oC a 1 atm de pressão.
      Volume desejado de CO2 x 1,96 g/volume = número de g/l de CO2
      Considerando os valores sugeridos por você teremos:
      0,96787 x 1,96 = 1,897 g/l de CO2 (lembrando que estamos a 20oC)
      Dependendo da cerveja que está carbonatando você deve aumentar ou diminuir essa pressão.
      Agora, a questão é a temperatura, pois com 01 kgf/cm² (14,223 PSI) a 1,0 oC você tem 3,0 volumes de CO2 dissolvido na cerveja (esse valor é tabelado e você pode encontrar a tabela em vários locais na internet).
      No meu Blog há uma tabela dessas, resumida, na postagem “desmistificando o medo do priming”.
      Saúde!!!
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  55. Olá Breda, Tudo Beleza ?

    Estou adaptando um KEG de 50 Litros para usar como panela de Brassagem, gostaria de saber se voce faz/desenvolve um fundo falso para esse tipo de KEG. Preciso ainda usar um tubo pescador.

    Algo neste estilo: http://www.amazon.com/Weldless-Sanke-Keg-Keggle-Conversion/dp/B00420WC64

    Aguardo retorno,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. como vai anônimo?
      Obrigado pelo contato.
      Posso fazer um fundo desses sim, mas atualmente produzimos somente peças a partir do número 45. O barril tem diâmetro menor do que isso e pode ficar muito caro devido ao fato de que terei que cobrar por um fundo 45 e te entregar um menor, pois o material já está preparado para esse formato.
      Me envie um e-mail para mhbreda@hotmail.com e passo os valores.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  56. Ola Breda .. bom pelo que eu vi no blog vc esta ensinando a fazer alguns equipamentos como a válvula na garrafa pet e no keg e reutilizando o mesmo ... vc poderia ensinar um passo a passo de uma chopeira a gelo .. estou falando isso porque tenho interesse, eu comprei um cooler uma torneira com compensador 25 metros de serpentina.. para montar uma chopeira ... porem me deparei com uma situação muito complicado .. não existe no mercado um prolongador com a mesma rosca utilizada nos equipamentos de chopp .. e com isso não tem aonde comprar e os planos para a chopeira estão parados .. o prolongador que eu falo so para especificar do que se trata .. seria para conectar a rosca da mangueira que vem da válvula na rosca na mangueira que vou conectar na serpentina .. esse prolonlador é necessário para atravessar a parede do cooler o mesmo acontece com a torneira .. que no caso é até pior porque não seria um prolongador e sim uma rosca maior da própria torneira para atravessar a parede do cooler.. a cada dia cresce mais a cerveja artesanal mas o mercado é muito fraco com relação a equipamentos .. para ter uma ideia tentei fazer esse prolongador no torneiro mecânico e infelizmente ele não pode fazer por não descobrir a rosca dos equipamentos , ou seja é única e exclusiva para equipamentos de chopp... agora oq vai me restar e comprar uma a 600 reais .. a questão nem esta no preço a ser pago e sim no prazer de fazer .. Breda se tiver um interesse em montar uma chopeira colocar um passo a passo talvez se souber aonde encontrar peças produtos para a montagem ou mesmo vc disponibilizar no blog igual vc faz com outros equipamentos seria ótimo.. garanto que tem muita gente interessada nisso. valeu , abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Anônimo?
      Obrigado pelo comentário.
      Vamos por partes, OK?
      Bom, eu vendo choppeiras a gelo que montamos em casa com serpentinas em inox, caso chegue a conclusão que quer comprar mesmo, me avise e te mando detalhes.
      Acredito que você está em contato com um torneiro só, deve procurar outro, pois essa rosca não é tão exclusiva assim, eu mesmo já fui torneiro mecânico e sei que podemos fazê-la, alias, fazemos essa rosca para uma tampa de extratora o tempo todo.
      Quanto a torneira com rosca mais longa, você pode comprar um modelo assim em lojas especializadas, é praticamente o mesmo preço da outra, entre em contato com a oxicamp, por exemplo, eu tenho torneiras mais longas para choppeira (e até para colocar em kegerator - freezer ou geladeiras adaptados com torneiras).
      Em resumo, para criar um post sobre montar uma choppeira é algo muito simples, posso fazer sim, mas o que pega no caso é encontrar as peças, certo?
      Veja se resolve com a oxicamp e depois me fala, conforme for monto uma pra você.
      Outra dica, entre no site da Morebeer (se vc tem cartão de crédito internacional) lá você encontra a torneira longa do tipo americana, prolongadores, conectores para extratora, kits para CO2 e tudo o mais.
      Concordo com você, no Brasil tudo é difícil ou caro demais.
      Forte abraço.
      Breda

      Excluir
  57. E Aí, Breda. Tudo blz?
    Seguinte. Temperatura ambiente aqui ta girando em torno dos 15ºC e à noite, esfria. Consigo fermentar Ale?
    Se a temperatura ambiente for baixa, convém colocar um aquecedor no ambiente, controlado por um termostato?
    Abraço

    ResponderExcluir
  58. ola breda,
    Estou com problema na espuma da minha cerveja.
    quando coloco no copo ela forma bem, mas depois parece antiacido, da até pra ouvir ou barulho. e some rapidinho. O gosto esta ótimo, e tomei muito cuidado na sanitização.
    Oque pode ser?

    Adriano/sp

    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Adriano?
      Rapaz, podem ser algumas coisas, sua mistura de maltes, o estilo de cerveja, o teor alcoólico, o tempo e as temperaturas de brassagem e até a limpeza nos copos.
      Me de mais detalhes sobre sua receita, processo e estilo da cerveja para acertarmos essa persistencia de espuma pra você.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  59. Olá Breda.
    Eu gostaria de saber que tipo de cola pode ser usada para ficar em contato com a cerveja durante a fermentação. A cola sera usada em uma pequena área.
    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Joca?
      Obrigado pelo comentário.
      Vou começar com uma pergunta, pra que você usaria cola na fermentação? Quer vedar o balde ou o airlock?
      Preciso saber.
      Sobre usar cola, acredito que não seja necessário, há outras formas de se fazer as vedações sem essa necessidade.
      Entretanto, sei que há um tipo de silicone alimentício, mas honestamente não sei se ele interfere de alguma forma no sabor e aroma da cerveja.
      De repente, por ser uma área pequena como falou pode não causar problemas, mas continuo com a opinião de que pode ser resolvido de outra forma.
      Me explique qual é sua necessidade e tentamos uma solução mais "limpa".
      Saúde!!!
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  60. olá breda, primeiro parabéns pelo blog muito bom, seguinte gostaria de saber como que vc faz para poder vender seus produtos online, se tem que ter CNPJ para vender equipamentos ou para vender as cervejas, sou químico industrial e desenvolvi um novo equipamento para a brasagem e vou vender um kits completos em inox para cervejeiros caseiros de 20, 40 e 60 lts, mas não sei se posso simplesmente abrir um blog e vender ou necessito de algo mais, se puder me ajudar agradeço, grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai André?
      O ideal é ter CNPJ e NF, assim você fica mais tranquilo, contudo essa é uma decisão sua.
      Muita gente testa antes para ver se vai emplacar e depois regulariza, basta resolver assumir o risco, novamente, uma decisão sua.
      Ah, tenho sim meu CNPJ.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  61. Fala breda,
    Blz?
    Esse chiller,
    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-493768986-chiller-therminator-_JM
    To com o dedo no mouse.
    Se entendi, resfria 10 galões para 68ºF em 5 minutos com agua a 58ºF, ou seja, ~38 litros para 20ºC em 5 minutos com agua a 14ºC. Daí, fazendo a conta, 114 litros para 20ºC em 15 minutos. É isso ou tô viajando? Se for, eu quero....
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, beleza?
      É mais ou menos isso sim.
      O lance é manter a água de passagem bem fria, se você deixar essa água mais fria que 14 graus o resfriamento será mais eficiente.
      Pode comprar que é muito bom.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
    2. Tenho uma bombona de 50 litros, onde instalei uma bomba de máquina lava louça. Usava para esquentar água pro sparge (com um ebulidor dentro), que hoje está parada. E se eu encher com uma solução de água/sal/alcool, deixar no freezer um dia antes (0ºC liquidos) e usar isso como água de passagem, passando para outra bombona vazia (para reaproveitar a solução), o que acha?

      Excluir
    3. Fala Guimma.
      Pode usar sim, na verdade esse é o princípio do resfriamento em equipamentos maiores, contudo não se usa a solução alcoólica, mas somente água fria.
      Se seu sistema por algum problema tiver vazamento, não terá como aproveitar a cerveja se usar água-álcool-sal e gelo, mas pode fazer o seguinte, vc deixa essa solução na bombona e passa o mosto dentro da serpentina que ficará dentro dessa solução, OK, será eficiente e mais seguro.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
    4. Chegou meu chiller de placas. Testei com agua quente. Fantastico. Valeu a sugestão!!!

      Excluir
  62. Beleza Breda?

    Devido uma emergencia aqui em casa, tive que inocular o fermento (nothingam) a 35°, qual será meu problema na cerveja? Agora já está fermentando a 12°, tudo sob controle.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom meu caro anônimo, se ele sobreviveu a essa temperatura na inoculação e está fermentando, ótimo.
      O que pode haver é uma esterificação excessiva da cerveja e poucas células viáveis devido a essa temperatura na fase aeróbica. Quantos dias já faz que está fermentando? Qual a OG do mosto no momento da inoculação?
      No mais só esperando para ver.
      Outra coisa, o Nottingham trabalha melhor acima de 15 graus, contudo, se está utilizando o cara para lager, tudo bem, pode manter a 12.
      Abs.,
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  63. Olá tudo bom breda, seguinte vou começar a fazer bateladas de 40 litros e estou em duvida na quantidade de fermento, não sei se uso um sache ou 2, o que vc me indicaria....obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai? Ainmda não sei seu nome.
      Tranquilo, use um sachet de levedura para cada 20 litros de mosto, ou como o fabricante indicar.
      Logo, 40 litros = 02 sachets, 60 litros = 03 sachets e assim por diante.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  64. olá breda e antes de tudo parabéns pelo blog, minha duvida é a seguinte: uso o beer Smith 2 para fazer a receita da minhas cervejas, mas percebi uma coisa, na hora de adicionar lúpulos há algumas opções, lúpulo de aroma, dry hop, fervura e mostura, como não costumo fazer dry hop vou me atentar nas opções fervura e aroma, quando adiciono lúpulo de amargor aos 60 min escolho a opção fervura, até ai tudo bem, mas quando adiciono lúpulo de aroma aos 15 min se seleciono a opção aroma o IBUS não aumenta e se deixo em fervura ai aumenta, então ´gostaria de saber qual a opção certa pra usar para que os IBUS fiquem corretos..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai João? Obrigado peloncontato.
      Como eu não utilizo o Beer Smith não posso te dizer o que utilizar no software, mas conceitualmente sua dúvida pode ser esclarecida facilmente se nos basearmos no fato de que para os cálculos de IBU são considerados como variáveis o teor de alfa ácidos e o tempo de isomerização. Essa isomerização somente ocorre em alta temperatura, por isso o lúpulo de amargor é adicionado na fervura e permanece por muitos mi utos para trasnferir seu amargor ao mosto.
      Quando você adiciona lúpulo depois da fervura, embora ainda possa haver isomerização, esta será menor a medida em que a temp do mosto cai, logo o late hopping e o dry hopping tem o objetivo de preservar os aromas do lupulo e nao transferir amargor.
      Isto posto, pelo que infiro do programa que você utiliza, ele desconsidera a isomerização quando você não escolhe a opção de fervura, por essa raão o IBU não se altera. Porém, ao escolher a opção fervura e colocando 1 minuto que seja, o programa calculará a isomerização nesse minuto e alterará, mesmo que não substancialmente, o IBU do cálculo.
      Minha sugestão, se você vai adicionar o lupulo de aroma com 1 ou 2 minutos do término da fervura ou vai fazer late hopping desconsidere mesmo esse amargor e use essa opção de aroma. Se for adicionar com mais tempo de fervura do que dois minutos, considere o amargor.
      Aos leitores usuários do software peço que postem aqui seus comentários sobre a ferramente e colaborem com nosso amigo.
      Boa sorte e boas cervejas.
      Saúde!!!
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  65. Alô, Breda. Tudo bem? Paabéns pelo blog, muito esclarecedor para cervejeiros iniciantes.

    Você comentou em um post antigo sobre brassagem dobrada e explicou de forma bem superficial. Será que você poderia fazer um post sobre o assunto? Pesquisei bastante, mas não achei nada em português e quase nada em inglês (talvez eu não tenha procurado direito?).

    Essa técnica parece extremamente útil pra otimizar o tempo e, como você disse, manter a qualidade.


    Obrigado.
    Bruno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Bruno?
      Não costumo repetir os assuntos, mas me diga quais são exatamente suas dúvidas que verifico se realmente há necessidade de um novo post e o faço se necessário.
      Sobre informações, realmente você não encontrará muita coisa a respeito, pois que eu me lembre só conheço uma pessoa que faz isso...rsrs
      As grandes cervejarias fazer cerveja concentrada, mas é outro processo bem diferente.
      Elabora sua lista de dúvidas e me envie.
      Forte abraço.
      Breda

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta.

      Eu achei sobre a cerveja concentrada, de fato. Seria o High Gravity Brewing, mas as recomendações que achei vão até - no máximo - 40% a mais de produção, dependendo do estilo, não sendo possível dobrar.

      Acabei de reler o post e me senti meio estúpido, porque ficou mais clara a situação - eu acho. Então só pra confirmar:

      Dobro de malte. Brassagem normal, com as rampas.

      Primeira dúvida: faz-se o mash out? Elevando a temperatura para parar as enzimas? Ou - se fizer o mash out - as enzimas param e entram em greve eterna?

      Segunda dúvida: para a decocção em alpha, caso tenha sido feito o mash out, você simplesmente re-adiciona mosto a uma temperatura abaixo da alpha para resfriar o mosto a temperatura correta? Ou se não foi feito o mash out, seria o caso de simplesmente re-adicionar mosto na temperatura da alpha pra manter o processo? Nos dois casos, mantém-se a temperatura por quanto tempo em alpha na decocção?

      Acho que são essas as dúvidas. Como nunca fiz decocção, posso ter feito perguntas bestas. Será que dá pra fazer sem decocção? Adicionando mais água e deixando em alpha. Meu problema com decocção é o volume a ser retirado do mosto.

      Obrigado.
      Bruno

      Excluir
    3. Oi Bruno, tudo bem?
      Na verdade High Gravity é outra coisa, são cervejas mais fortes mesmo e que não serão diluídas posteriormente na fervura.
      A grande indústria hoje chega a fazer mostura para cerveja de 20% abv se fosse considerar a fermentação primária como fazemos em casa.
      Bom, vamos a nossa realidade, OK dobro de malte, ou seja, duas receitas, brasagem normal, rampas normais.
      o Mash out é o final da sua mostura, nesse momento vc não precisará mais de enzimas, pois já converteu tudo o que precisava. Quando a enzima é inativada ela não volta mais a ativa.
      Você não deve fazer decocções com toda a mostura, estude o processo, a decocção é feita com 2/3, 1/3 do mosto de forma a preservar enzimas suficientes para converter a porção que foi caramelada. A decocção é feita em panela separada da mostura.
      Pode fazer sem dococção sem problema nenhum.
      Forte abraço.
      Breda

      Excluir
  66. Olá Breda,

    Entrei em seu blog hoje justamente para te perguntar sobre o amargor gerado na lupulagem aromática, realizada nos últimos minutos da fervura e creio que também acabará ajudando o João. O caso é o seguinte: fiz uma American brown Ale e resolvi testar usar muito mais lúpulos nos últimos 15 minutos para ver se isso provocaria mais aroma na cerveja pronta. Produção final de 52 litros , OG de 1064.
    lúpulos : 40g east kent golding (5%) aos 40 min = 7,9 ibu
    40g Saaz (4%) aos 20 min = 4,4 ibu
    20g Willamett (5,5%) aos 15 min = 2,5 ibu
    80g Willamett (5,5%) aos 10 min = 7,2 ibu
    60g cascade (5,5%) aos 10 min = 1,3 ibu
    total = 23,3 ibu
    cálculos do Beersmith. Observe que ele informa um amagor de apenas 23,3 ibu. Isse índice não deveria ser muito pronunciável nesta cerveja com um FG de 1017 , porém ela está com um amargor considerável , sentido mais ao final , residual creio eu, mas bem presente.

    Ela fermentou 8 dias entre 17 a 18 graus e secundário de 18 dias a 10 graus , mais uns 20 dias na garrafa para priming a uns 19 graus. .

    Depois disso procurei na web algumas matérias sobre isso e encontrei um site de discussão (que não lembro agora) onde um dos participantes comenta que devemos considerar o tempo pós fervura utilizado no wirhlpool e ainda o tempo de resfriamento , claro , numa forma proporcional onde ele dá a fórmula : T= 15/2 + 45/4 . Explicando, 15 minutos do wirhlpool dividido por 2 + 45 de resfriamento dividido por 4 , dando assim 18,75 minutos. Ele então coloca os lúpulos nos tempos programados - 18,75. ( ex. para uma adição aprogramado para 60 min ele colocará aos 41,25 min.

    A impressão que me deu , depois desta minha brown ale, é que há alguma coisa de verdade nisso. Estou para fazer uma APA e vou testar calcular meus lúpulos considerando 15 minutos a mais.

    No blog do Henrik Boden encontrei : ´Até hoje ninguem sabe se os beta ácidos são vilões ou mocinhos do amargor.

    acho que eles ajudaram no amargor ou então foi os 18,75 min a mais.

    o que achas ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem Alceu?
      Minha resposta em termos gerais para sua pergunta é a mesma que dei ao João, acima, resumindo para não ser repetitivo, adições pós fervura ou 1 ou 2 min antes do término podem ser consideradas de aroma, sem demasiada interferência no amargor, reforçando, demasiada,OK?
      O que ocorre é que não se trata do tempo total até resfriar, e não conheço na literatura esses cálculos de T que você colocou acima, caso resgate o autor do comentário questione sobre a fonte para que possamos todos verificar se esse cálculo tem realmente um fundamento.
      Particularmente não uso o Beer Smith nem nenhum programa de cerveja, fiz minha própria tábua de cálculos e lá elaboro minhas receitas tendo ótimos resultados e assertividade verificada com análises.
      O que posso fazer para te auxiliar é replicar aqui um cálculo de amargor considerando suas adições e te informar o quanto seria seu IBU na minha opinião.
      Percebo que há algo no Beer Smith que depende de você considerar que adicionou em fervura ou não --- pelo visto ao escolher aroma, como informado pelo João acima, o programa desconsidera toda e qualquer contribuição em IBU dessas adições ---, mas não posso afirmar por não utilizar esse software.

      Calculando nas minhas tábuas, que são baseadas em literatura conhecida, temos:

      40g east kent golding (5%) aos 40 min = 7,75 ibu
      40g Saaz (4%) aos 20 min = 2,13 ibu
      20g Willamett (5,5%) aos 15 min = 1,47 ibu
      80g Willamett (5,5%) aos 10 min = 2,23 ibu
      60g cascade (5,5%) aos 10 min = 1,68 ibu
      TOTAL 15,26%

      Considerando que você tenha levado muito tempo para resfriar, e essa informação eu vou inferir em 15 minutos a mais como você comenta, teríamos:

      40g east kent golding (5%) aos 55 min = 12,57ibu
      40g Saaz (4%) aos 35 min = 6,2 ibu
      20g Willamett (5,5%) aos 30 min = 2,70 ibu
      80g Willamett (5,5%) aos 25 min = 10,80 ibu
      60g cascade (5,5%) aos 25 min = 8,1 ibu
      TOTAL 40,37%

      Repare que não se trata de beta ácidos, mas somente de isomerização (a.a x tempo fervura) que aumenta demasiadamente o amargor, essa é minha opinião.

      Sobre a percepção, realmente você deve ter o amargor bem maior do que o desejado, além disso, com essa FG a percepção de amargor é naturalmente maior.

      Respondida sua pergunta, me inclino a palpitar em sua receita, pois se seu objetivo é aroma não devia fazer adições na fervura, utilize os artifícios de late hopping e de dry hopping, pois você está jogando dinheiro fora procedendo adições dessa forma, repito, se o desejo é de aroma. Além disso, não entendo a razão de colocar Saaz no início, pois trata-se de lúpulo aromático, salvo quando a receita levar somente Saaz.

      Considerando as mesmas quantidades que você utilizou sugiro repetir a receita procedendo suas adições como abaixo e tendo certeza de que não haverá incremento do tempo de isomerização pelo atraso no resfriamento:

      40g east kent golding (5%) aos 60 min = 12,57 ibu
      20g Willamett (5,5%) aos 40 min = 4,26 ibu
      80g Willamett (5,5%) aos 15 min = 5,86 ibu
      LATE HOPPING (após whirlpool)
      40g Saaz (4%) = 0,10 ibu
      60g cascade (5,5%) = 0,21 ibu
      TOTAL 23,13%

      OBS.: Caso não tenha plena certeza de que seu resfriamento ocorrerá dentro do previsto, considere uma margem de erro de 10 ou 15 minutos mesmo.

      Para mais um esclarecimento, considere que há isomerização considerável somente até os 79 - 78 graus celsius, assim, se após seu whirlpool você medir e adicionar os lúpulos de aroma a essa temperatura, pode ficar tranquilo que não terá incremento de amargor, ou na pior das hipóteses, como algumas opiniões também da literatura, considere somente 10% do potencial de amargor. Se necessitar de literatura a respeito, me avise.

      Como pode ver, mesmo considerando os 10% você teria pouco incremento, mas se estender o tempo de isomerização nos 15 minutos que citou estando acima dos 79 graus Celsius terá uma ampliação significativa no IBU final.

      Bom teste e não se esqueça de comentar o resultado da próxima brasagem compartilhando aqui com os amigos e leitores do Breja do Breda.

      Forte abraço.

      Saúde!!!

      Breda

      Excluir
    2. Muito obrigado Breda,

      Não consigo mais encontrar onde busquei tal fórmula. já tinha lido algo também sobre a temperatura de isomerização e lembrava apenas que ficava aí na casa dos setenta e poucos graus celsius. Quem sabe foi daí que o desconhecido autor da fórmula tenha, empiricamente, chegado a este valor para o equipamento dele. Digamos que dos 15 minutos considerados para whirlpool ele verificou que após 7,5 minutos a temperatura baixou dos 79 graus celsius , por isso os ´´ 15/2 ´´ da fórmula. Só não faço idéia de onde ele tirou o restante da fórmula, pois se após os 7,5 minutos o mosto já se encontra abaixo dos 79 graus , nenhum tempo a mais irá contribuir para o amargor, certo?
      Por curiosidade reeditei no Beer Smith a adição dos lúpulos condiderando os tempos excendentes da misteriosa fórmula ( os 18,75 min ) e também os 15 min que tu calculaste.
      Com os 15 min a mais o valor fornecido no Beer Smith fica muito idêntico ao cálculado por tí.
      40,6 IBU no Beer Smith para os 40,36 IBU nos teus cálculos. Provavelmente por isso minha cerveja esteja mais amarga . Talvez tenha levado menos de 15 minutos para cair abaixo dos 79 graus celsius e ficado um pouco menos que os 40 IBU.
      Para os 18,75 minutos o valor fica em 43,5 IBU.
      Tuas colocações me deixam mais tranquilo para o que aconteceu com minha cerveja, afinal este amargor tem sentido. Assim , como colocado por tí , devo considerar o tempo que meu equipamento leva para baixar dos 79 graus celsius e utilizá-lo no cálculo do amargor, certo?
      Quanto a técnica do late hopping , a adição se dá APÓS o whirlpool ? Tenho que aguardar então mais tempo para a decantação ? Ou neste caso só usando filtro mesmo ?
      Agradeço também pela indicação do uso do Saaz. Sò quero explicar o porquê do uso destes lúpulos , todos de baixa % alfa ácidos. Trata-se apenas da ´´queima ´´ de estoque antigo . Pouco mais um ano comprei muito destes lúpulo e depois ao adquirir mais conhecimento e conhecer novos lúpulos acabei deixando-os esquecidos na geladeira, assim forcei a utilização em volume maior na adição tardia.
      Para finalisar, apesar de muito lúpulo colocado aos 15, 10 e 2 minutos ( o cascade foi aos 2 min e não aos 10 como informei antes) não se sente o sabor deles. O sabor é mais maltado com amargor surgindo ao final. E , provavelmente , como colocaste, se desejar aroma , só mesmo com o dry hopping.

      obrigado e grande abraço

      Excluir
    3. Beleza Alceu, que bom que resolvi a sua questao. Digo que bom, pois muita gente tem essa duvida, por isso o melhor eh sempre perguntar aqui pelo Blog onde muitos serao atingidos e beneficiados pelas respostas.
      Quanto ao late hopping, esse depois do whirlpool significa depois que voce parar de girar o liquido, ou seja, faca o redemoinho usando a colher ou o que vc utiliza hoje, ao parar de girar mecanicamente voce verifica a temperatura e estando proximo dos 79 coloque o lupulo. o tempo de inercia ate o movimento parar totalmente sera suficiente para a decantacao do trub.
      Sobre o aroma, eh possivel sim e muito ter aromas sem dry hopping, basta que da adicao ao resfriamento o tempo seja o menor possivel, mais de 15 minutos comeca a volatilizacao dos oleos essenciais e dai vc perde os aromas.
      Lembrando, panela tampada depois do whirpool para mitigar a perda.
      Forte abraco.
      Breda

      Excluir
  67. Ola Breda, tudo bem?
    Algum tempo atrás tirei uma duvida sobre a segunda fermentação contigo e passei a adotá-la nas minhas produções. Testei a segunda fermentação na geladeira (todas tipo Ale) e em temperatura de fermentação e gostei mais do resultado na geladeira, apesar de mais demorado, pois ficaram mais cristalinas, creio que pelo efeito do laggering na baixa temperatura. Minha dúvida agora é a respeito da aplicação dessa técnica em cervejas do tipo weiss, heffeweiss e witbier, cuja turvação é uma característica desejável. A segunda fermentação não vai deixar elas muito clarificadas? qual é o processo mais indicado para esses estilos? Já fiz weiss e witbier sem fazer segunda fermentação e gostei muito do resultado.
    Abraço!
    Humberto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Humberto, como vai?
      Pode continuar seguindo o processo.
      Tanto o que fez e que te agradou quanto o que lhe sugeri funcionam, a diferença é que o que te passei é mais completo.
      Quanto a turbidez das cervejas de trigo, ela deve permanecer, mesmo que a cerveja fique longos períodos decantando, pois é característica do malte de trigo trazer uma turbidez mais duradoura para a cerveja, embora possa não ficar tão turva quanto lhe agrade.
      Faça como se sentir mais a vontade e mais satisfeito com o resultado, isso é o mais importante.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  68. Olá Breda! Como está? Espero que tudo bem!
    Antes de mais nada me sinto na obrigação de agradecer pelas informações extremamente úteis e importantes que encontrei aqui! A um certo tempo sigo seu blog e sempre me impressiona a forma detalhada e simples dos posts, isso tem me ajudado muito! Mais um vez obrigado pelo seu precioso trabalho, dedicação e inventividade, e o mais importante sempre compartilhando sua sabedoria!

    Breda, estou com uma duvida. Recentemente consegui adquirir a um preço legal um keg de 50 lts. Agora estou pesquisando a compra de um cilindro de co2, porem tenho pouco espaço em casa e não queria pegar um cilindro grande e de difícil manuseio. Ocorre que vi cilindros de varias medidas, 2k , 4k, 6k... me surgiu algumas dividas... um cilindro de 2k pelo pequeno tamanho, influencia em alguma coisa em pressão adequada em um keg de 50 lts? Por quantas vezes poderia usa-lo (2k) em diferentes produções sem precisar de recarga? Válvula de topo abertura lenta, representa baixo fluxo de envio de gás pro barril ou não tem nada haver? O que voce me indicaria em relação a tamanho e custo/beneficio...

    Obrigado e grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Beto?
      Cara, um bom cilindro é o de 4 Kg, fato, não é pesado, dura razoavelmente, pode ser transportado para festas e não é caro.
      O que vai mandar na vazão é o seu registro, sim, abrir menos = menor vazão, mas vc precisa de um visor para saber se esse menor é pouco ou muito.
      Compre um registro de qualidade com marcadores de pressão dos dois lados, pois alguns dão a vazão e nesse momento o melhor pra vc é saber a pressão.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  69. Olá Breda, inicialmente gostaria de te parabenizar/agradecer por disponibilizar aqui no seu blog material e artigos extremamente didáticos. Comecei a pesquisar sobre esse tema há alguns meses e sempre me via muito distante do dia em que eu realmente iria botar a mão na "massa", até descobri seu blog e, principalmente, a postagem sobre equipamentos básicos, para iniciantes mesmo:

    http://brejadobreda.blogspot.com.br/2010/04/equipamentos.html

    A partir desse momento resolvi criar coragem e aos poucos vou adquirindo esses materiais básicos.

    Gostaria da sua opinião para sanar algumas dúvidas. A primeira diz respeito a contaminação. Breda, tenho muito medo de fazer uma cerveja e não saber identificar se ela está com algum tipo de contaminação e servi-la aos meus familiares e amigos. Assim eu pergunto como saber se aquela cerveja que eu fiz está livre de contaminação e não irá prejudicar a saúde daqueles que a consomem ? Já pesquisei bastante também sobre limpeza e sanitização e nessa primeira leva que pretendo fazer pretendo usar o Iodophor(Biofor) baseado nessa postagem do Ricardo Rosa http://cervejarte.org/blog/2009/07/20/sanitizando-com-iodofor-ou-acido-peracetico/

    A outra dúvida que tenho é com relação a adaptação das receitas de 20L para as de 5L. Já que tenho pouco espaço e vou fazer controle de temperatura em cooler de isopor com água e gelo acredito que as levas de 5 litros sejam mais viáveis. Assim gostaria de saber como dimensionar a receita que o amigo ensinou nessa postagem de equipamentos básicos para 5 litros de cerveja ?
    Para 20 litros você passou os seguintes insumos:

    1.2. Insumos
    20 litros de Água mineral ou filtrada
    04 kg de Malte de cevada pilsen (ou cristal) moído
    10g de Fermento cervejeiro de alta fermentação (S33)
    06g Lúpulo em pellets (columbus)
    150g de Açúcar cristal

    Obrigado
    Yezo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, legal saber que a coragem veio através da leitura do meu Blog. Bacana.
      Olha só, primeiramente, você irá verificar na maioria dos casos que a cerveja apresenta uma contaminação por alterações de aroma ou sabor ou aparência, por vezes duas ou as três coisas juntas, mas sobre prejudicar a saúde, fique tranquilo, pois patogênicos na cerveja até hoje não foram encontrados, o que pode rolar é uma dor de barriga...kkk.
      Sobre sanitização, eu prefiro e recomendo muito mais o peracético sólido, pois não demanda enxágue e não deixa nenhum gosto residual em caso de sobrar algo na garrafa ou balde, mas fique à vontade.
      Sobre fazer 5 litros, rapaz, vc vai mesmo ter todo o trabalho de brassar e fazer somente 5 litros? Tem certeza? O controle de temperatura vai ser osso... Tenta 10 pelo menos...
      Bom, para 10 ou 5 litros, pela margem de erro, divida somente a receita por 2 (para 10 litros) ou por 4 (para 5 litros), não vai dar muita diferença. Não é a melhor forma, mas vai dar certo.
      OK.
      Forte abraço e boa sorte.

      Excluir
  70. Gostaria de tirar duas dúvidas já que vou começar agora a primeira tentativa de fazer cerveja em casa. Fui orientado a realizar após a fermentação a maturação na garrafa após o priming. Quais os riscos que corro ao não maturar uma segunda vez antes de envasar pois neste caso teria de transfegar para uma panela para reutilizar o balde fermentador, após lavagem onde deveria aguardar tempo suficiente para após fazer o priming e envasar. AO que penso corro mais risco assim de que haja oxidação ou contaminação. A outra pergunta é sobre o airlock, o sifão dele deve ser preenchido com líquido ? e a tampa dele deve ser removida ?. Obrigado. Luciano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Luciano?
      Obrigado pelo contato.
      Serei taxativo na resposta por algumas razões. NUNCA DEIXE DE MATURAR SUA CERVEJA ANTES DE ENGARRAFAR. Quem te orientou, infelizmente, te orientou mal e errado. Não maturando antes de engarrafar você estará envasando uma cerveja verde, que ainda não está pronta, que ainda deveria liberar aromas, sabores, perder para o ambiente coisas que não desejamos no líquido e que ainda podem estar presas por lá.
      Fora isso, a bebida ainda está turva demais, tem excesso de levedura, pode causar problemas na refermentação, trazer aromas de fermento na cerveja quando dentro da garrafa, pode sobrecarbonatar a bebida, pode causar explosões se não estiver bem dosado o açúcar do priming, enfim, só há pontos negativos em não maturar a cerveja em tanque (balde). Como resolver então seu problema de um balde só? Bom, o mais fácil, compre outro balde. Não pode? Arranje um galão de água usado (custa R$ 3,00 se a loja de água for descartar com validade vencida para uso com água). Não pode comprar? Mature no próprio fermentador com o fermento junto. Será menos ruim do que colocar a cerveja na panela pra lavar o balde. ou Maturar a cerveja barrenta na garrafa.
      Faça o seguinte:
      1. Coloque o balde na geladeira para maturar depois da fermentação. Se vc fez uma Ale (de alta) mature a no máximo 12 graus por 4 dias e vá baixando a temperatura 2 graus por dia até chegar a zero. Se não consegue fazer isso mature a 12 por 6 dias e baixe pra zero deixando mais 4 dias a zero.
      Se vc fez uma Lager (de baixa) mature a no máximo 7 graus e vá baixando a temperatura 1 graus por dia até chegar a zero. Se não consegue fazer isso mature a 7 por 4 dias e baixe pra zero deixando mais 6 dias a zero.
      2.Coloque a quantidade de açúcar que definiu para o priming diretamente em cada garrafa utilizando uma seringa.
      3. Envase as garrafas com cuidado para não mexer o sedimento do fundo do balde. Evite levar leveduras para a garrafa.
      4. Tampe as garrafas.
      5. Mantenha as garrafas a mesma temperatura de fermentação por 10 dias, ou seja, se vc fez uma Ale e fermentou por exemplo a 20 graus, mantenha as garrafas a 20 graus por 10 dias, se vc fez uma Lager e fermentou por exemplo a 11 graus, mantenha as garrafas por 10 dias a 11 graus.
      6. Abra um teste no 7 dia e veja como está a carbonatação. Estando OK gele todas as garrafas a 0 grau. Não estando OK mantenha como está e vá abrindo um novo teste a cada 3 dias até que esteja bem carbonatada.
      Sobre o airlock, sim o sifão precisa de líquido, isso é o que evita a entrada de ar.
      Pode colocar água, peracético, álcool 70 ou até álcool gel diluído, tem gente que usa.
      Não pode deixar sem líquido ali.
      Com ou sem tampa, a decisão é sua.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  71. olá breda tudo bom, seguinte fiz minha primeira lager,uma munich dunkel, OG 1,050, deixei fermentano por 5 dias a 12 graus e atenuou para 1015, baixei a temperatura por 1 dia para 3 graus, e depois troquei para o fermentador secundário, este vou deixar por 7 dias a 3 graus e 24 hrs antes de engarrafar vou baixar para 0 graus e engarrafar com 4,8 gramas de açúcar refinado por litro, será que ta mais ou menos certo o meu processo ?, minha maior duvida é quanto a maturação(fermt. secundaria) se a temperatura esta certa,....abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafael.
      Você pode deixar somente a maturação pouco mais alta.
      Do resto OK.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  72. Breda,

    Tenho alguns questionamentos interessantes já que sou marinheiro de primeira viagem.

    1. Tu me recomendaste que eu deixasse maturando minha cerveja na geladeira por alguns dias e ir reduzindo a temperatura até zero. No entanto, e acredito que este é o problema de vários cervejeiros caseiros, apenas dispomos de uma geladeira comum onde não há como resfriar 30 litros em um balde dentro de um congelador pequeno de uma geladeira convencional. Não cabe. desta feita apenas conseguirei maturar a 12 ou 10 graus, o mínimo que consigo resfriar. Esse é o problema que os cervejeiros populares enfrentam pois em geral não dispõe de um freezer só para isso. Também aqui no Sul (RS) agora sofremos com a baixa temperatura (a previsão para Santa MAria-RS amanhã é -1, ou seja, no máximo conseguirei fermentar a uns 12 graus (temperatura externa) sendo que dentro de casa poderei até chegar a uns 18/20 com sorte e isso durante o dia pois à noite deve baixar para uns 10/13 dentro de casa. Também o problema e o verão aqui que é muito quente podendo chegar a 40. Como driblar tal situação ? no caso do frio, se não conseguir uma fermentação ideal em 6 dias deixo mais tempo ? quanto tempo ? Como fica a variação de temperatura pois dentro de casa mesmo com o ar ligado a temperatura em geral fica em torno de 15º e pro certo não vou deixar o ar ligado 24hs por 6 dias. O qua acontece se a temperatura de fermentação ficar abaixo ou acima do esperado bem como o da maturação, no caso uma temperatura mínima de 12º. (pelo jeito que esta o tempo externo, o ideal seria deixar maturando ao ar livre já que esta semana não tivemos temperatura externa superior a 12º kkkkkk)

    2. qual o ideal para sanitizar o material, li que lavar uma panela de 40 litros e deixar o material que vou utilizar imerso com 5 colheres de alvejante por 20 min funciona. POsso seguir esta regra ou existe algo mais indicado e acessível ?

    3. PAra fazer uma ale convencional devo utilizara rampa de temperatura ou basta que não passe de 65º? No caso de rampa qual o tempo e a temperatura que devo seguir ?

    4. Onde posso conseguir informações sobre quais os lúpulos de aroma e os de amargor para que que eu possa combinar receitas ? pois verifiquei que pelo ebay existem lúpulos a preços interessantes, mas para isso preciso saber quais são de amargor e quais são de aroma e qual a sua influencia no tipo de cerveja.

    Muito obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Luciano, como vai?
      Nós cervejeiros de poucos recursos temos que utilizar a natureza a nosso favor, na medida do possível, é claro. A meu ver você é um privilegiado, pois pode fazer cervejas sem geladeira.
      Respondendo sua pergunta, o que fazer?

      1. Basta que você faça cervejas adequadas a cada época do ano, ou seja, aproveite essa époce de baixas temperaturas para fazer lagers que fermentam de 9 a 15 graus e que vão maturar entre 5 e 7 graus e fazer laggering a 0 ou -1, perfeito na temperatura "ambiente" que descreve em seu comentário. Deixe as ales para a época mais amena e no verão não faça cerveja, deguste as que você preparou e armazenou em reserva nas demais estações até que consiga uma geladeirinha antiga para controlar sua temperatura de fermentação/maturação.
      2. Alvejante para sanitizar pode até ser, mas vai precisar enxaguar obrigatoriamente e se essa água de enxágue não for destilada não vai adianar nada ter esterilizado. Tente o ácido peracético, muito melhor.
      3. pode fazer com 90 minutos a 65 graus e depois subir para 78 graus por 10 minutos. Quando for pegando prática vamos adicionando rampas.
      4. Na internet você encontra tabelas com essas informações, mas vou postar algo aqui, boa idéia.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  73. olá breda parabéns pelo blog, não sei se vc pode me ajudar mas ai vai, estou comprando 2 fogareiros para fazer um brew stand, e to inclinado para os jackwal gb13, tem no site da gás center em Curitiba, que vc acha em termos de eficiencia do gás, sera que é gastador ou econômico, minhas levas são de 50 lts, ou vc me indicaria outro. abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, beleza?
      São bons, pode comprar.
      Mas olha só, fogo forte não é muito econômico não, OK.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  74. Oi breda vou fazer a minha primeira lager,faço a fermentação no balde a10°C por 10 dias apos,deixo no balde fermentador mais 5 dias a 2°C,só dai faço o priming nas garrafas e devo fazer ele a quantos graus??? Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O priming? A qualquer temperatura, mas a secundária, que deve ser a sua dúvida, faça a uma temperatura 20% abaixo da sua temperatura de fermentação primária ou a mesma temperatura da primária por 10 dias.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  75. Oi Breda,estou fazendo minha primeira cerveja Lager,é uma Munich Helles,estou fazendo a fermentação no balde em torno de 09 a 12°C,por mais ou menos 10 dias,após isso eu tenho que baixar a temperatura a 0°C por mais uns dias antes de envasar nas garrafas,está é minha dúvida maior,pois só depois envaso?? E após envasar tenho que fazer isso a uma temperatura de 12°C?? até o manômetro atingir 2,5 ??

    ResponderExcluir
  76. Nobre,

    Estou com algumas dúvidas referente a priming e densidade.

    Quando ao priming, como moro no RS e por aqui a friaca tá pegando, gostaria de saber quanto tempo em média o priming gera o gás necessário para a boa cerveja (em geral de 2 a 2.8 kgmf pelo que sei), digo isso por que minha cerveja (primeira leva) esta a uma temperatura média de 14 a 20 graus e só aumentou na garrafa, que tenho como parâmetro que tem em cima um manômetro, 0,5 kgmf, em 4 dias, quanto tempo em média demorará para a pressão subir ? será que não tenho que refazer o priming com a high maltose?

    Outra dúvida é referente a densidade. Observei que se não conseguir a densidade desejada na mosturação, quando da fervura terei que ferver a mais para chegar na densidade desejada o que me "retira" cerveja em virtude da evaporação.

    Por exemplo, estava produzindo ontem uma cerveja de trigo e a OG deveria ser de 1041 e obtive apenas 1033, na minha ignorância cervejeira interpreto isso como uma mosturação "aguada". Na verdade coloquei 3 litros a mais pois na primeira leva o trub e a fervura me "roubaram" 9 litros de cerveja.

    Quando da fervura tive que deixar um pouco mais para obter a FG de 1049 da receita pois na fervura, no tempo correto, cheguei a 1041, deixei mais tempo e obtive 1049.

    A minha dúvida é a seguinte: Acredito que não há problema de na mosturação ir medindo a densidade, o que observei é que a medição de iodo ela se altera com o passar do tempo. Isso é correto ? e o meu medo era justamente passar do tempo do cozimento para obter a densidade ideal, o que apenas a evaporação me daria, pelo que observei. Em resumo, verifiquei que densidade se corrige ou com evaporação ou com adição de água. Correto ? O que é melhor no caso de baixa densidade na mosturação, deixar mais tempo no cozimento antes da elevação final para passar de fase ou obedecer o tempo de cozimento corrigindo na fervura ?

    Obrigado. Luciano Brandão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem Luciano?
      Em geral a carbonatação leva 10 dias se tudo foi feito direitinho. Melhor aguardar.
      Correto, se estiver abaixo da densidade planejada deverá ferver mais para atingí-la.
      Então, não foi o trub ou a fervura que roubaram sua cerveja, o cálculo de malte pode estar errado, a eficiência do seu sistema pode estar mau dimensionada e sua conversão pode não estar sendo adequada na mostura.
      O tempo correto é o do atingimento da densidade, o resto é referência de processo. Tudo vai depender do seu sistema.
      Sim, correto, isso mostra a evolução da conversão do amido em açúcares. Pode ir medindo sim com iodo. não há problema.
      A mostura tem o objetivo maior de converter o amido em açúcares. Enquanto você tiver amido não pode parar a mosturação, o tempo é referência, não seja escravo do tempo se ainda há açúcar preso nos grãos.
      Repetindo, os tempos são referências que você irá ajustando de acordo com seu equipamento, logicamente quando estiver bem acostumado a produzir cerveja eles estarão bem próximos dos de refer~encia, mas ate lá se atenha aos parâmetros de OG, teste de iodo etc., e não ao tempo simplesmente.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  77. Prezado Breda, Parabéns pelo excelente Blog.
    Meu nome é Sérgio Fonseca e estou iniciando no ramo cervejeiro artesanal. Fiz minha primeira brassagem de uma Weissbier com todos processo de brassagem correndo como planejado e a OG= 1.048. Coloquei para fermentar em temperatura controlada @ 18 C. A minha pergunta é:
    1. Após concluir a primeira fase de fermentação (vou verificar a FG com 7 dias pois faço cerveja na minha casa de final de seman), seria bom eu fazer uma segunda fermentação? neste caso eu transferiria o "liquido" sem o excesso de ferremento para outro balde?
    Agradeceria a sua ajuda.
    Pretendo fazer a maturação a 10 C e depois resfriar a cerca de 1 C para decantação antes do envase.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Sérgio?
      Parabéns pela brasagem.
      Obrigado pelo comentário.
      Vamos lá:
      Sim. Seria interessante fazer essa trasfega e maturar. Deixe a temperatura mais baixa para polir a cerveja. 10 graus está ótimo como você mesmo afirma em seu comentário.
      Boas cervejas.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  78. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir