CONHEÇA NOSSAS CERVEJAS

Conheça nossas cervejas ............................ Tira dúvidas .. 1 .. 2 .. 3 .................... Adquira seu Equipamento ............................ Fórum

Como usar seu KEG .. 1 .. 2 .. 3 .. 4 .. 5 .. 6 .. 7 ............ Calcule seu Priming ................ Processo Cervejeiro .. 0 .. 1 .. 2 .. 3 .. 4 .. 5 .. 6 .. 7 .. 8

............................ Encomende seus Kits e Copos ............................

Tira Dúvidas - FAQs

Este espaço é dedicado ao esclarecimento de dúvidas pontuais dos nossos leitores. Todas as questões foram enviadas por algum visitante. Fique à vontade para enviar as suas e lembre-se, "pergunta idiota é aquela que deixamos de fazer".

Por razões de limite de espaço do Blogger foram criadas outras páginas de FAQs, pois nesta página de Tira Dúvidas atual você poderá encontrar muitas perguntas e respostas para vários problemas que podem estar acontecendo com você, mas para postar uma nova dúvida acesse o "Tira Dúvidas 3", clicando nele você poderá deixar seu comentário.

Saúde!!!


1. Uma dose de fermento da WL é suficiente para quantos litros de mosto?
Uma dose de fermento atua bem em até 100 litros de mosto, contudo, se você não tiver um tanque de 100 litros, aconselho utilizar 01 dose para cada tanque.
Importante salientar que o fermento pode e deve ser reutilizado, sendo 06 (seis) o máximo de reutilizações recomendadas pela literatura. Para tanto, o fermento deve ser acondicionado apropriadamente e alimentado com nutrientes uma vez por semana ou no máximo a cada 10 dias para evitar autólise. Idealmente o fermento deveria ser lavado antes da reutilização, como é feito na indústria, mas esse processo é extremamente caro para nós cervejeiros artesanais.

2. Quais são as características de cada fermento, por exemplo, a sedimentação?
Se entendi a questão, durante a fermentação o fermento se posiciona de acordo com sua espécie, na superfície se for de Alta (ALE) ou na parte inferior se for de Baixa (LAGER), já falamos sobre o assunto na publicação sobre o processo de fermentação - Passo 05 - de 17/01/2010.
Contudo, após o período de fermentação, ambos se depositam no fundo do tanque e podem ser retirados facilmente.
Para demais características, necessito saber de qual fermento específico estamos falando, pois a lista é demasiado extensa.
Caso eu não tenha entendido a questão, peço reformulá-la.

3. Breda, como é que se coloca o gás nas garrafas?
Legal Wellington, obrigado pela visita e pela pergunta!
Essa é uma coisa que muita gente quer saber mas tem vergonha de perguntar, afinal, quem é que sabe? Pouca gente de fato tem idéia de como fazê-lo, afinal a tampa metálica depois de colocada somente pode ser aberta uma única vez, não dá pra reutilizá-la.
Na produção artesanal, após a maturação, engarrafamos manualmente a cerveja e colocamos um tipo de açúcar chamado de primming, que na verdade é o nome do processo de se adicionar um açúcar ao líquido antes de tampar a garrafa. Essa operação possibilita ao fermento que ainda resta no líquido, já que não filtramos em casa, tenha mais uma dose de "combustível" para produzir álcool e gás carbônico, voilá, então assim se faz o gás, ou seja, não o colocamos lá, o fermento é que faz o trabalho para nós.
Em tempo, o açúcar pode ser: o invertido, o demerara, o cristal, mel, karo, melado de cana, xarope de milho. Não se deve somente utilizar açúcar refinado.
Continue enviando questões, será um prazer respondê-las.

4. O que vocês usam para a fermentação na garrafa? Açucar invertido, high maltose ou outra coisa?
A primeira coisa relevante a saber é qual o tipo de cerveja você irá engarrafar?
Pergunto pois você pode utilizar muitas outras coisas, por exemplo, uma stout bem seca pode levar açúcar demerara no primming, fica muito legal o resultado, uma weiss mais encorpada pode levar mel, uma Ale bem amarga vai esconder completamente o açúcar cristal.
Agora, independentemente do tipo, a high maltose e o açúcar invertido são os mais recomendados, nesta ordem.
Em tempo, utilize 09g de invertido por litro de cerveja.

5. Você nao coloca uma panela mais alta que a outra como alguns fazem para descer tudo pela gravidade tipo na hora da filtragem?
Publiquei o esquema da estrutura média, na verdade tenho as multi-nível, mas não é necessário, se fosse hoje faria todas iguais, pois dá muito trabalho ficar erguendo caldeirão de 60 litros cheio de mosto, ainda mais agora que vamos aumentar para 125 fica fora de cogitação. A transfega com bomba é melhor para grandes volumes, leva menos tempo e dispensa esforço físico.


6. Gostaria de saber o que usa para fazer a fermentação. Vi em seu blog uns pequenos fermentadores de polietileno estou curioso onde consigo e como voce faz seu airlock?
Os tanques comprei da Turma e eles vem com um airlock na tampa, é um anel de borracha com orifícios para saída do CO2. A capacidade de cada um é de 30 litros, mas existem outros de 60 litros. O problema dos de 60 é a altura, não dá pra colocar no freezer horizontal.

7. Como faço para colocar um contador de acessos no meu BlogSpot?
Depois de muita pesquisa e vários scripts que não funcionavam, encontrei em um outro Blog o desabafo de um camarada que padeceu do mesmo problema, não sei por qual razão o Blogspot não disponibiliza um contador próprio, ou, se disponibiliza, não sei porque é tão difícil encontrá-lo (até hoje não encontrei), assim, sugiro que você acesse http://www.histats.com/ e faça seu cadastro. Neste site você escolhe o formato do seu "counter", além de ter à sua disposição uma série de estatísticas e gráficos.

8. Como fazer trasfega de um barril de 50l para barris menores?
Você deve utilizar preferencialmente um sistema de trasfega apropriado, composto por uma válvula extratora, uma mangueira de conexão e uma válvula enchedora. Essa seria a forma ideal para manter a cerveja com a pressão adequada e não perder carbonatação e nem espumar, contudo você pode também, segundo um confrade da Acerva, remover a esfera plástica de uma válvula extratora para possibilitar que o líquido entre no barril, já que a esfera tem a função de impedir o retrofluxo do líquido na extração e simular um conjunto de trasfega como o explicado anteriormente. Confesso que nunca tentei. Outra possibilidade é utilizar o mesmo processo de enchimento de garrafas com um enchedor de contrafluxo. Na pior das hipóteses, caso você não tenha duas extratoras, resta tentar resfriar sua cerveja no barril maior a cerca de dois graus negativos (-2°C), pois próximo da temperatura de fusão da cerveja a ocorrência de espuma será mínima e, além disso, vc poderá carbonatá-la em seguina para corrigir a pressão do barril menor com CO2.

9. Breda, devo fazer rampas na brassagem?
Se não for sua primeira vez e você já estiver familiarizado com a tradicional brassagem de 90 minutos a 65°C "SIM". Explico, sem ficar com a chatice do tecniquês, você terá um rendimento muito maior e uma cerveja de melhor qualidade utilizando as rampas e obedecendo os tempos de cozimento para descanso protéico, fenóico e alpha e beta amilases, pelo menos. As rampas são de conhecimento público, basta procurar no Google que vai se esbaldar de informações. Se preferir, envie um e-mail para mhbreda@hotmail.com que terei o prazer de enviar a você uma rampa tradicional. Você verá a diferença no sabor e no rendimento da sua produção. Mais cerveja com menos malte e sem adição de açúcares.

10. Coloquei o açúcar invertido no balde e adicionei a cerveja para prepará-la para o engarrafamento. Quando estava terminando de engarrafar, percebi que quase todo o açúcar ficou no fundo do balde e não se misturou à cerveja. Abri algumas garrafas após o tempo de carbonatação, mas elas estão sem gás. O que devo fazer?
Agora que as cervejas já foram engarrafadas e estão sem gás há somente uma alternativa, você deve deixá-las bem geladas para evitar a formação de espuma, mesmo que mínima, abrí-las uma a uma e colocar o açúcar invertido na proporção de 04g/600ml ou 03ml de açúcar invertido por garrafa. Utilize uma seringa sanitizada para este trabalho e tampe novamente as garrafas. Deixe em temperatura ambiente por mais 10 dias.

Aproveito para dar uma dica, quando for preparar a cerveja para o priming lembre-se de mexê-la vigorosamente para que o produto seja diluído completa e homogeneamente. Se não tiver uma colher de plástico alimentício, mas tiver dois baldes, jogue a mistura de um para o outro, mas certifique-se de estar em um ambiente fechado, sem corrente de ar para mitigar a possibilidade de contaminação.

11. Devo utilizar as rampas de cozimento? Como saber quais e quantas utilizar?
Sim, você deve utilizar as rampas sempre que puder, mas se for iniciante, prefira uma brassagem simples para evitar erros e desanimar.
Cada tipo de cerveja pede ou admite algumas rampas específicas, por exemplo, você pode fazer uma Red Ale com quatro rampas, uma dubbel já pedirá mais duas, enfim, há alguma literatura sobre os tempos e temperaturas de brassagen acessíveis na internet. Se quiser alguma informação mais específica, me diga qual tipo de cerveja deseja elaborar e darei uma sugestão de rampas para vocês. Envie sua pretençao de produção para: mhbreda@hotmail.com colocando a litragem que deseja produzir e os tipos de malte que irá utilizar, será um prazer auxiliá-lo.

12. Como posso fazer açúcar invertido em casa?
Simples, meu caro amigo, basta seguir a receita abaixo - Para cada 20 litros de cerveja:

180 gramas de açúcar cristal (não utilize o refinado)
100 ml de água filtrada

Coloque os dois ingredientes em uma panela em fogo alto e dissolva bem.
Mexa sem parar até que comece a ferver.
Quando iniciar a fervura, marque cinco minutos e verifique se a textura está próxima de um mel claro.
Desligue o fogo e resfrie a mistura.

Agora é só colocar na cerveja já sem o fermento, misturar bem para homogeneizar os 20 litros e engarrafar.



13. Devo encher o barril até a boca ou preciso deixar um espaço livre?
Não. Você deve deixar um espaço livre, assim como fazemos com as garrafas, não se deve encher totalmente o recipiente.

14. De quanto pode ser este espaço? Meus barris são de 30 lts e normalmente minhas levas dão de 25 a 28 lts.
Na prática temos deixado o espaço da inclinação do barril, ou seja, tanto a inferior como a parte superior tem uma leve inclicanção, a superior termina na válvula uns 15-20mm antes da abertura, assim o espaço que deixamos é esse. Uma dica, verifique o seu barril, pois para cada tamanho/fabricante há uma variação no design, medir a diferença de altura para deixar esse espaço.
Como suas levas são inferiores ao volume máximo do barril, não vejo problema, pois os 30 litros nominais do seu barril com certeza não atingem a abertura, logo, se atingir, estará com mais de 30. Agora, você precisa ter certeza de que não tem mais de 30 litros na leva, OK? 25 ou 28 pode colocar tudo sem medo.

15. Fiz um tampão para colocar na saída do chopp na válvula que conecta no barril, para que o chopp não saia durante a carbonatação. Então de inicio vou deixar o barril de pé, ligar o CO2 em baixa pressão, e abrir a válvula de alívio umas 03 vezes para retirar o oxigênio. Viro o barril de ponta cabeça, regulo a pressão de carbonatação desejada, seguindo a tabela tipo de cerveja x temperatura, e vou carbonatando. quando sei que acabou? enquanto for injetando pressão preciso ir movendo o barril como é feito nos postmix?
Vejamos se entendi, mas por via das dúvidas vou passar o processo que fazemos para simplificar. Com relação ao tampão, ok, sem problema, mas se vc tiver um conector adequado, melhor, nós utilizamos o conjunto extratora, conector, torneira, enquanto injetamos o CO2, depois soltamos a extratora.

15.1. O primeiro procedimento está perfeito, injete CO2 e extraia o oxigênio, 03 vezes está mais do que bom;
15.2. Não entendi porque vc vira o barril de ponta cabeça??? O CO2 dentro do barril fará com que todo o oxigênio se concentre na superfície do recipiente;
15.3. Depois de aliviar para a saída do oxigênio somente force o CO2, não vou te dizer que uso a tabela porque não uso, mas o que fazemos para saber quando parar é bem empírico, deixamos de carbonatar quando o barril para de "assoviar", ou seja, olhando nos manômetros sabemos que a pressão equalizou. Se você seguir a tabela e colocar, por exemplo, 03kgf para carbonatação, o barril vai receber 03Kgf, mesmo que vc deixe a noite toda ligado, então o lance é ajustar a pressão pelo manômetro do cilindro;
15.4. Outro detalhe, não basta uma única injeção, repita a pressão por 02 ou 03 vezes, mas dê um intervalo de mais de 12 horas refrigerado para o líquido incorporar o CO2, você verá que, mesmo com vedação perfeita e com a mesma pressão saindo do cilindro, o barril aceitará mais CO2 no dia seguinte;
15.5. Não conheço post mix, por isso não posso te dizer se com ele isso é necessário, o que posso afirmar é que nunca fiz isso e não tenho problema com carbonatação nos KEGs.

16. Preciso aguardar algumas horas para degustar a cerveja usando uma chopeira?
Supondo que você acabou de tirar da fermentação, vai envasar e quer beber...Não, não deve fazer isso, embora possa, mas vejo dois pontos: a. você deve maturar sua cerveja, dependendo do estilo, por pelo menos 10 dias para que os sabores e aromas amadureçam. b. sua cerveja ainda não incorporou adequadamente o CO2, isso pode gerar uma espuma fraca e que desaparece como a de coca-cola;

Se entendi errado e vc já maturou, sugiro que deixe pelo menos 02 dias com cargas de CO2 como te falei acima antes de beber. Repito, empírico, não sei se vai encontrar literatura sobre regras de carga e descanso, desculpe, mas nunca procurei, as nossas funcionam muitíssimo bem.

17. Se sair sem a carbonatação desejada, o que posso fazer para reparar? Devo fazer todo o processo novamente?
Então, supondo que vc maturou o tempo adequado, carbonatou na pressão correta e repetiu pelo menos uma vez o processo para adequar o CO2, não deveria haver problemas com a espuma e a incorporação do CO2 na cerveja, salvo algum furo durante a produção, só que isso é outra história, mas supondo que vc já esteja bebendo e parar o churrasco no meio seria uma péssima idéia, vc pode amenizar aumentando um pouco a pressão do barril, mas cuidado pra não gerar somente creme.

18. Quanto de pressão uma garrafa de 600ml ambar classe A (aquela que tem cerveja escrita no vidro) aguenta? Pasteurizar é perigoso?

Bom, não vou ser técnico, mesmo porque não tenho as informações que o nosso amigo pediu, mas vamos lá, na prática, "Não sei a pressão exata." ...rs... mas a melhor resposta pra isso é "Depende!", em testes que fizemos uma garrafa já aguentou 5kgf no manômetro à temperatura ambiente de 28ºC, mas isso não pode ser considerado uma regra, a garrafa era novinha e provavelmente não tinha falhas, mas como prática que temos com nossos primmings, deixamos até o limite indicado pelo campo vermelho no manômetro e depois gelamos.

Quanto a pasteurizar, temos pasteurizado sem problemas até agora e sem nenhuma explosão, mas afirmar que vc pode estar tranquilo para fazer isso depende de algumas variáveis que somente você poderá garantir, como por exemplo:

i. toda a cerveja precisa ser bem misturada após a retirada do fermento decantado e antes de engarrafar, pois se vc não homogeneizar direito terá garrafas com mais fermento do que as outras e essas, consequentemente terão mais pressão em menos tempo;

ii. a quantidade de açúcar ou qualquer outro produto colocado no primming também precisa ser homogênea, pela mesma razão, mais alimento, mais CO2, mais pressão;

iii. imgine se na que tem mais fermento você coloca mais açúcar....perigo em dobro...;
iv. todas as garrafas precisam estar limpas, ou seja, passar pelo mesmo processo de sanitização, pois garrafa suja = contaminação que dependendo do tipo gera uma pressão absurda;

v. o estado das garrafas... novas, velhas, classe A, classe B, isso tudo influencia na resistência do vasilhame à pressão, além disso, há aquelas com defeitos no vidro que não podemos ver a olho nú;

vi. a "rolhagem" também pode influenciar, já vi cervejas industriais contaminadas que não explodiram, mas ao contrário, soltaram as tampas como num jato de champagne, que chegou do chão (uma caixa sem empilhamento) ao teto, ninguém me contou não, eu vi, mas o vidro suportou a pressão, vi também garrafas que perderam o fundo e outras que explodiram bem ao meio, logo, é difícil precisar...

Com certeza não estão aqui todas as variáveis, mas ficam as dicas práticas:

a. Se for fazer primming utilize as quantidades que são amplamente recomendadas, NÓS utilizamos 9g de açúcar invertido por litro de cerveja homogeneizada no balde, não é regra OK?!.;, é o que fazemos e nunca tivemos problemas, mas como disse acima, vai depender das variáveis, não dá pra garantir;

b. use um manômetro em uma PET de 600ml, retire essa amostra na metade do engarrafamento para estar literalmente na média (é uma sugestão e uma boa prática que utilizamos, não é uma regra);

c. verifique diariamente a pressão na PET, pois ela é um "espelho" do que esta rolando nas garrafas, se estiver chegando no vermelho, gele todas;

d. deixe, na medida do possível, todas as garrafas no mesmo local, pois assim vc terá a mesma temperatura em todas elas. Nós as deixamos no freezer desligado com as portas fechadas, por segurança, assim explosões serão contidas. Uma sugestão é deixá-las dentro dos seus caldeirões tampados e com um peso em cima para evitar que a tampa seja projetada em caso de explosão.

e. 10 dias de fermentação secundária a temperatura ambiente;

f. um teste no sétimo dia para verificar se está carbonatada a contento (se estiver no vermelho gele!!!);

g. estando OK gele, não estando, espere mais três dias e refaça o teste;

h. décimo dia, gelo.

Pasteurização, como já indicado no Blog: garrafas a 1-2ºC dentro do caldeirão, água a temperatura ambiente até cobrir as garrafas (02 ou 03cm acima das tampas); aquecer a água até 65ºC em pelo menos 20 minutos para evitar choques térmicos; manter a temperatura a 65ºC por 05 minutos; desligar o fogo; após mais 05 minutos esgotar a água e deixar as garrafas esfriarem naturalmente; gelar somente quando estiverem de volta à temperatura ambiente.

19. Como posso utilizar o refratômetro durante a fermentação?

Essa é uma dúvida muito comum e tem uma resposta um tanto polêmica, mas em se tratando de precisão o refratômetro não deve ser utilizado para mensurar a densidade de líquidos que contenham álcool, pois a presença desse elemento causará distorções na leitura e isso pode ser facilmente verificado nos manuais de instruções de uso que acompanha a maioria dos refratômetros.

Embora algumas pessoas o utilizem aplicando fatores de correção e até regulando o instrumento para leituras com álcool, minha sugestão é que você utilize o densímetro de massa para ter mais precisão durante a fermentação, pois tais regulagens estão sujeitas a grandes variações nas leituras.

O refratômetro é um equipamento fantástico para a brassagem/fervura, pois acelera muito a obtenção dos valores de densidade durante esses processos por utilizar algumas gotas de mosto e, ao contrário do densímetro, leva um ou dois minutos para resfriar a 20°C (temperatura ideal da medição).

Como sugestão, procure adquirir refratômetros de dupla escala (Brix-Densidade) ou tripla (Brix-Densidade-°Plato), será mais fácil, pois não precisará converter nenhuma leitura.

20. Qual malte é o mais indicado para fazer os tipos de cerveja?


Logicamente há para cada tipo uma receita com maltes mais apropriados, por exemplo uma pilsen só leva malte pilsen, uma stout precisa de malte torrado, uma rauch tem que ter malte defumado, porém o mais legal de se fazer cerveja e que você pode usar qualquer tipo e quantos tipos quiser, desde que esteja dentro dos parâmetros de cada estilo, raras exceções, geralmente são as cervejas mais leves. A própria kölsch não deve ter maltes como o o caraaroma e o carafa, pois sobressairiam ao "cítrico" trazido pelo fermento, aliás, mais que os maltes a influência do fermento no estilo acaba sendo mais perceptível. Em suma, ouse, crie, combine e não se preocupe, referências e receitas prontas na Internet é o que não faltam, mas minha sugestão: não se prenda, defina a cerveja que quer, combine os maltes para se ajustar aos parâmetros e divirta-se. Muitos cervejeiros caseiros utilizam softwares como o beer tools e o beer smith, ajudam muito, mas na minha opinião tiram um pouco da graça da brincadeira.

21. Se eu quiser fazer uma Strong Ale, uma Weiss ou uma Kölsch?

Posso te dar sugestões se quiser, pegando seus exemplos, numa strong ale além de pilsen 60-70% você pode utilizar carared uns 15-20%, cararoma uns 5%, melanoidina 2-3%, mas falando em quantidade tudo irá depender do teor alcoólico que deseja, do volume que pretende produzir e da eficiência do seu equipamento, por isso recomendo que vá criando suas próprias receitas.

Já uma HefeWeizen precisa ter pelo menos 40% de malte de trigo (para o meu paladar - há quem diga 50%) e o resto de pilsen. A Kölsch eu ainda não fiz, tenho até o fermento separado, mas pretendo utilizar somente pilsen e, talvez, uns 5% de caraambar. Como falei, invenção minha essa receita, nunca copiei uma receita, mas não estou dizendo para não fazê-lo, OK? Somos livres para criar e também para copiar.

22. Na weiss eu tenho que colocar grãos de trigo mesmo ou existe algum malte que simule o trigo?

Acho que respondi em parte na questão anterior, o complemento é, SIM você precisa colocar o trigo, seja malte seja não malteado, caso contrário será uma blond ale, mesmo que você utilize o fermento WB-06 em uma fermentação de um mosto somente com cevada, embora pareça que você fez uma cerveja de trigo com aroma de banana e cravo, no fundo não fez, é como falar que fez molho de tomate com beterraba, entende o que eu digo? (desculpe pelo exemplo bobo, mas é isso)

23. Na cerveja Weiss, para ela ficar com aquela cor turva "bonita demais" eu tenho que pular a fase de clarificação?

NÃO. A clarificação será sempre necessária, caso contrário você terá muito trüb frio e sua cerveja parecerá barrenta... A turbidez característica das cervejas de trigo advém de uma fermentação secundária na garrafa ou de uma filtração simples (não dupla), portanto, teste a receita mais simples possível 60% Malte Pilsen e 40% malte de trigo, se gostar do aroma de banana (como na maioria das weizen) utilize o WB-06, se preferir mais seca como a Bohemia weiss utilize o S-33, faça uma secundária com açúcar invertido na garrafa e terá uma cerveja turva maravilhosa, mas capriche na clarificação, senão beberá uma cerveja "barrenta" demais.

212 comentários:

  1. Olá!
    Vou fazer minha primeira cerveja caseira e estou com dificuldade para comprar as garrafas de 600ml.
    Você tem algum caminho para indicar?
    Obrigado,
    Flavio Vianna

    ResponderExcluir
  2. Olá Flávio, obrigado pela visita e pelo comentário e parabéns pela sua primeira leva!
    Quanto às garrafas preciso saber onde você está.
    Há várias formas possíveis, você pode verificar com pessoas que tem engradados antigos e não utilizam mais (compramos várias caixas de garrafas assim), você pode comprar garrafas reutilizadas, em Campinas por exemplo há uma recicladora que vende garrafas de vários tipos, limpas ou sujas, você escolhe pelo preço, você pode também comprar garrafas novas na WE ou na Turma, mas dependendo de onde você está pode ficar caro por causa do frete.
    Minha dica, comece a reciclar as garrafas das cervejas que você bebe limpando-as bem assim que esvazia a mesma e guardando todas tambadas ou de ponta-cabeça.
    Me envie um e-mail (mhbreda@hotmail.com) que lhe mando os contatos dos fornecedores de garrafas.
    Continue prestigiando nosso Blog.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Como posso usar o refratometro para acompanhar a fermentação?
    Abraços
    Sergio

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Sérgio, como vai?
    Primeiro gostaria de agradecer sua visita e seu comentário.
    Essa é uma dúvida muito comum e tem uma resposta um tanto polêmica, mas em se tratando de precisão o refratômetro não deve ser utilizado para mensurar a densidade de líquidos que contenham álcool, pois a presença desse elemento causará distorções na leitura e isso pode ser facilmente verificado nos manuais de instruções de uso que acompanha a maioria dos refratômetros.
    Embora algumas pessoas o utilizem aplicando fatores de correção e até regulando o instrumento para leituras com álcool, minha sugestão é que você utilize o densímetro de massa para ter mais precisão em suas leituras. O refratômetro é um equipamento fantástico para a brassagem/fervura, pois acelera muito a obtenção dos valores de densidade durante esses processos por utilizar algumas gotas de mosto e, ao contrário do densímetro, leva um ou dois minutos para resfriar a 20°C (temperatura ideal da medição).
    Me desculpe pela demora na resposta, procuro responder o mais rápido que posso, mas não foi possível fazê-lo antes. Como não tenho seu e-mail, espero que volte a acessar o Blog e veja a resposta.
    Prosit!!!

    ResponderExcluir
  5. Oi,
    Estou começando a fazer cerveja e já está na hora de fazer o priming. Preciso saber em que quantidade de água devo dissolver a high maltose.
    Abçs!

    ResponderExcluir
  6. Olá anônimo, obrigado pela visita e pelo comentário.
    Não utilizo high maltose e não sei exatamente quais as características do produto que você tem em mãos, mas partindo do pressuposto que a high maltose tem 95% de açúcares fermentecíveis e que o açúcar invertido tem entre 90-93%, você pode utilizar os mesmos 09 gramas por litro de mosto para uma fermentação de 10 dias à temperatura ambiente. Não se esqueça de engarrafar alguns testes em long necks ou garrafas de 300ml para verificar a carbonatação por volta do sétimo dia.
    Continue acessando nosso blog.
    Prosit!!!

    ResponderExcluir
  7. Ok! A quantidade de high maltose por litro eu sei, só não sei em quanto de água devo dissolver e levar à fervura para, depois de frio, acrescentar ao mosto. Tenho receio de acrescentar muita água... essa etapa eu realmente não sei bem como fazer... Obrigada!
    Adriana

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Oi Breda... eu de novo!
    Pois é... seguindo outras orientações, utilizamos 200g de high maltose (cálculo de 8g/L, para 25L)chegando a um total de 600ml de solução pronta... muito diluído!
    Será que está tudo perdido, uma vez que não está subindo a pressão no manômetro (faz 10 dias exatamente e ela não passa de 0,7 bar)?
    Abraços,
    Adriana

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Oi Breda!!
    Fiquei animada com a tua resposta... estava bem deprê ontem, pois a expectativa de uma primeira leva é grande!
    Problemas com contaminação creio que nao é. Sanitizamos até o que não precisava! Usamos ácido peracético, luvas, máscaras, toucas e até jaleco super limpo... o zelo foi demais, um verdadeiro exagero! A high maltose é da WE Consultoria, dentro da validade, mas não há especificação das concentrações na embalagem. A conservamos dentro da geladeira. O fabricante é Corn Products, de São Paulo. Vamos fazer o que tu sugeriste e ver o que acontece.
    Daremos notícias!
    Abraços e obrigada,
    Adriana

    ResponderExcluir
  12. OK Adriana, espero que corra tudo bem e aguardo notícias.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Olá Adriana!
    Vamos lá, usando 9g/l de high maltose basta você diluir na mesma proporção de água, ou seja, para uma leva de 20 litros você utilizará 180g de high maltose diluindo-a em 180ml de água (utilize no máximo 250ml por causa da evaporação), deve ter uma consistência mais "rala" do que a do mel de laranjeira (aquele clarinho), ferva a mistura por 01 minuto mexendo sempre, desigue o fogo e deixe esfriar. Misture essa calda nos 20 litros de de cerveja, mexa bem para distribuir por igual e engarrafe. Deixe as garrafas por 10 dias à temperatura ambiente para carbonatar.
    Tendo mais alguma dúvida, fique à vontade.
    Continue acessando nosso Blog.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  15. Então Adriana, não foi a quantidade de água, disso tenho certeza, pois 400 ou 600ml a mais não prejudicariam sua cerveja. Também não considero que tenha sido a quantidade de high maltose, pois de 8 para 9g/l não seria prejudicial para a carbonatação.
    Como te disse, preciso de mais informações sobre qual high maltose está utilizando, fornecedor e teor de concentração de açúcares fermetecíveis para que possa ver se a quantidade deveria ser maior.
    Falando de tudo estar perdido, não posso afirmar que SIM nem que NÃO, pois muita coisa pode ter influenciado, uma contaminação, por exemplo. O que sugiro que você faça é abrir algumas garrafas, colocar 3g de high maltose sem diluir em cada garrafa de 500 ou 600ml com uma seringa, se forem de 300ml coloque 1,5g, mas isso vai depender da concentração do produto que você está usando. Tampe-as novamente e espere mais alguns dias e vá acompanhando com o manômetro a evolução da pressão. Aconselho também que você faça um pouco de candi sugar e teste em outras garrafas para comparar, assim saberemos pelo menos se você deve aumentar o volume de high maltose por litro de cerveja na próxima vez.
    Me mantenha informado.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  16. Oi Adriana, preciso lhe fazer uma pergunta que ainda não fiz, mas que pode alterar minha sugestão.
    A que temperatura suas garrafas estão há 10 dias?
    Se estiverem a temperatura ambiente (entre 15-24°C) OK, faça aquilo que recomendei. Se estiverem na geladeira (7°C ou menos) não abra as garrafas para adicionar mais high maltose, simplesmente as deixe à temperatura ambiente por mais alguns dias e a pressão aumentará.
    Isso se deve ao fato de que a temperatura de trabalho do fermento (ALE) é de 15-24°C, aliás, qual fermento você utilizou e qual tipo de cerveja fez?
    Espero que entre no blog, pois não tenho seu e-mail.
    Prosit!!!

    ResponderExcluir
  17. Oi Breda!
    Demorei pra responder pq estava tentando consertar o priming. Enfim, o que fiz foi abrir as garrafas e colocar 7 g de high maltose por litro, em solução como na primeira vez. As garrafas estavam à temperatura ambiente. Isso faz uma semana. Infelizmente não deu certo, a pressão caiu a zero. Tenho certeza de que não houve contaminação, tamanho cuidado que tivemos. Uma pena, porque o sabor está 10!... mas sem gás não dá! Vamos ter que fazer outra leva.
    Te agradeço muito pelas dicas, muito mesmo!
    Se quiseres escrever, meu mail é adrifw@terra.com.br.
    Um grande abraço!
    Adriana

    ResponderExcluir
  18. Fala Breda, tudo jóia?
    Nós também vendemos parte de nossas levas, com o intuito primário de custear novas levas. Pensamos em adicionar um rótulo, pois... pô! Quem faz cerveja e não fica pensando no seu rótulo, existe este alguém?
    Tu já usou rótulos na sua cerveja, saiu caro?
    Um baita abraço. É um dos melhores blogs pra, quem não conhece, ser inserido nessa cultura, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também estou interessado em colocar rótulos nas minhas cervas. Ainda não sei a quem recorrer.

      Excluir
    2. É verdade Cássio, a cerveja precisa de identidade para estar completa, mas eh caro sim, começa pelo papel que para ser adequado custa mais caro qu o comum, a impressão para ser apresentável precisa ser feita em gráfica e, para valer apena a quantidade a ser feita tem que superar as 500 unidades por tipo de rótulo, os mais compensadores pedem tiragem mínima de 5.000, logo, perceba que não eh barato, pelo menos eu não acho.
      Forte abraço e boas cervejas.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  19. Oi Adriana, como vai?
    Que pena mesmo, mas vc tentou algumas garrafas com açúcar invertido pra comparar?
    Quer me mandar uma ou duas amostras para que eu veja se tem algum contaminante?
    Pode me enviar nas garrafas mesmo, assim tenho mais material pra verificar. No mais, vc poderia tentar uma última alternativa, conhece alguém que tem barril de inox com extratora e cilindro de CO2? Você pode fazer uma carbonatação forçada e verificar como ela fica.
    Se estivéssemos mais perto sería legal pegar uns cinco litros com você e testar num barril pequeno que temos.
    Analise as possibilidades, mas não jogue nada fora, se nada der certo, nem de me enviar nem a carbonatação forçada, destile a cerveja, assim, pelo menos, você aproveite o álcool de cereais que produziu.
    Tendo interesse te mando um esquema de destilador caseiro, dá um pouco de medo mas com cuidado funciona.
    Continue em contato.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  20. Olá Cassio, como está a produção? E as vendas?
    Muito obrigado pelo acesso, pelo comentário e pelos elogios. Procuro realmente escrever para aqueles que buscam conhecimento e não o encontram com a facilidade desejada. Fico feliz por estar atingindo este objetivo.
    Vamos lá, já temos rótulos sim, mas as meninas sairão com a roupagem somente neste natal. Aliás, você acertou no assunto, em breve (semana que vem ou mais tardar na outra) teremos um post especial sobre nossos rótulos. Não sei o que sería considerado caro pela maioria do pessoal, mas não acho que seja nenhum absurdo. O que vai definir o custo do seu rótulo será o tipo de papel, as cores (quantidade de cores e tipos, por exemplo, dourado e prateado são bem mais caros), a quantidade de papel por garrafa (rótulo, contra-rótulo, pescoço, tampa) e se será auto-adesivo ou não. Considerando materiais mais simples e somente o rótulo (frontal), isso tudo deve girar em torno de R$ 1,00 a R$ 2,00 por garrafa, mas se você fizer umas 1.500 unidades com "uma" cor impressa e o papel de fundo já escolhido como segunda cor. Considere também que você terá que arcar com os custos da ferramenta de corte (faca) se seu rótulo for algo diferente de um padrão retangular de tamanho comercial já definido.
    Continue prestigiando nosso Blog.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  21. Ola BREDA, pareabens pelo blog, e obrigado pelo tempo disponibilizado para nós meros aprendizes. Queria saber o seguinte como fazemos para sanitarizar os equipamento, ou seja, os produtos que podemos utilizar. Estive lendo e vi que metabissulfito e hipoclorito (agua sanitaria) poderiam sanitarizar.

    abraço

    Danilo

    ResponderExcluir
  22. Obrigado Danilo esse é meu objetivo!
    Realmente o Metabissulfito pode ser utilizado, mas em geral não é uma opção muito boa por ter um forte odor quando em contato com a água.
    O mais comumente utilizado pelo pessoal da cerveja artesanal é o ácido peracético, principalmente na versão em pó, é fácil de usar e armazenar, não causa problemas de contato ou de ingestão e seu grau de oxidação é extremamente baixo. Já o hipoclorito pode ser utilizado em dosagem muito baixa (1% ou menos) mas demandará enxágue com água, por isso entendo que você perderia sua sanitização plena ou correria o risco de ter cloro resídual na sua cerveja. Há também quem utilize o Iodofor que entendo ser mais adequado que os dois citados por você, principalmente pelo fato de que 3 minutos de contato já bastam.
    Eu, particularmente, fico com o peracético em pó pela praticidade.
    Continue acessando, divulgando e prestigiando nosso Blog.
    Prosit!!!

    ResponderExcluir
  23. Oi Breda! Parabens pelo site.

    Em breve estarei trilhando este mesmo caminho e com certeza seu site será fundamental.

    Li alguns tutoriais, foruns, o howtobrew, e todos eles indicam que a oxigenação no processo de primming é prejudicial.

    Voce indica que a calda de açucar seja vigorosamente misturada à cerveja antes de engarrafar para garantir a homogeneidade do açucar e da levedura entre as garrafas... isto nao provocaria a tão temida oxigenação?
    O que diz sua experiencia?

    Valeu!

    ResponderExcluir
  24. Olá João Paulo, como vai?
    Desculpe a demora na resposta, a brassagem do final de semana foi corrida e ainda tivemos um trabalho extra devido há um lote de tampinhas defeituosas que recebemos.
    Com relação ao priming a recomendação de misturar com vigor permanece.
    Devemos entender misturar como mexer, mas de forma contínua e sem causar tumultos ou bater a cerveja, ou seja, não se deve levantar espuma ou bolhas, mas mexer bem de forma que o priming que você adicionou à cerveja seja misturado homogeneamente à mesma evitando que parte se deposite no fundo e que suas garrafas tenham ora muito ou ora pouco açúcar e consequentemente pouca fermentação secundária e pouca carbonatação.
    Falando de oxigenação e oxidação, de fato a oxigenação excessiva nesse momento será prejudicial, pois poderá causar a oxidação de sua cerveja, contudo sabemos que em uma quantidade pequena esse oxigênio será consumido pelas leveduras em um primeiro estágio de multiplicação que precederá a fermentação secundária no interior da garrafa.
    Para encerrar, misture com vigor sim, mas não bata ou “espume” sua cerveja.
    Espero que tenha ficado claro.
    Continue enviando suas dúvidas.
    Prosit!!!

    ResponderExcluir
  25. Oi Breda, Parabéns pelo site.
    Fiz minha primeira leva, segui todos os passos, mas acho que está ocorrendo um problema com o repouso após o envase, pois a pressão do manômetro estagnou em 0,8 bar. A impressão que tenho é que não está ocorrendo carbonatação. Para o primming, foi dosado 0,8g de high maltose para cada litro de cerveja, feita a calda conforme instruções do fabricante (Corn Products Brasil, SP) e bem misturado no enchimento.
    No rótulo do produto, consta a seguinte informação: “Manter as garrafas em temperatura ambiente até a garrafa piloto atingir uma pressão de 0,8 a 1,0 Kg/cm².” Mas a unidade de medida do manômetro que tenho é bar, (sendo 1 bar ≈ 1,0197 Kg/cm² então 0,8 bar ≈ 0,81576 Kg/cm²) segundo esta conversão, estaria atingindo a pressão correta, conforme indicada no rótulo da embalagem do High maltose, mas nos tutoriais que pesquisei na internet e também em informações de outros cervejeiros caseiros, a pressão deve atingir 1,5 a 2,0 atm (sendo
    1,5 atm ≈ 1,520 bar ≈ 1,519 Kg/cm² e
    2,0 atm ≈ 2,026 bar ≈ 1,967 Kg/cm²) antes de ir para o refrigerador para maturar a 0°C, e que deveria levar em torno de 4 dias para atingir esta pressão, segundo esta informação, a pressão das minhas garrafas estaria muito baixa. Já faz 5 dias que foi envasado e a pressão continua em 0,8 bar (≈0,789 atm ≈0,81576 Kg/cm²) , será que minha cerveja vai ficar sem gás? Quais são as medidas e unidades corretas da pressão e quanto tempo demora aproximadamente para atingí-la? Se esperar demais para levá-la ao refrigerador vai estragar tudo? Se estiver errado, será possível reparar?
    Obrigada.
    Michelle

    ResponderExcluir
  26. Olá Michelle, tudo bem?
    Primeiramente parabéns! Não é fácil termos mulheres no meio cervejeiro. Em segundo lugar, obrigado por acessar o Blog e comentar conosco.
    Tudo bem com relação ao seu processo, aguarde mais um pouco, sempre oriento deixar algumas garrafas menores ( 3 ou 4 de 300ml) como teste em cada lote de envase para que, além do manômetro piloto para verificar a pressão você possa também saber como está a carbonatação no líquido, a textura da espuma e o sabor da cerveja na degustação. Procuro abrir a primeira amostra no sétimo dia e se tudo estiver de acordo já gelamos todas elas para prepará-las para a pasteurização, caso ainda julgue que falta alguma coisa como espuma, carbonatação ou incorporação, deixo mais dis dias e vou abrindo os outros testes a cada período. Até hoje não precisamos abrir mais de dois.
    Minha sugestão, espere até o sétimo (que pelo seu comentário já passou) abra uma garrafa, experimente e decida se deve aguardar mais um pouco, contudo, sua secundária pelas informações que me passou está OK.
    Nós deixamos as garrafas em secundária por 10 dias.
    Continue nos prestigiando.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  27. Preciso de uma orientação. É a minha primeira vez que estou fazendo cerveja (pilsen) e estou com uma duvida e queria saber se vc pode me ajudar. Fiz todo o precesso corretamente, só que nao estou vendo fermentar a cerveja pela air lock. Queria saber se o fermento demora para começar a reagir, caso for imediato, o porque que a minha ainda nao esta fermentando, pois terminei o processo no dia 02/11 as 20:00 hrs.

    Grato pela ajuda

    Danilo Felippe

    ResponderExcluir
  28. breda abri o tanque de fermentação e senti o cheiro do mosto sem fermentação . será que eu matei os bichinhos? nao estou vendo nenhum tipo de fermentação. Tem algum teste que eu possa fazer. Será que houve algum tipo de contaninação? Me da uma luz. Abraço Danilo

    ResponderExcluir
  29. Olá Danilo, tudo bem? Que legal, também brassamos uma Bohemian Pilsener neste feriado.
    Antes de responder sua pergunta preciso te fazer algumas, para não ficar chutandó. Me diga o seguinte:
    1. Qual fermento utilizou?
    2. Quanto fermento utilizou e em quantos litros de mosto?
    3. A que temperatura estava o mosto ou a água em que você ativou o fermento?
    4. A que temperatura você está fermentando sua cerveja?
    5. A exatamente quantas horas você inoculou o fermento no mosto?

    Como estamos falando de baixa fermentação é comum o fermento levar algo em torno de 24h para começar a dar sinal, isso em condições adequadas, eles são mais lentos que os Ales mesmo. Há também a hipótese de estar ocorrendo fermentação mas o fermentador na entrada do seu airlock não estar bem vedado deixando assim escapar CO2 por outras aberturas.
    Se você utiliza galões de água como fermentados e consegue ver a cerveja em seu interior observe se há a formação de espuma, se houver você tem fermentação ativa mas está com algum vazamento.
    Seria legal me enviar uma foto do seu airlock pra eu poder te orientar melhor.
    Mande as respostas assim que possível e espero que nesse intervalo sua pilsen já tenha começado a borbulhar.
    Fico no aguardo.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  30. Calma Danilo, vamos com calma. Primeiro preciso das respostas que te fiz há pouco.
    Se julgar mais fácil, mande e-mail para mhbreda@hotmail.com assim posso responder mais rápido.
    Fique trnaquilo, se não foi uma contaminação da pesada vamos resolver.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  31. Perguntinha pessoal: Onde vocês compram as garrafas???

    Abraços!

    MArco Aurélio - Kessbier

    ResponderExcluir
  32. Marco você pode encontrar garrafas em vários lugares, mas dependendo de onde você está geograficamente não será qualquer fornecedor adequado ao seu objetivo, me envie um e-mail para que eu te indique os fornecedores mais próximos.
    De qualquer forma a WE, a Turma e a Embavidro são sempre opções.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  33. Oi, Breda.
    Tenho ótimas notícias. A primeira leva pegou pressão de um dia para o outro, na região onde moro a temperatura ambiente vinha se mantendo em torno de 22°C e em um dia fez um calorão de 30°C. Eu havia perdido as esperanças e decidido colocar as garrafas para maturar no refrigerador à 0°C, cheguei a colocá-las por uns dois dias, e a pressão caiu a zero, então resolvi tirar e esperar mais um pouco, foi quando ocorreu este aumento de temperatura ambiente , aí pensei: agora estragou tudo mesmo, mas no outro dia o manômetro já havia passado de 1 bar. Bom, aí esperei mais alguns dias e a pressão continuou subindo, então quando atingiu finalmente a marca de 2,8 bar coloquei-as para maturação, hj faz 7 dias, o manômetro indica 1 bar, ontém (no sexto dia) abri uma para ver como estava a situação, e para minha surpresa, está quase perfeita, com gás, com espuma, cor aroma e sabor maravilhosos. Vou deixar maturar mais uma semana para ficar ainda melhor. Não acreditei quando enxerguei toda aquela espuma cremosa e as bolhas de gás!!! Agora estou sofrendo com a segunda leva, que apresenta os mesmos problemas desta primeira. Será que a temperatura após engarrafar está incorreta? A pressão só começou a subir quando a a temperatura ambiente aumentou. Estou fazendo alguma coisa errada nesta fase da produção e não consigo identificar. Alguma ideia?
    Obrigada.
    Michelle.

    ResponderExcluir
  34. Olá Michelle, que bom, ótimas notícias mesmo, parabéns mais uma vez.
    Como falamos anteriormente, a cerveja depois de engarrafas com priming precisará passar por essa fermentação secundária para carbonatar. Essa carbonatação precisa acontecer na temperatura de trabalho do fermento, ou seja, se fez uma cerveja de alta precisa estar entre 15 e 22°C. Não acredito que tenha ocorrido em um único dia, mesmo porque a 30°C as leveduras não têm um desempenho muito bom, mas se abriu uma amostra no sexto e estava "quase perfeita" para você, pode deixar mais 3 dias para atingir os 10 recomendados ou gelá-las hoje mesmo se julgar que não precisa de mais carbonatação.
    Sua segunda leva está a quantos dias na secundária (engarrafada)?
    Não acredito que esteja fazendo nada de errado, apenas deve estar um pouco ansiosa com os resultados.
    Observe a evolução da segunda leva pelo mesmo prazo de 10 dias a temperatura ambiente e verifique se durante a noite onde as garrafas estão você não tem uma queda muito grande de temperatura, isso pode estar retardando a secundária. O ideal seria mantê-las em um ambiente estável entre 15-22°C para ter uma evolução adequada (até 25°C passa).
    Observe e nos envie os resultados.
    Se puder, envie fotos de sua cerveja carbonatada para apreciarmos por e-mail mhbreda@hotmail.com .
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  35. ola breda meu nome e rogerio primeiro gostaria de parabenizar voces pelo carinho e respeito ao nossos amigos gostaria de saber se voces ministam algum curso pois gostaria muito de poder fazer um curso com voces desde ja lhe agradeço

    ResponderExcluir
  36. Olá Breda.

    Sim, continuo acessando o blog, obrigada pelas dicas sobre primming,e sim, continuo fazendo cerveja. Passado o susto e ansiedade da primeira leva, agora ficou mais fácil.
    A segunda até que ficou boazinha, usei High maltose, depois de muito tempo ela até que pegou pressão e o gás incorporou bem, mas das garrafas que foram abertas até agora, a metade praticamente, mais pareciam um chá do que cerveja e o estranho é que o restante delas ficou boa. Errei em alguma coisa.
    A terceira foi uma Red Ale, para esta usei açúcar mascavo como primming, funcionou muito bem, a cerveja ficou muito boa, desta todas as garrafas até agora foram aproveitadas.
    E, domingo, 28 de novembro, fiz a quarta cerveja, para esta decidi usar açúcar demerara, foi engarrafada na quinta feira (02/12/2010) e está correndo tudo direitinho até o momento.
    Vou providenciar novas fotos.
    Abraço.
    Michelle.

    ResponderExcluir
  37. Olá Michelle, bom saber que continua acessando nosso blog e que tem utilizado as postagens em seu aprendizado.
    Nós preferimos muito mais o açúcar cristal, mas o demerara é um tipo muito bom também (bem próximo) e o mascavo dá excelentes resultados em cervejas escuras, experimente em uma Stout, você vai gostar. A causa da heterogeneidade é um pouco difícil de identificar principalmente se você dilui a calda para o priming no balde/meturador antes do engarrafamento, se coloca de garrafa em garrafa pode ser uma pista. As tampagens são também uma possibilidade, já tivemos problemas com um lote de tampas que o fornecedor nos vendeu com defeito, as cervejas nã carbonatavam porque o CO2 escapava por falta de vedação.
    Mas fico contente, já obteve bons resultados at´´e agora e na minha opinião, não vai abandonar o açúcar tão cedo.
    Parabéns.
    aguardo as fotos das cervejas!
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  38. Olá Rogério, obrigado pela visita, pelo cometário e pelos elogios!
    Ministramos sim, entre em contato através do e-mail: mhbreda@hotmail.com e trocamos maiores detalhes.
    Continue acessando nosso blog.
    Forte abraço.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  39. Oi breda, desculpe ser tão direto, mas se não meengano eu vi a montagem das suas tampas swingtop aqui no blog. Mas procurando novamente não as encontro. sera que você poderia me dar uma luz?

    Grato Lucas.

    ResponderExcluir
  40. Oi Lucas, elas aparecem na última postagem http://brejadobreda.blogspot.com/2010/12/quintos-tripel-b.html.
    Dê uma olhada.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  41. Grande Breda,

    Quero deixar um depoimento aqui no blog da ajuda que você me deu durante estes últimos dois meses. Tudo começou quando quis dar uma de mestre cervejeiro e começar a produzir cerveja. Procurei onde comprar as matérias primas para a produção, comprei umas apostilas com vídeos e até agora os vídeos não chegaram, pois o cara que me vendeu até hoje nem me deu satisfação . Neste intervalo de tempo já tinha começado a produzir minha primeira leva, uma Pilsen. Comprei três kits, dois de Pilsen e um de American Pale Ale. Com três dias após ter colocado o mosto para fermentar não tinha acontecido nada, foi então que decidi mandar um post em seu blog, logo fui respondido e ai percebemos que o fermento não estava fermentando. Daí, começamos a tentar salvar o mosto. Até salvamos, mas a qualidade foi péssima, pois ficou mais de 10 dias sem nenhuma fermentação além de outras contaminações. Foram mais de 130 e-mails trocados (nem com minha namorada já fiz isso, kkkkkkkkk) sempre trocando informações de grande valor para que você pudesse me ajudar a fabricar cerveja, detalhe tudo isso sem ao menos sequer falarmos por telefone e sem gastar R$ 1,00 com estas informações. Segundo você me disse fui o primeiro aluno virtual, e pode ter certeza fui muito bem orientado, resultado disso é a qualidade da cerveja que saiu desta ultima vez uma American Pale Ale, só sobrou a sua (e estavam até querendo comprá-la) que estarei levando por estes dias, para ser analisada, e que analise que é feita não deixa passar nada, vai ter paladar bom lá longe kkkkkk.
    Hoje, estou com uma Pilsen já decantando o fermento que espero até o começo do ano estar com ela engarrafada. Além disso, já estou com os ingredientes das duas receitas que você me passou comprado, uma Red Ale, e uma Stout (com um toque de cacau, conforme eu pedi), só esperando uma sair do refrigerador para a outra entrar.
    Como eu lhe disse fico muito grato pela ajuda prestada e que ainda irá me prestar kkkkk. Como você me disse, o seu objetivo é dedicar boa parte do seu tempo a este serviço, mas AINDA não consegue. Pode ter certeza que quando isto acontecer o SUCESSO vai ser ainda maior. Já estou convidando uma galera para irmos no mês de fevereiro fazer agora o primeiro curso presencial da Equipe Breja do Breda para pegarmos uns macetes .
    Ah, não vai se esquecer que no dia 04/01 ou 05/01 estarei ai em SP para que eu possa lhe pagar um almoço, não como forma de pagamento, mas sim pela ajuda prestada.
    Feliz Natal e um Ano Novo muito próspero, com muita alegria e CERVEJA no copo.

    Abraço

    Danilo

    ResponderExcluir
  42. Olá breda.

    Primeiro, Feliz Natal e próspero ano novo para vc, amigos, família e nossas cervejas, haha.

    Fiz mais cervejas, já enviei as fotos por e-mail. Todas ficaram boas, em especial a Kölsch.
    Aproveitando, vc sbe se existe alguma maneira de armazená-las, sem ter que pasteurizar? Eu não tenho feito a pasteurização e meu problema tem sido espaço, posto que só disponho de um freezer e uma geladeira comum. Andei lendo alguns artigos e falam que tem que filtrar o fermento após a fermentação para poder engarrafar com CO2 artificial e poder deixá-las fora do gelo cruas(como as garrafinhas de DAB) mas não quero usar artificial, e estou me preparando para tentar fazer uma conforme a lei de pureza alemã.
    E, como agora chegou o verão, tenho conseguido manter uma temperatura quase constante em torno de 24ºC para a fermentação, com muito esforço e gelo, pois tem feito dias muito quentes, aproximadamente 30ºC, se ultrapassar a temperatura ideal de fermentação que, segundo me informei, é de até 24ºC, aceitável até 26ºC, que tipo de reações acontecem e que tipo de produtos indesejáveis são obtidos? Tentei estudar sobre isto, mas ainda sou péssima em química.

    Abraço, mais uma vez, obrigada pelas dicas, parabéns pelo Blog e boas festas!
    Abraço,
    Michelle.

    ResponderExcluir
  43. Olá Danilo, como vai?
    Realmente foi um verdadeiro curso à distância, por e-mail e sem que eu pudesse realmente olhar qualquer fase do processo, mas os resultados foram gratificantes e pude observar pelas fotos da cerveja que você "ainda" irá me trazer que o aprendizado foi muito bom
    Seu comentário-depoimento é muito importante para o Blog e para nossos amigos leitores para que possam tirar suas dúvidas e corrigir seus problemas sem nenhum receio.
    Nos vemos em janeiro/2011.
    Um forte abraço e um brinde.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  44. Olá Michelle, tudo bem?
    Realmente suas cervejas estão ótimas nas fotos e parecem estar deliciosas também, meus parabéns!
    Com relação à temperatura de fermentação, falando de ALEs a temperatura de "trabalho" varia de 15°C a 22°C, se você estiver utilizando fermentos desidratados poderá verificar no sachet (da fermentis, por exemplo) essa informação.
    Quando você fala de 24-26°C já está um pouco acima do ideal, além disso precisa observar se essa é a temperatura ambiente ou a do tanque, pois normalmente nessa fase de fermentação tumultuosa (principalmente nos primeiros dias) o tanque estará 2-3°C acima do ambiente (ou até mais em locais quentes e no verão), por isso exagerando no exemplo, sua cerveja no tanque pode estar a quase a 30°C se o ambiente estiver a 26°C.
    Se conseguir deixá-la no freezer com um termostato digital (nós usamos) pode deixar a temperatura em 19°C que sua cerveja fermentará entre 19-22°C sem problemas.
    Falando em problemas, a temperatura alta sozinha não vai estragar sua cerveja, mas acelera o metabolismo da levedura, isto fará com que sua cerveja tenha ésteres no aroma, mais comumente frutados (abacaxi, banana, pêra) que não são prejudiciais se forem leves, porém podem aparecer aromas como solventes (lembrando acetona, por exemplo) e aí você terá problemas mais sérios de aceitação.
    Fermentações a altas temperaturas aumentam também a presença de alcoóis superiores o que traz aquele "spicy" à cerveja e, em alguns casos menos comuns, até um aroma que lembra o vinho, esses alcoóis podem causar dores de cabeça nos consumidores da sua cerveja. Em cervejas mais fortes você encontra com mais frequência alcoóis superiores, mas sua percepção não é desejável em cervejas de OGs baixas e médias.
    Minha sugestão, tente manter sua fermentação em no máximo 22°C (para ALEs) e lembre-se que o tanque estará mais quente que o ambiente.
    Por fim, sobre não pasteurizar e deixar fora da geladeira, já fizemos muitos testes e temos cervejas nessa situação há meses, sendo que abrimos uma ou outra a cada mês para verificar seu estado. Na postagem sobre priming falo um pouco disso, mas no geral não tivemos ainda problemas de explosão (salvo a provocada intencionalmente como experimento) e nenhuma cerveja estragou. Contudo isso depende muito de como foi seu processo de sanitização, afirmações nesse campo são problemáticas. Porém se considerarmos que você não contaminou sua cerveja e sabe que irá armazená-la por um bom período fora da geladeira, tente decantá-la ao máximo na maturação para que não haja excesso de levedura nas garrafas; procure fazer um priming adequado para o estilo (não exceda o recomendado); certifique-se de que as garrafas são novas e não possuem defeitos; tampe-as muito bem e mantenha-as em local seguro, fresco e ventilado, mas longe da luz.
    Se sua cerveja estiver bem decantada você poderá armazená-la por um bom tempo fora da geladeira, mas tenha cuidado para ninguém se machucar.
    Como precaução você pode também reduzir seu volume de priming em 30% mas tenha certeza de que são cervejas que ficarão mais tempo guardadas, pois podem ter baixa carbonatação se abertas em poucos dias.
    No mais, não há nenhum prejuízo em se fazer a carbonatação forçada e isso não fará com que sua cerveja esteja fora de lei de pureza, aliás, se você faz cerveja somente com água, malte, lúpulo e levedura, já está fazendo cerveja "dentro da lei" e se fizer o priming (dessas que deseja guardar sem refrigeração) com mosto sem lúpulo (ver proporção na postagem sobre priming) estará mais dentro ainda.
    Espero ter ajudado.
    Qualquer dúvida me avise.
    Feliz 2011!
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  45. E ai Breda blz,

    Quero deixar postado aqui que foi um prazer lhe conhecer pessoalmente, e lhe agradecer por toda a atenção dedicada a todos aqui do blog. Agora estou esperando chegar sabadao para fazer aquela receita da Stout que me passou.

    Abraço

    Danilo

    ResponderExcluir
  46. Breda,

    Eu poderia fazer uma filtragem do mosto após a fervura para ajuda na retirada do trub?
    Obrigado desde já.
    Abraço

    ResponderExcluir
  47. Caro Alexandre, o praxe nesse momento é fazer um bom whirpool e não uma filtragem. Existem substâncias em suspensão no mosto que ainda queremos para a fermentação, assim, se você filtrasse o mosto poderia estar retendo-nas e prejudicando sua fermentação. Além disso uma filtragem entre a fervura e o resfriamento seria um ponto de contaminação.
    Minha sugestão é que você utilize um whirflock nos 20 minutos finais de sua fervura e proceda um bom whirpol. Desta forma terá uma decantação muito boa do seu trüb.

    Aproveitando:

    Para completar faça a retirada do mosto para resfriamento de forma a evitar ao máximo que parte desse trüb seja enviado para seu fermentador. Combine com uma retirada bem feita do fermento após o período de primária e uma trasfega no meio da maturação. Assim vc terá uma cervej bem limpa. Quando for engarrafar, faça uma nova trasfega para pisturar seu priming, vc observará que houve mais outra decantação, leve. Se fizer no mínimo esses passos terá uma cerveja bem límpida.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  48. ola, tudo bem? gostaria de saber a temperatura ideal para fermentação da weiss bier,, obrigado!

    ResponderExcluir
  49. Como vai An^nimo, tudo bem? Obrigado por acessar o Blog e por enviar sua dúvida.
    Por se tratar de cerveja de alta fermentação o range de temperatura de trabalho fica entre 15 e 22°C. Se utiliza fermentos da fermentis, por exemplo, você encontrará essa informação no verso do sachet.
    Muito importante frisar que altas temperaturas de fermentação podem "afetar o equilíbrio e produzir off-flavors" indesejados em sua cerveja.
    Continue acessando nosso blog e enviando suas dúvidas.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  50. Olá Breda...
    Pela primeira vez estou pedindo sua ajuda.Já estou "tentando" fazer cerveja há um ano aproximadamente, e depois de ler as dúvidas dos demais colegas do ramo, gostaria de tirar algumas da minhas dúvidas.Já fiz vários lotes de Pilsen, sempre com sucesso, claro, na primeira vez.....rsrsrs sempre é a primeira vez. Mas tive um problema, tentei fazer uma Malzbier, segui uma receita e essa me indicou que eu deveria colocar em torno de oito gotas de adoçante no balde antes de engarrafá-las, até ai tudo bem,ficou bem docinha mas depois de pronta ao abrir constatei que ficou uma STOUT, muito boa..mas não doce..a mulherada queria me linchar. Como faço p ela ficar doce? obrigado Jorge.(e-mail: amigoleal54@hotmail.com

    ResponderExcluir
  51. Olá Jorge, tudo bem? Obrigado por acessar o Blog e por enviar sua dúvida.
    Cara, essa de adoçante eu nunca vi, por curiosidade, quem lhe deu essa sugestão??? Me diga por favor.
    Bom, o negócio é o seguinte, para te dizer o que fazer preciso antes saber o que fez, para a cerveja ficar doce vc precisa ter açúcares não fermentecíveis no mosto, mas no caso da malzebier a indústria não faz bem isso. Na grande maioria delas é adicionado um caramelo de milho que além de colorir também adoça e você pode comprá-lo por aí, chama Pingobier, contudo, como artesanalmente não filtramos a cerveja e parte do fermento vai para as garrafas com o priming é provável que os açúcares do pingobier também sejam "comidos", logo restam duas coisas a fazer, a primeira é como disse aumentar os não fermentecíveis para que sua FG não seja muito baixa, mas isso deixará a cerveja um pouco mais encorpada e pode não agradar as fãs da Malzebier da mesma forma. A segunda é fazer uma lager clara como as que vc disse já ter acertado todas, fazer a fermentação primária normalmente e depois de bem decantada e removidoo fermento ao máximo, colorir com o pingo, encher com carbonatação forçada e pasteurizar.

    Me mande detalhes do seu processo e da receita pra ver se consigo ajudá-lo a fazer a primeira. A segunda é mole, basta que vc tenha o equipamento necessário.

    Prosit!!!

    Breda

    ResponderExcluir
  52. Obrigado Breda, pelas orientações, a minha dúvida é quanto ao tal de açúcar não fermantável, e onde posso adquirí-lo e também gostaria de saber mais detalhes dessa carbonatação forçada, e como se faz.Na minha tentativa de fazer uma Malz, na falta de caramelho de milho, usei caramelo de açúcar. Ela ficou boa stout, mas não doce.abraço....te enviarei a receita via e-mail.abraço...jorge.

    ResponderExcluir
  53. Olá Jorge.
    Sobre os açúcares não fermentecíveis, para que sua cerveja possa ter mais corpo e consequentemente ficar mais maltada e adocicada basta que você conduza suas brassagens à temperaturas mais altas (68-70°C), mas tome muito cuidado com seu controle de temperatura, pois um descuido e você poderá inativar suas enzimas antes da hora. Contudo não é isso que você espera em uma malz. Melhor será a segunda opção que lhe expliquei, faça uma lager clara com pouco álcool (uns 3-3,5% ABV), depois de maturada e pronta adicione o caramelo (pode ser de açúcar, mas o melhor para isso é mesmo o de milho. Para dar certo você precisa envasar com CO2 como já falamos e pasteurizar suas garrafas, caso contrário o fermento residual acabará por converter todo o açúcar possível em álcool para sobreviver.
    Como funciona a carbonatação com CO2? Dê uma olhada nos meus últimos posts "Cerveja no Barril" de 1 a 4 e terá todas as explicações de como proceder à carbonatação forçada de sua cerveja. Em breve colocarei o post sobre envase com CO2 nas garrafas. Por hora é bastante interessante que conheça os processos e componentes para colocar a sua cerveja em barris que é 60% do processo de ~enchimento das garrafas sem fazer priming.
    Continue enviando suas dúvidas.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  54. Depois de engarrafada, minha cerveja(tipo pilsen) fica com uma pequena borra no fundo da garrafa. Existe algum processo p/ evitar isso?

    ResponderExcluir
  55. Olá Volmir, como vai?
    Você deve fazer priming, certo?
    Normalmente quando fazemos priming há a formação de depósito no fundo da garrafa, além disso, como não filtramos nossas cervejas caseiras, mesmo sem priming pode haver uma pequena decantação e isso não é privilégio das lagers.
    Respondendo a sua pergunta, SIM, há coisas que você pode fazer para reduzir muito a formação desse depósito, primeiro você pode envasar sua cerveja utilizando CO2 (em meu próximo post falarei sobre isso com mais detalhes), além disso, você pode caprichar na decantação durante sua maturação e, combinando as duas reduzir muito a formação de depósitos na garrafa.
    Considerando, por exemplo, que você continue a fazer priming o depósito será inevitável, porém se fizer uma maturação adequada (tempo suficiente e temperaturas baixas) mesmo com priming sua cerveja pode ficar bem limpa.
    Fique de olho no próximo post e continue a enviar suas dúvidas.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  56. Olá breda parabéns pelo blog, estou usando fermento de alta us 05, maturando em média 2 semanas entre 20 e 24º, minhas duvidas, após a trasfega para ir a geladeira qual a temperatura ideal para ficar na geladeira? meço as densidades mas queria ter idéia correta das temperaturas, obrigado!

    ResponderExcluir
  57. Olá Paulão, tudo bem?
    Agradeço os elogios.
    Primeiro queria saber se você não se enganou com o nome do processo, você está "Maturando" entre 20-24°C? Não seria "fermentando"?
    Caso esteja maturando duas semanas a essa temperatura, precisa rever seu processo. A temperatura de maturação deve ser baixa, para Ales idealmente entre 0-2°C.
    Se estiver fermentando a essa temperatura sugiro que tente ficar na casa dos 18-20°C, mas não é necessário que sua cerveja permaneça duas semanas fermentando. Em geral, salvo algum problema, as Ales fermentam em um período de 3 a 5 dias, mas o correto é verificar se você já atingiu a densidade final (FG) desejada e se a fermentação já estabilizou para então interromper o processo baixando a temperatura.
    Me diga qual das alternativas acima corresponde à sua realidade ou se é algo diferente disso para que eu possa te auxiliar melhor.
    Obrigado pelo comentário.
    Continue acessando o Blog e enviando suas dúvidas.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  58. Breda, agora até eu mesmo to rindo da burrice, KKKKKKK é fermentandooooo, perdão fiz umas 5 vezes apenas, nos moldes antigos galões de madeira sem muito equipamento, fazia junto com minha vó que veio a falecer a pouco tempo, quando éramos criança ela fazia pra toda família usando fermento de pão aqueles de batata mesmo....com a oportunidade da internet a idéia é melhorar a cachaça KKKK,estou usando 5k de pilsen do nacional e acrescentando um pouco de maltes especiais, viena, carahell, as vezes melanoidina,geralmente estão ficando boas, mas to na dúvida depois de atingir a FG, qual as temperaturas ideias de resfriamento? estou usando o us05 nessa leva q farei no fim de semana, e Breda abusando do carinho e de seu precioso tempo em prol da humanidade cervejera, o q me encomoda é o gosto do fermento na cerveja, um amigo de internet ( troca de experiência), me disse q é pelo tempo fermentando, se atingir o FG posso resfriar e diminuir o tempo d fermentação diminuindo o gosto do fermento estou certo? poderia indicar um dos fermento tradicionais q não preveleçam tanto o gosto? t58 definitivamente não gostei, ja usei o s33 mas de todos o us05 se superou...
    muito obrigado de coração pela ajuda!!!forte abraço, seu trabalho é maravilhoso....

    ResponderExcluir
  59. Achei hj seu blog muito interessante, meus parabéns! Amigo faço cerveja a pouco tempo e sempre q fiz as pilsen não gostei muito do gosto, pois usava o t58, fiz outras receitas com vários tipos, o us05 mesmo reaproveitado q um amigo faz a lavagem do mesmo, ficou melhor de gosto, mas misturamos os maltes carapils, carahell, viena, caramunich e outros tantos, cada uma fazia um saladão, agora quero fazer uma pilsen pois os amigos me cobram muito ela, usava 5k de pilsen da agromalte aqui mesmo do paraná, esta faltando alguma coisa na minha pilsem para ficar boa? uma boa pilsen só vai malte pilsen? desde ja agradeço...

    ResponderExcluir
  60. Que é isso Paulão, nada disso, não tem essa de burrice, imaginei que fosse fermentação, mas precisava me certificar antes de te auxiliar.
    Sinto muito pela sua avó, ela devia ser uma ótima cervejeira, que nos sirva de inspiração.
    Vamos lá, se você mede a densidade já temos um ótimo diferencial. Quando atingir a FG que você deseja certifique-se de que ela estabilizou, pois às vezes você atingiu uma FG mas sua fermentação ainda não acabou, como fazer isso? Medindo a densidade e constatando que ela estabilizou por uns 3 dias, por exemplo, você fez uma cerveja com OG 1044 e quer uma FG de 1010, após o período de 5 dias de fermentação você mediu a densidade e já estava a 1010, passados 3 dias a densidade permanecia em 1010, OK, você pode resfriar sua cerveja, pois não há mais o que fermentar. Se no mesmo exemplo após 5 dias você mede a densidade e está a 1012 e depois de mais 3 dias mede novamente e está a 1010 seria mais adequado aguardar mais 3 dias e fazer nova medição para ver se estabilizou antes de gelar.
    Sobre as temperaturas, vamos separa em dois grupos:
    Fermentação
    Se for de BAIXA você deve fermentar entre 9 e 15°C (ideal 12°C);
    Se for de ALTA você deve fermentar entre 15 e 22°C (ideal 18-19°C).

    Maturação
    A maturação deve ser feita entre 0°C e 2°C, no caso das ALES você pode deixar até a 3°C e se for uma cerveja que admite ésteres aparentes como as de trigo podem chegar até a 6°C.
    No caso das de baixa procure maturas entre 0-2°C mesmo.
    Para diminuir esse sabor de fermento entendo pela breve descrição que você fez de seu processo que você pode fazer três coisas, a primeira é fermentar por menos tempo, pois duas semanas além de não ser necessário irá gerar muitos sabores e aromas indesejados, 5 dias para ALES e 10 para LAGERS são suficientes, mas observe a densidade; a segunda é adequar e controlar a temperatura de fermentação conforme informei acima, procure fermentar no centro do intervalo ou pelo menos não ultrapassar a temperatura máxima sugerida pelo produtor do fermento; a terceira é fazer uma boa decantação após a fermentação e retirar o fermento do tanque antes de começar a maturação, ou seja, quando terminar sua fermentação refrigere sua cerveja a 0-2°C por 2 ou três dias, quando seu fermento estiver todo no fundo do fermentador retire-o do tanque ou trasfegue a cerveja para outro tanque livrando-a do fermento o máximo que puder. Evite que qualquer quantidade de fermento vá para o maturador. Assim você terá uma maturação livre da possibilidade de autólise e verá que ainda assim terá mais um pouco de decantação. Após 10 ou 15 dias maturando a 0-2°C sua cerveja estará pronta para ser engarrafada, você notará que ela estará bem mais límpida e é muito provável que você tenha se livrado desses sabores.
    Por fim, você pode fazer uma lager com S-23 ou o W34/70, pois são de baixa e sua cerveja terá sabores mais suaves. Atente para o fato de que eles são mais lentos e tanto sua fermentação quanto sua maturação serão mais longas, além disso, sua fermentação precisa ocorrer entre 9 e 15°C, não se esqueça disso.
    Se quer uma ale mais neutra utilize o S-04 tenho certeza de que não irá trocá-lo mais.
    Obrigado pelos elogios e continue acessando e prestigiando nosso Blog.
    Comente aqui seus resultados após utilizar os conhecimentos adquiridos conosco.
    Forte abraço.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  61. Como vai Zé Luis, obrigado por comentar e enviar suas dúvidas.
    Olha só, se sua intenção é fazer uma "Pilsen" você precisa inicialmente fazer uma mudança fundamental na sua receita e utilizar um fermento para LAGERS. O que estou dizendo é que você, na verdade, até agora não fez efetivamente nenhuma "pilsener", mas sim Ales diversas. Sugiro que comece com o S-23 para ter uma boa experiência, contudo é importante saber que para utilizá-lo terá que ter uma temperatura de fermentação controlada que permaneça entre 9 e 15°C (preferencialmente estável em 12-13°C).
    Se tiver como fazer a fermentação controlando a temperatura você verá a diferença, fermentará por aproximadamente 10 dias e maturará por aproximadamente 15 dias.
    Sobre os maltes você pode fazer uma pilsener somente utilizando malte pilsen, mas observe que poderá ter uma espuma baixa e pouco persistente. Para melhorar a espuma utilize um pouco de maltes especiais 20% de viena ou carapils já ajudarão bem, mas não passe de 40% pois aquele amarelo claro das pilseners pode escurecer um pouco se você abusar desses outros maltes.
    Comente os resultados e envie fotos de sua próxima cerveja, essa sim uma verdadeira LAGER.
    Continue acessando nosso blog e enviando suas dúvidas.
    Abraços.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  62. Breda, sempre preciso e sábio nas dicas....
    Aqui no Paraná a água da fonte onde pegamos é muito alcalina, como faço para reduzir a alcalinidade da água, principalmente na hora da lavagem do grão? vc me deu uma bela dica da larger, pois a tempos quero fazer uma pilsen, os tempos de fermentação e maturação são esses descritos acima?, sempre pensei q ficavam meses fermentando...só fiz as ale da vida, a idéia é sempre evoluir e beber coisas de boa qualidade e alegrar os amigos q tão injetando grana na compra de maltes pra tomarem a cachaça depois,kkkkkk.
    um forte abraço e obrigado pela ajuda, são poucos q se dispõe a tirar dúvidas dos iniciantes...

    ResponderExcluir
  63. Zé, o pH bacana para cerveja deve estar entre 5.2 e 5.6 (melhor 5.2) sendo que na brassagem ocorre uma redução natural do pH em função cozimento dos grãos. Seria interessante você medir qual o pH da sua água e depois qual o pH do mosto após o término da brassagem, pode ser que você não precise fazer nada.
    Caso realmente você precise mexer no pH há produtos como o pH stabilizer (dê uma olhada aqui: http://www.highgravitybrew.com/productcart/pc/Five-Star-5-2-pH-Stabilizer-71p1490.htm ) no Brasil não sei se você vai encontrar.
    Os tempos e temperaturas são os que coloquei no outro comentário, mas é importante que vá medindo a densidade para não ter problemas, principalmente se você não tiver controle de temperatura.
    O objetivo do Blog é exatamente esse ajudar quem precisa de informação, iniciantes ou não.
    Continue acessando nosso Blog e não se esqueça de comentar os resultados depois.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  64. Olá Breda, tudo bem?
    Estou com algumas dúvidas sobre cerveja Lager...
    Tenho um fornecedor aqui na minha cidade que tem o fermento Diamond Lager da Lallemand.
    Pois bem, tentei fazer uma pilsen com este fermento porém o resultado eu acho que não foi muito feliz...
    Não sei se é algum erro meu, ou algum problema do fermento...
    O fato é que a cerveja fermentou por 12 dias a 12 graus, e maturou por 15 dias a 2 graus.
    Após isso, o que tenho é uma cerveja com um cheiro forte e enjoado e o sabor ficou forte, doce, enjoado... nem de perto o que eu esperava...
    O que voce acha que pode ter acontecido? contaminação? se for isso, por acaso as Lager sofrem mais com o problema de contaminação que as Ale? Pq as minhas Pale Ale e Blond Ale até agora sempre ficaram excelentes...
    Detalhe, esta é a segunda vez que tento fazer uma Lager com este fermento e dá o mesmo resultado...
    Obrigado,
    Cesar.

    ResponderExcluir
  65. Como vai Cesar?
    Obrigado pelo comentário, continue enviando suas dúvidas.
    Particularmente nunca utilizei o Diamond, mas já ouvi comentários a respeito dele e que tratam exatamente de aromas indesejáveis em excesso e de uma floculação muito baixa, o que deixaria a cerveja turva demais e com sabor residual de fermento, mas como disse, nunca o utilizei, penso até em fazer um teste para poder dar uma opinião própria, me envie o contato desse fornecedor para que eu possa pedir alguns sachets para experimentos.
    Sobre seu processo, fermentar 12 dias não quer dizer que está finalizada a fermentação, os fermentos de baixa são mais lentos e a 12°C, embora seja uma temperatura ideal, pode ser ainda mais demorado, mas cerveja é paciência. O que preciso saber é se a densidade final que você planejou foi alcançada e se após atingí-la você deixou a cerveja à temperatura de fermentação (12°C no seu caso) por mais um ou dois dias para certificar-se de que a FG estabilizou e realmente a fermentação estava concluída. Essa é uma boa prática. E recomendo segui-la.
    O sabor doce e aroma enjoativo podem ser exatamente uma fermentação incompleta, mas não necessariamente o são, precisaria de mais informações sobre sua brassagem, ingredientes e OG para te ajudar.
    Para afirmar se foi contaminação preciso analisar uma amostra, se puder enviar será muito interessante, contudo, pelo que você descreve aparentemente não, mas não posso afirmar sem analisar.
    Contaminação é contaminação, teoricamente não há um maior risco nas lagers, mas pelo longo tempo de fermentação e maturação a probabilidade de contaminação aumenta um pouco, já que a cerveja fica mais tempo no tanque.
    As lagers são mesmo mais difíceis de fazer até pela demora e por serem mais sensíveis, já que na maioria das vezes são claras e pouco amargas o que facilita a identificação de problemas, não desista, capriche na sanitização e fique bastante atento á brassagem e às densidades que deseja, não se paute pelos dias, se levar 20 dias pra chegar na FG e estabilizar que leve, o importante é finalizar o processo adequadamente.
    Sugiro que você experimente o S-23, desse posso falar por experiências próprias e afirmar que o resultado é muito bom, contudo a espera é bem maior que nas Ales, prepare-se, tenha paciência e terá uma ótima lager.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  66. Breda, obrigado pela resposta...

    Vamos a alguns detalhes da brassagem:

    Nas minhas medições:
    OG 1.050
    FG 1.012

    A receita foi a mais simples possivel para vinte litros de cerveja:

    Na Brassagem utilizei 5Kg de Malte pilsen
    65Cº por uma hora e vinte minutos
    78Cº por 15 min...

    Fervura por uma hora com os ingredientes na seguinte ordem:
    60min - 10g "Hallertau Tradition com 6.9 de A.Alfa"
    40min - 7g "Hallertau Tradition com 6.9 de A.Alfa"
    20min - 7g "Hallertau Tradition com 6.9 de A.Alfa"
    15min - 1 pastilha de whirflock
    IBU final aproximado de 18.2

    Agora cheguei aonde eu acho que está boa parte do cheiro e sabor forte da cerveja:
    O Hallertau Tradition para as três etapas.

    No intuito de tentar descobrir o que está acontecendo com a minha cerveja, pesquisei sobre o Hallertau T. e vi outras pessoas reclamando de sabores e aromas fortes.
    Talvez ele até esteja velho, pois não tenho com saber a quanto tempo ele tenha sido embalado antes de chegar às minhas mãos. Comigo já está dois meses na Geladeira.

    Na verdade acredito que fiz um uso de forma inadequada deste lúpulo nesta brassagem, pois nas minhas ALE eu utilizo o Cascade e o Hallertau T. e acho-as excelentes.

    Mas nas próximas levas vou procurar algum que seja mais neutro para o amargor, utilizar talvez o Hallertau para o sabor, e talvez um Saaz para o aroma.
    Se tiver alguma dica, por-favor, será bem vinda.

    Quanto ao fermento, assim como você disse, também acredito que tenha a sua culpa pela baixa floculação, deixando a cerveja com cheiro e gosto de fermento.
    Uma opção que resolveria esse problema seria o uso de isinglass?

    Sobre a fermentação vou ter mais cuidado, pois o fato de estar dois dias sem movimento no airlock não quer dizer que tenha acabado de fermentar.
    Vou seguir a dica verificar por mais dois dias o FG para ver se estabilizou. Eu não o fazia por medo de autólise.

    Quanto à amostra, sabe como é... depois que foi pro barril, recebeu CO2 e ficou bem geladinha, só reclamaram quando acabou... hehehe...

    O cheiro e sabor que reclamo não é sentido da mesma forma pelas outras pessoas que só bebem as industriais padrão. Eu percebo estes aromas e sabores como desagradáveis talvez porque eu estou acostumado com as minhas ALE´s
    De qualquer forma, esta cerveja mesmo ruim ainda é melhor que as cervas padrões de boteco.

    Voltando aos fermentos, vou tentar conseguir alguns saches de S-23, mas também tenho uma certa curiosidade sobre o w34/70 que também penso em utilizar.
    Tenho dúvidas sobre comprar fermento que será enviado pelo correio, pois ele não vem refrigerado e tenho medo que chegue com poucas cepas viáveis.

    Quanto o meu fornecedor, talvez você até o conheça, é o Dorval da Masterbrau - Joinville SC (http://www.masterbrau.com.br).
    Vou passsar no seu email o catálogo de preços dele.

    Finalizando, estou gostando muito do seu manual sobre Barril, que me tirou muitas dúvidas.

    Também gostaria de sugerir para um futuro próximo um post com detalhes sobre a reutilização de fermento, pois principalmente os lagers são muito caro.
    Já li a respeito, a principio até parece fácil, porém não achei muitos detalhes.


    Breda, muito obrigado pela atenção e dedicação as pessoas com dúvidas assim como eu.
    "Ein Prosit der Gemütlichkeit!!!"

    ResponderExcluir
  67. Velho, de lúpulo para pilsen eu usaria somente o saaz, embora gaste um pouco mais.
    Você pode utilizar o Isinglass ou gelatina, mas eu sugiro que vc faça uma decantação a frio bem feita em duas etapas, após terminar sua fermentação desça a temperatura para 0-2°C por 3 dias e remova o fermento ou trasfegue sua cerveja para outro tanque. Faça sua maturação de 3 ou 4 semana a 2°C e verifique se há necessidade de trasfegar novamente, pois provavelmente terá mais decantação. Por fim, mais uma semana a 6°C e depois envase.
    A decantação será ótima, sem qualquer aditivo.
    Cara, compro fermento da WE por correio direto e nunca tive problemas, fica tranquilo.
    Prepararei um bom material sobre fermento, mas esse assunto requer muito estudo, caso contrário fica como muita coisa que vc já viu por aí, blablabla e nada de concreto.
    Depois que fizer a Pilsener com saaz e S23 me diga o resultado. Tente seguir o processo de decantação como lhe falei.
    Se precisar de uma receita, me avise.
    Forte abraço.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  68. Boa tarde Marcelo,
    Sexta feira passada estive com seu Pai saboreando uma bela breja... e asanhou a vontade de fazer a minha propia breja gostaria q vc me desse as dicas de onde comprar os eqipamentos quero uma coisa simples para consumo proprio.
    Carlão botucatu

    ResponderExcluir
  69. Como vai Carlão?
    Bom saber que apreciou nossas cervejas, fico satisfeito em receber esse importante feedback de pessoas que conhecem e gostam da boa bebida.
    Sobre os equipamentos, podemos montar um kit completo para você bem mais em conta do que os que encontrará por aí na Internet.
    Me diga qual a quantidade que deseja produzir.
    Adquirindo um kit completo da B&R você ter[a um curso prático conosco e eu mesmo lhe acompanharei em sua primeira brassagem para que não haja nenhum problema com sua leva inaugural.
    Aguardo seu contato informando qual a quantidade que deseja produzir para poder montar o custo do equipamento para você.
    Forte abraço.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  70. Bom dia Marcelo.
    Estou pensando em uns 40L
    abraço
    Carlão

    ResponderExcluir
  71. Oi Marcelo,
    tudo bem...
    me da uma ajuda...
    na semana passada fiz uma pale ale, durante os primeiros dias eu acompanhei a fermentação que estava indo bem, a cerveja estava clariando e borbulando. mas no sabado qdo fui passar pra maturação (depois de uma semana de fermentação a 19°) vi que a cerveja tinha amantegado e estava com um cheiro forte de manteiga.
    não sei o que aconteceu, até o 4º dia tudo ia bem.
    O Fermento que eu usei foi o S-04, OG 1044 (densidade no 4° dia 1020) FG esperada 1014
    é possivel salva-la (já retirei o fermento e baixei a temperatura para 12°)?

    ResponderExcluir
  72. Fala mestre tudo bem? se puder ajudar tenho uma dúvida, como calculo a porcentagem do alcool?, fiz varias levas de 25 litros, estou comprando outro calderão e tava afim de fazer 60 litros numa paulada, quanto a receita as quantidades vc poderia me dar uma luz?, pensei em dobrar as quantidades q uso na de 25l, os maltes creio q estejam certos mas no lúpulo é q fiquei na dúvida, grande abraço...
    Paulão Pr

    ResponderExcluir
  73. Tudo bem paulão?
    Você pode estimar o teor alcoólico utilizando duas medidas importantíssimas obtidas durante seu processo: são elas a OG (densidade original) e a FG (densidade final) a primeira medida no mosto resfriado antes da inoculação do fermento e a segunda medida na cerveja após a dacantação das leveduras pós fermentação.
    De posse das duas medições você pode usar uma conta simples para chegar ao teor alcoólico estimado.
    Por exemplo:
    Imagine uma cerveja com uuma OG de 1057 e com uma FG de 1010.
    Calculando teremos:
    ABV=((OG-FG)*0,00131)) => ABV = 6,16%
    Há dois outros tipos de cálculo, mas ese é o mais simples.
    Para responder a questão da proporção preciso que me diga o estilo e s quantidades que utilizou na primeira e na segunda receita, pois normalmente há uma diferença nas quantidades em relaçao ao volume e não são proporcionais. O mesmo se aplica ao lúpulo. Me envie suas receitas para verifiacação.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  74. Valeu mesmo pela dica Breda, quanto a receita para os 20 e poucos litros uso, 18L de água inicial e 15 na lavagem, 5kg de pilsen agromalte, 100gr carahell, 100gr carapils, 100gr viena, 100gr munich II, os lúpulos Halertau Perle (8 aa), 12g durante 60'', Halertau Tradition (6,9aa), 5g durante 15'', 1 sache de Fermento us-05, ja abusando da boa vontade se eu fizer 60L uso 3 saches de us05?
    grande abraço...
    Paulão

    ResponderExcluir
  75. Olá, gostaria de saber se faz o Açúcar invertido para fabricação da cerveja?
    Eu não sei as quantidades corretas de cada ingrediente.
    E se possível a metodologia..
    Desde já obrigada!

    ResponderExcluir
  76. tenho maltose para vender me indique 1 bom comprador aqui em recife por favor tambem tenho bom preço o q vai ser o atrativo do negoçio

    ResponderExcluir
  77. Olá Anônimo, como vai?
    Posso indicar sim, mas primeiramente preciso conhecê-lo e conecer seu produto.
    Me envie um e-mail com seus contatos para mhbreda@hotmail.com colocando no campo assunto HIGH MALTOSE e daremos continuidade nesse assunto.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  78. Tudo bem Breda?
    Vamos fazer nosso segundo lote de 20 L. Pensamos em maturar na própria garrafa. A cerveja será fermentada em blade fermentador próprio. É possível adicionar o primming em cada garrafa (usando seringa esterilizada)? E como fazer para o fermento não entrar junto com o líquido na garrafa. Vamos utilizar aqueles baldes como terneira e filtro mais tubo enchedor..
    Grande Abraço

    ResponderExcluir
  79. Como vai Leandro.
    Desculpe pela demora, provavelmente já deve ter feito o que me perguntou, mas mesmo assim vamos lá para evitar problemas nesta ou na próxima leva.
    Não faça a maturação na própria garrafa, explico, a maturação além de ser um ajuste fino de aromas e sabores na sua cerveja também servirá para que haja uma decantação de partículas e leveduras que ainda estejam em suspensão na sua cerveja. Eu recomendo sempre uma maturação a frio que dependendo do estilo varia de 2 a 6 graus celsius. Se você fizer isso na garrafa terá uma sobreposição de duas fases, quais sejam, a maturação e a fermentação secundária, pois para ter uma carbonatação adequada terá que fazer um priming calculado no seu envase. Ora, se a maturação será feita a frio e a carbonatação (via refermentação na garrafa) depende da atividade da levedura (lembrando que as de alta precisam estar entre 9 e 15 graus celsius e as de baixa entre 15 e 22 graus celsius) você já terá um problema, além deste haverá outro, suas garrafas terão um grande volume de depósito no fundo o que poderá, entre outros fatores, trazer a sua bebida uma cor inadequada, sabores e aromas desagradáveis e, sobretudo, uma carbonatação e presão excessivas que aumentam o risco de explosão das garrafas.
    Em resumo, faça a maturação no seu balde retirando o fermento ao máximo e deixando a cerveja a temperaturas entre 2 e 6 graus celsius por pelo menos 10 dias. Envase depois desse período em suas garrafas utilizando o processo de priming e sem medo de fazer a adição do açúcar invertido com uma seringa sanitizada.
    Se tiver dúvidas acesse aqui mesmo no Blog a postagem "Desmistificando o medo do Priming" e leia as postagens do processo de produção de cerveja de 0 a 7 que estão logo abaixo do logo principal.
    Se ainda tiver dúvidas, entre em contato.
    Boas cervejas.
    Saúde!!!
    Abs.,
    Breda

    ResponderExcluir
  80. Breda,
    Adquiri um aerador que segundo o fabricante, sua capacidade é de 1,5 litros/minuto. Quanto tempo é necessario para aerar 50 lts de mosto?
    Quais os momentos para medição das densidades (OG e FG)?

    LUIZ ALBERTO

    ResponderExcluir
  81. Olá Luiz, como vai?
    Segundo seu fabricante de equipamento você teria que aerar seu mosto por 75 minutos o que realmente inviabilizaria seu líquido trazendo mais prejuízos do que benefícios a sua cerveja.
    A boa aeração não se mede por tempo, mas por gramas de O2 solubilizadas no mosto, por exemplo, algumas pessoas injetam oxigênio puro no mosto a 0,5kgf/cm2 por 30 seg em 20 litros dizendo que é suficiente. Outros dizem que não é necessário aerar, pois o fermento liofilizado (de sachet) já teria o O2 necessário para sua reprodução adequada, enfim, teorias são muitas.
    Eu particularmente aero por no máximo 05 (cinco) minutos cada fermentador de 20 litros e faço a inoculação. Bunca tivemos problemas de fermentação incompleta ou lenta ou ainda ineficiente, mas certamente não oxidamos o mosto o que com 75 minutos de aeração, caso você siga a instrução desse fabricante, tem uma grandiosa possibilidade de ocorrer.
    Sobre OG e FG, você pode medí-las quando quiser para acompanhar seu processo de brassagem (OG) e de fermentação (FG), mas deve considerar para efeito de cálculo o seguinte:
    OG - Densidade Inicial - última leitura do mosto após o resfriamento antes da inoculação do fermento - efetuar a leitura com o mosto a 20 graus Celsius;
    FG - Densidade Final - efetuar a leitura durante a fermrntação e considerar a FG como sendo a última leitura após a estabilização da densidade, ou seja, quando tiver certeza de que sua fermentação acabou.
    Espero ter auxiliado.
    Fique à vontade para enviar suas dúvidas.
    Forte abraço.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  82. Boa tarde, Breda! Td certo?

    Fiz minha primeira leva de pilsen no sábado, hoje é quarta, a densidade original foi de 1.045, medi a densidade ontem e hoje, quarta, a densidade esta em 1.024 tanto ontem quanto hoje, será que parou de fermentar?

    Obrigado!

    Abraços

    ResponderExcluir
  83. Como vai anonimo, tudo bem?
    Vamos com calma, não é bem assim. essa FG de 1.024 é a leitura do densímetro ou você já corrigiu? Se foi corrigida me parece um pouco alta.
    Primeiro preciso saber que fermento você utilizou, pois as cepas de baixa fermentação são um pouco lentas e essa referência de estabilização da FG no caso de lagers precisa ser de pelo menos 72 horas.
    Fora isso preciso saber a que temperatura você está fermentando e qual era seu objetivo de FG.
    Por fim, preciso que me diga, se tiver anotado, como foi a sua brassagem em termos de tempos e temperaturas.
    Embora realmente possa ter terminado sua fermentação, preciso desses dados para dar uma opinião que possa lhe ser útil, mas de qualquer maneira ficam as dicas de como monitorar suas fermentaçōes, OG e FG são o "mínimo do mínimo.".
    Aguardo os detalhes.
    Obrigado por enviar sua dúvida.
    Saúde!!!
    Abs.,
    Breda

    ResponderExcluir
  84. Boa noite, Breda!

    Nao tinha feito a a conversão! Agora corrigi, e a densidade deu 1.012

    Estava fermentando em temperatura ambiente, na media de 24 graus.

    Como foicinho primeira leva fiz a brasagem sem as rampas, ou seja, 68 por 80 minutos, depois 76 graus por 5 minutos

    Brigado pelas dicas, muito bom o seu blog!

    Abs

    ResponderExcluir
  85. Boa tarde, Breda

    Tentou outra duvida, agora em relação ao priming.

    Todo dia devo emborcar as garrafas de 3 a 4 vezes pela manha e pel noite? E a garrafa com o manômetro, faço a mesm coisa?

    Hoje, sábado, é o terceiro dia que esta completando na garrafa. A pressão aferida no manômetro é de 1 bar, será que esta muito rápido? Pois cheguei a ler que o tempo médio do priming é de 10 dias. Devo abrir uma, ou devo esperar que a pressão chegue a pelo menos 2bar para abrir uma para testar?

    Abraço

    ResponderExcluir
  86. Breda..Primeiramente obrigado pela dica da aeração e medição da densidade.Muito oportuna.
    2)Fiz uma brassagem no dia 23/dez e esqueci de finalizá-la com 5 min. a 75°C. Vai me dar algum problema?
    3)Resfriei o mosto a aprox. 20°C, preparei a levedura ( 02 saches 11,5g de fermento S04) de acordo com as instruções do fabricante)e adicionei ao balde de fermentação , tudo isso no dia 23/dez, às 5:00 horas. O balde de fermentação é uma bombona de 50 litros (recipiente de azeitona) devidamente lavado e esterilizado.Até o momento (26/dez às 9:00 horas) não vejo sinais de borbulha no airlock.Pergunto: o está ocorrendo? Não está havendo fermentação? Que devo fazer? Caso esteja escapando CO2 pela tampa pelo fato de não estar ermeticamente fechado, posso abrir o fermentador e colocar um plastico fino esterilizado para auxiliar na vedação?

    Antecipadamente, agradeço

    LUIZ ALBERTO

    ResponderExcluir
  87. Olá Luiz como vai?
    Desculpe pela demora, mas o final de ano está uma loucura, mas para obter conhecimento nunca é tarde.
    Considerando que realmente a bombona está livre de qualquer contaminante ou substância prejudicial ao fermento, o fato de não haver bolhas no airlock não quer dizer que não está fermentando, como você mesmo colocou, pode haver vazamento na tampa do fermentador e o CO2 escolherá sair por lá ao invés de empurrar a água do airlock, é a lei do mínimo esforço, contudo a fermentação pode estar ocorrendo normalmente.
    Sobre o plástico, filme de PVC transparente, você pode colocálo por fora do fermentador auxiliando na vedação da tampa, contudo isso não impedirá a passagem do CO2, pois ele não criará um feixo hermético, porém poderá aumentar a resistência da passagem levando o CO2 a escolher o caminho do airlock.
    O que não oriento você a fazer é abrir o fermentador e colocar o plástico na região da rosca, ou do encaixe da tampa da bombona, pois isso pode trazer riscos de contaminação à sua cerveja.
    Você ainda tem como verificarse a fermentação está ativa pela percepção do aroma de CO2 como subproduto da fermentação alcoólica nas proximidades do fermentador, pois ele está escapando por algum lugar e será facilmente percebido. Enquanto você sentir esses aromas com certa intensidade saberá que a fermentação está ativa, a preocupação fica por conta de que se há um ponto de escape de gás haverá um ponto de entrada de ar quando o fluxo de CO2 baixar, ou seja, você terá uma entrada de contaminação possível e precisa ficar atento para não ter problemas com sua cerveja no final da fermentação.
    No mais, verifique as vedações da tampa da bombona e do orifício onde você conecta seu airlock antes da próxima fermentação.
    Boa sorte e boas cervejas.
    Um 2012 de realizações!
    Saúde!!!
    Abs.,
    Breda

    ResponderExcluir
  88. olá breda,

    em primeiro lugar, gostaria de ter agradecer pela sua paciência e colaboração com nós méros iniciantes nessa arte alquímica de tentar fazer cerveja.

    em novembro próximo fiz a minha primeira cerveja, e quis começar com uma de trigo.
    mas acho que pequei na hora do priming.
    algumas garrafas, ficaram sem gás outras, com gás de mais e algumas doces e com bastante gás.
    você me sujere continuar misturando o açucar no maturador ou colocar com a seringa na garrafa.

    obrigado.

    robson alexander.

    ResponderExcluir
  89. Hey amigo. Estou fazendo a minha primeira leva, e lá ppro dia 12 vou envasar. Ocorre que eu ganhei de uma amigo um barril de aço inox de 30 litros, como posso utilizá-la para guardar minha cerva. Eu não tenho a minima ideia, de abrir, sanitizar e outros. Se eu fosse engarrafar eu iria usar o priming, no caso de guardar no barril eu também posso usar? Se puder me ajudar agradeço. Obrigado.

    ResponderExcluir
  90. Olá, gostaria de saber se você tem pra vender uma máquina de colocar tampinhas e por quanto sairia, com o frete para 52061540. Qual o modelo mais adequado a um iniciante, em termo de custos x beneficios?

    Obrigado,
    Mário

    ResponderExcluir
  91. Como vai Mário.
    Obrigado pelo contato.
    A melhor opção em termos de acesso para compra e custo x benefício é realmente a tradicional rolhadeira de alavanca. Ela custa R$ 50,00 mais o frete. Nesse caso aconselho você a adquirir da Turma ou da WE, pois vendemos o equipamento somente nos Kits completos devido ao custo do transporte.
    Um forte abraço e continue acessando nosso Blog.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  92. Olá Robson.
    Sobre o priming no balde ou nas garrafas o importante é a homogeneidade da leva. Se por exemplo você deixar muito depósito em garrafas do final e as do início estiverem bem "limpas", mesmo que o priming seja feito exatamente igual em todas as garrafas, a carbonatação será diferente, principalmente nas cervejas de trigo, portanto, certifique-se de que a leva toda esteja homogênea antes de misturar o priming, assim suas garrafas se comportarão todas da mesma forma e, colocando o açúcar no balde ou garrafa a garrafa, terá um bom resultado.
    Boas cervejas.
    Saúde!!!
    Abs.,
    Breda

    ResponderExcluir
  93. Amigo!!!

    Acompanho seu trabalho e comentários, sou da serra gaucha, então vou lhe pedir uma ajuda:

    Produzimos cerveja por aqui a alguns meses e acaba ficando um residuo no fundo da garrafa, agente faz todas as filtragens anteriores durante a produção, residuos esses não visiveis no envase, tem como filtrar isso sem ser em terras de.... ou equipamentos carros...???

    Vc não poderia nos enviar uma boa receita de pilsen e ale (hoje produzimos lotes de 20 l, mas a idéia é produzir lotes de 80 l depois que acertarmos bem a ceva), pois estamos fazendo e esta ficando um aroma muito forte de "pão"..


    Vou detalhar o processo que utilizamos:

    1 - após a mosturação utilizamos uma panela para filtração/clarificação do mosto com bazooca. Efetuamos a clarificação até que o líquido esteja bem cristalino. O processo de filtração demora um pouco pois controlamos a vazão para que não sejam arrastadas partículas de malte móido ou volte a provocar uma turbidez no mosto;
    2 - depois da fervura provocamos um redemoínho no mosto fervido (whirpool) para forçar a decantação de todos os resíduos no centro da panela e aguardamos um tempo. Além disso, transferimos esse mosto para o balde fermentador através de um sifão com o objetivo de não arrastar nenhuma partícula de resíduo para o mesmo (mesmo que a nossa panela possua uma válvula/torneira);
    3 - No caso da cerveja estilo ALE, utilizamos o fermento S-04 (01 sachet de 11,5g para 20 L de mosto). Fermentamos durante um perído de 4 a 7 dias (controlado através da densidade do mosto) a temperaturas entre 19 e 24ºC. Após a fermentação transferimos para outro balde APENAS para facilitar a dissolução do açúcar do priming para que todas as garrafas fiquem com a mesma quantidade. Para o priming utilizamos 8g de açúcar por Litro (fazendo a calda de açúcar invertido). Engarrafamos e maturamos à mesma temperatura acima até que a garrafa piloto indique a pressão entre 2,3 a 2,5 bar (utilizamos um manômetro). Esse tempo gira em torno de 10 a 15 dias, dependendo da temperatura ambiente e é onde ocorre a formação de resíduo no fundo das garrafas (equivalenta a uma segunda fermentação). Em seguida, colocamos as garrafas na geladeira (a temperatura entre 5 e 8ºC).
    4 - No caso da cerveja estilo LAGER, utilizamos o fermento S-23 (dois sachets de 11,5g para 20 L de mosto). Fermentamos durante um período de 7 dias à temperatura de 10 - 14 ºC em geladeira com controlador de temperatura. Transferimos para um balde de maturação que fica em geladeira à temperatura de 0 a 3ºC, e estamos aguardando completar 21 dias para engarrafar. Nossa intenção é fazer o priming da mesma forma que descreví acima.

    Estamos com a intenção de produzir uma cerveja Ale levemente avermelhada. Queria aproveitar e pedir se tu tens alguma receita interessante para essa cerveja (ou uma combinação de maltes). Também gostaria de outras sugestões de leveduras para utilizarmos em nossas cervejas.


    Aguardo e desde ja agradeço

    ResponderExcluir
  94. Como vai Marcos? Tudo bem?
    Obrigado pelo comentário e pelos elogios, continue prestigiando nosso blog.
    Vamos lá, sua cerveja fica com esse depósito no fundo da garrafa por causa do priming.
    Você utiliza a refermentação no interior da garrafa como forma de carbonatação da sua cerveja, por isso o depósito.
    Por mais que você se esforce em tornar sua cerveja límpida e cristalina antes do envase, como fará o priming, terá depósito no fundo das garrafas, pois está adicionando um fermentecível para que a levedura volte a "comer" e gere o CO2 para carbonatar sua cerveja e pressurizar sua garrafa. Como nesse processo as leveduras na presença de um mínimo de oxigênio dentro da garrafa se multiplicarão antes de iniciar a refermentação, haverá mais levedura no interior da garrafa e, poteriormente, mais depósito.
    A solução para você é envasar suas garrafas com contra-pressão utilizando, por exemplo, nosso Enchedor de Garrafas, o Green Filler. Nesse processo você não necessita mais adicionar nenhum açúcar à sua cerveja antes do envase, pois sua bebida será engarrafada já carbonatada. Isso deixará suas cervejas muito mais límpidas, em alguns casos sem qualquer depósito, em outro com uma finissima camada que não afetará a beleza de sua cerveja, contudo, é importante frisar que o brilho das cervejas comerciais somente é conseguido através de filtragem que, além de cara, tira grande parte do glamour da bebida.
    Acesse o blog e veja o nosso enchedor Green Filler em ação, tenho certeza que essa solução te deixará bastante satisfeito com a sua cerveja.
    GREEN FILLER: http://brejadobreda.blogspot.com/2011/04/enchedor-b-greenfiller.html
    Para usar o sistema de enchimento você precisa ter pelo menos um barril, válvula extratora, cilindro de CO2 com manômetro e mangueiras.
    Fico à disposiçao para mais esclarecimentos.
    Sobre a receita, me diga quantos litros quer fazer e se tem alguma cerveja que você gosta e que deseja que a sua fique parecida.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  95. Oi Breda.
    Tudo bem?
    Produzi minha primeira cerveja artesanal há um mês aproximadamente. Como todos me avisavam que durante o primming a cerveja poderia estourar, comprei um manômetro para controlar.
    Verifiquei que a pressão estagnou no terceiro dia de primming em 1kgf. Terminado o periodo de primming resolvi pasteurizar o chopp. Durante a pasteurização (70 C) muitas garrafas estouraram e foi praticamente um atentado a todos que estavam em casa. Vidro quebrado, cacos de garrafas por todos os cantos etc.
    Para minha surpresa as poucas cervejas que restaram ficaram aguadas e sem espuma, parecendo água de Rio.
    Qual foi meu erro?
    Obrigada
    Um abraço
    Eliza

    ResponderExcluir
  96. Olá Eliza, como vai? Obrigado pelo contato e por seu comentário. Parabéns por ter iniciado sua produção e vamos passo a passo auxiliá-la a acertar alguns pequenos detalhes de forma que consiga ótimas cervejas nas próximas brassagens, não desista, isso é o mais importante nesse momento. Sobre suas dúvidas, preciso de mais informações para poder auxiliá-la, contudo, considerando somente o que já me escreveu vou lhe fornecer minhas impressões sobre o que possa ter ocorrido. Em primeiro lugar, gostaria de saber quanto usou de fermentecível para o priming (em gramas por litro) e que tipo de fermentecível utilizou (açúcar invertido, high maltose, DME, etc.), pois pelo indicador de pressão que você adquiriu, 1 Kgf em 03 dias não seria pressão suficiente para uma boa carbonatação de sua cerveja. Imagino que você chame de "água de rio" a cerveja estar sem carbonatação e sem espuma adequadas. O procedimento que indico no Blog e resumo aqui para você é sempre colocar algumas garrafas de teste (prefiro as PET de 200 ml para não perder muita cerveja e por suportarem muita pressão) e ir abrindo uma a cada 03 dias para verificar se a carbonatação está OK. Você pode ir acompanhando simultaneamente com um manômetro, mas prefira abrir um teste, pois nem só de pressão vive a boa cerveja. Lembrando que antes de abrir uma amostra você deve resfriá-la para que tenha uma percepção correta da formação de espuma na cerveja gelada. Em geral, se todo seu processo foi correto, por volta do sétimo ou oitavo dia já terá uma carbonatação adequada, mas atenção, isso é um referencial e está diretamente ligado ao seu processo, como foi sua brassagem, sua fermentação, sua maturação, a decantação de sua levedura, seu envase, a quantidade de açúcar utilizada no priming, a sanitização no envase, enfim, todo o processo. Não adianta pensar que sete dias e pronto, tudo estará perfeito se seu processo não foi bem conduzido. Sobre a pasteurização e as explosões, realmente isso é muito perigoso e você não deveria fazer pasteurizações já na sua primeira leva, sugiro que adquira mais experiência na produção da bebida e na obtenção de uma cerveja com carbonatação adequada em todas as suas garrafas. Depois que estiver confortável e segura nessa etapa, comece a pensar se deseja ou não pasteurizar suas cervejas. 90% dos caseiros não fazem pasteurização. O processo não é complexo, mas exige que você já tenha uma certa prática no fabrico da sua cerveja para não correr os riscos que você já correu e presenciou. De qualquer maneira, na minha opinião e pelo pouco que você descreveu, vejo que possam ter ocorrido duas coisas:
    Em primeiro lugar, penso que você pode ter pasteurizado as garrafas sem tê-las resfriado primeiro. Isso causa um grande número de explosões. O correto é gelar as garrafas entre zero e dois graus celsius assim que você decidiu que a carbonatação está do seu gosto. Quando for pasteurizar, você deve iniciar o processo com as garrafas geladas para diminuir a possibilidade de explosões. (ver processo no Blog). Logo, se você colocou as garrafas em temperatura ambiente para pasteurizar com certeza aumentou a incidência de explosões. Em segundo lugar, as garrafas provavelmente não estavam homogêneas no que diz respeito à quantidade de fermento residual (depósito) e/ou quantidade de fermentecível, mas essa suposição dependeria de pelo menos uma verificação das suas garrafas (inclusive as que explodiram), logo fica um pouco difícil para responder se isso ocorreu sem o seu depoimento, mas você pode confirmar. Sua cerveja estava bem limpa ou muito turva? O fermentecível para o priming foi colocado em cada garrafa ou no maturador? Você fez maturação no mesmo tanque de fermentação ou trasfegou da fermentação para outro tanque? Maturou por quanto tempo após retirar o fermento?
    Reforço minha sugestão, repita sua produção mais vezes e quando suas garrafas estiverem carbonatadas somente as refrigere. Quando estiver com bastante prática nessa etapa vamos pasteurizar com segurança, te auxilio com todo o prazer.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  97. Ahh, somente mais um detalhe, nunca se esqueça de tampar a panela durante a pasteurização e prender a tampa para que ela não suba com os impactos de uma eventual explosão, assim os cacos de vidro ficam dentro da panela.
    E utilize sempre um fundo falso para evitar que as garrafas fiquem muito próximas ao fundo da panela que recebe o calor do fogo diretamente.
    Forte abraço.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  98. Boa tarde Mestre Breda!!! Tudo bem??
    Produzimos uma Pilsen nesse final de semana, seguimos todas suas dicas e sua receita...na sequencia te encaminho por email as fotos e aguardamos agora a receita da pale ale...

    Sds

    Marcos Flores

    ResponderExcluir
  99. Bom Dia breda!!Segue uma dúvida:

    Produzimos um lote de German Pilsner de acordo com a tua receita na dia 12/02/2012.

    Seguimos exatamente os passos que tu descreveste, principalmente no que se refere a sanitização e a ativação do fermento.

    Após a fervura e resfriamento o mosto ficou com uma OG de 1,052. Inoculamos o fermento e colocamos em nossa geladeira com temperatura controlada entre 12 – 14ºC.

    Aguardamos 7 dias (até 19/12) e medimos a densidade com o refratômetro. O resultado foi de 1,034. Voltamos a medir a densidade no dia seguinte (20/02) e tinha baixado para 1,029. Aguardamos até o dia 23/02 (11 dias após a produção) e verificamos que a densidade só baixou até 1,028. Hoje e amanhã iremos medir novamente. Porém, nós acreditamos que ela já deveria apresentar valores próximos à FG de 1,012.

    Revisamos e monitoramos a produção e não encontramos divergência ou falhas.

    O que poderia ter acontecido?



    Existem sites que falam em 2 sachets de fermento (23g) S-23, voce nos indicou 1, existe uma regra ou é por mestre cervejeiro mesmo???

    ResponderExcluir
  100. Bom Dia!!

    Mais uma dúvida:

    Sempre ouvimos falar que cervejarias se estalam em determinado local por causa da água, sendo assim existe uma tabela de valores que uma dita agua ideal tenha. tipo dureza de cácio, magnésio, dureza total, sais, cloro etc...Pois temos um poço artesiano e gostariamos de estar utilizando tal agua..Voce tem conhecimento desses padrões???

    desde já agradecemos

    ResponderExcluir
  101. LUIZ ALBERTO DA SILVA8 de abril de 2012 19:36

    Olá Breda. Tudo bem??
    Voce poderia me fornecer a receita de uma IPA para 45 litros,(malte, fermento, lupulos) bem como o processo de fabricação (rampas, fermento, fermentação, maturação, etc.)como voce fez com o Marcos Flores?
    Detalhe: já tenho lupulo SAAZ 2,5% e o NUGGET 11,9%. (poderia utilizá-lo?)

    Antecipadamente agradeço

    LUIZ ALBERTO

    ResponderExcluir
  102. Olá Luiz, como vai?
    Com certeza, posso montar uma receita para você sim.
    No Blog já há uma receita de American IPA, mas para uma litragem maior (100 litros), dê uma olhada na postagem "Quem é vivo sempre aparece" de setembro de 2011.
    Me envie um e-mail para mhbreda@hotmail.com que lhe envio a receita.
    Forte abraço.
    Breda

    ResponderExcluir
  103. boa noite, qual a maneira mais eficaz e eficiente de reduzir a temperatura do mosto?

    ResponderExcluir
  104. Como vai Anônimo?
    Obrigado pelo comentário.
    A maneira mais eficaz é utilizar um trocador de calor, esse trocador de calor pode ser um chiller de imersão, um chiller de contra fluxo, um resfriador de placas ou uma mescla desses dispositivos, basta você escolher o que melhor se adequa a seu uso, espaço e disponibilidade. Como assim? Explico, um chiller de imersão, um de contra fluxo ou um trocador de placas consomem muita água, contudo, se você pode dispor de água em abundância (aproximadamente 200 litros para resfriar adequadamente 60 litros de mosto), OK pode utilizar qualquer um deles que terá o resultado esperado. O chiller de imersão também traz o inconveniente de ficar muito tempo em contato com o mosto, porém, se não for de cobre não há muito problema. O de contra fluxo traz o risco de contaminação se não for bem sanitizado, pois o mosto passará pelo interior do chiller que pode estar contaminado, principalmente se for de cobre, depois de muito tempo de uso. Enfim, várias são as opções, mas voc^precisa avaliar seus benefícios e riscos e fazer sua escolha.
    O melhor dos mundos é ter um trocador de placas desmontável resfriado por um fluxo de água gelada circular, ou seja, a partir de um reservatório que possa ser reutilizado sem disperdiçar a água, mas como nem tudo é perfeito, esse tem a desvantagem do alto custo. Se sua produção for grande, vale a pena.
    Continue enviando suas dúvidas.
    Forte abraço.
    Breda

    ResponderExcluir
  105. Opa breda,

    cara tô com uma dúvida sobre o tubo cifão do barril KEG, se puder ajudar....
    É o seguinte, tô montando um negócio e preciso de uns 30 barris. Consegui num preço muito bom (R$ 120), mas é com válvula cifão padrão G
    e tenho que trocar para padrão S.

    Agora vamos às dúvidas:

    1- A bitola do bocal do barril é tamanho padrão??? se eu comprar a válvula cifão padrão S posso simplesmente trocar as válvulas??
    2- Onde consigo comprar 30 válvulas cifão num bom preço?

    Valeu pela ajuda.

    Alan

    ResponderExcluir
  106. Ola Alan, tudo bem.

    Entao, o que sugiro é que vc adquira extratoras G para utilizar os barris.

    Não sei que tipo de negócio irá abrir, mas se for encher os barris com uma envasadora terá dificuldades, pois os equipamentos vendidos aqui no Brasil sao padrao S, porém se for enche-los manualmente OK, pode usá-los, mas ainda sugiro que mantenha as válvulas originais.

    Porque? A rosca dos dois sistemas, me parece não ser igual, a do G aparenta ser mais curta e com passo diferente, entretanto você pode fazer um teste (eu nunca fiz, pois não tenho barris G), se vc tiver um de cada pode destravar a válvula G e verificar se o sifao S rosqueia perfeitamente na entrada do barril G, caso haja compatibilidade pressurize para ter certeza de que nao há vazamento.

    No link abaixo vc pode verificar como destravar válvulas G: http://www.homebrewtalk.com/f35/type-sankey-keg-183828/ (há um filme no final da página)

    De qualquer maneira eu ainda optaria por adquirir extratoras G pela internet e utilizar as válvulas originais, pois qualquer dano na válvula pode ser fatal quando o barril estiver sob pressão, a decisão é sua.

    Espero ter auxiliado.

    Forte abraço.

    Saúde!!!

    Breda

    ResponderExcluir
  107. Gostaria de saber qual a relação entre açúcar e mel, para fazer o priming com mel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro José, otima pergunta.
      Tanto o mel quanto o açúcar invertido são praticamente 100% fermentecíveis.
      Considere apenas que o mel tem uma certa umidae relativa, ou seja, um percentual de água, o que lhe dá a textura característica. Verifique junto ao seu fornecedor de mel esse percentual.
      Forte abraço.
      Boas cervejas.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  108. Blz Breda?
    Errei no priming de uma leva, ficou sem gás. Posso colocar um pouco mais de priming, agora que já se passou uma semana?

    Obrigado

    Rodrigo

    ResponderExcluir
  109. Como vai Rodrigo?
    Obrigado pelo comentário.
    Sobre sua questão, depende, primeiro preciso saber qual foi o tipo e qual a quantidade de fermentecível você adicionou por garrafa ou por litro de cerveja, preciso também saber qual estilo de cerveja você fez e a que temperatura você manteve suas garrafas durante essa semana.
    Antes de instruir você a abrir todas as garrafas e adicionar mais uma dose de fermentecível vamos analisar se há algo a corrigir no seu processo, depois partimos para uma sugestão de correção.
    Aguardo suas informações, pois são fundamentais para que possa te auxiliar com assertividade.
    Forte abraço.
    Breda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Breda, em primeiro lugar, obrigado pela atenção que vc dá para curiosos como eu. Bom, fiz a leva assim: 5kg Chateau Pilsen 2RS, 2kg Melanoidina 40 e 1kg Chateau Abbey. Saaz e Hallertauer aroma. Fermento Safale S-04.
      Fiz o priming com açúcar demerara.
      Obrigado
      Rodrigo

      Excluir
  110. Boa noite Breda tudo bem? tenho uma dúvida e se não for pedir demais gostaria da sua ajuda: Estou com problemas na consistência da espuma, no primeiro gole ela fica linda logo após ela some e desaparece, estou usando um pouco de carapilss, maturando em torno de 2 semanas, não faço parada proteica, recirculo o mosto antes da lavagem, mas estou perdido, se puder mandar uma dica agradeço, obrigado, seu blog é muito bom, parabéns!
    Marcos Paulo!

    ResponderExcluir
  111. Ok Rodrigo, me diga quantos gramas de açúcar demerara você colocou em cada garrafa de cerveja ou quantos gramas de demerara por litro de cerveja.
    Além disso preciso saber se deixou suas garrafas a temperatura ambiente depois de fazer o priming ou não.
    Abs.,
    Breda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Breda.
      Utilizei 6 gramas de demerara por litro e elas ficaram
      a +ou- 18ºC.
      Obrigado
      Rodrigo

      Excluir
  112. Obrigado por seu comentário Marcos.
    Algumas informaçōes: você disse que não faz protéica, mas me diga pelo menos quais rampas está utilizando ( temperaturas e tempos) pode estar ai o problema, me diga também se está envasando em barril ou garrafas e se está fazendo priming que produto utiliza como fermentecível e a quantidade.
    Por fim, de que cerveja você comenta essa baixa persistência da espuma, um estilo específico ou todas as que você tem feito?
    Aguardo as informaçôes.
    Abs.,
    Breda

    ResponderExcluir
  113. Breda as rampas são: 32º 5m hidratação, 38º 5m diminuição do ph, 40º a 55º 15m hidratação do amido, 55º a 65º 1h beta amilase, 68º a 71º alfa amilase, 79º 10m desativação das enzimas, recirculação do mosto, lavagem do grão em torno de 79º,fervura e lupulagem, estou usando garrafas e fazendo o priming 7 a 8 gr por litro, fermentos us05 e as vezes s04, na verdade não faço estilos, uso 4 ou 5 maltes especiais em torno de 500gr eles e 5,500 de pilsen, para uma receita de 20L, 15 litros água na primaria e 18L na lavagem, e todos as receitas estou enfrentando este problema na consistência da espuma o primeiro copo com espuma e o segundo parece cerveja choca, mesmo que boa para se beber mas sem nada de espuma...Grande Abraço, obrigado pelas Dicas! Marcos Paulo...

    ResponderExcluir
  114. Bom Rodrigo, a temperatura está OK para a levedura que utilizou, porém, como você disse ter utilizado o demerara, se não houver nenhum erro de nomenclatura, aquele açúcar escurinho, quase mascavo, o problema pode realmente ter sido a quantidade.
    Note que o açúcar invertido feito com o tipo cristal ( aquele de pedrinhas) tem praticamente 100% de fermentabilidade enquanto o demerara fica entre 65% e 70%, na melhor das hipóteses você utilizou 4,2g de fermentecíveis por litro de cerveja o que te deixa bem abaixo da média.
    Se sua cerveja atenuou direitinho, ou seja, chegou na FG correta temo que vc tem duas alternativas, uma eh lenta e incerta, qual seja esperar mais 10 dias e ver se realmente ela vai carbonatar, digamos por nao ter atenuado totalmente na primária e somando essa pequena dose de priming que você adicionou; a segunda dará trabalho e pode levar o mesmo tempo, mas se não houve nenhum problema de contaminação é certeza de que irá carbonatar, cabe a você a decisão, mas não há problema em abrir as garrafas adicionar mais fermentecíveis e retampar, cuidado somente com a sanitização das tampinhas e seja rápido no processo.
    Após retampar as garrafas dê uma agitada de leve e deixe nos mesmos 18 graus por mais uns dias. Sugiro abrir uma garrafa de verificação a cada três dias para desta vez nāo ter o problema inverso, supercarbonatacão.
    Mais uma coisinha, eu utilizaria o invertido e somente mais o complemento, ou seja mais 3 gramas por litro.
    Boa sorte.
    Comente aqui qual foi sua decisão e quais foram os resultados.
    Abs.,
    Breda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Breda, vou adicionar e retampar. Te passo o resultado. Outra coisa, vc tem cerveja pronta? Quero comprar.

      Excluir
    2. Opa tenho sim, manda um e-mail para mhbreda@hotmail.com que te passo os detalhes.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  115. Então Marcos, vamos combinar uma coisa, na sua próxima brassagem você vai fazer do meu jeito, senão gostar do resultado dou outra solução paravocê, mas minha convicção em termos de proceso é que você está sim matando suapersistência de espuma num protéico semperceber.
    Faça o mash indiretamente a 55 graus, deixedelado essas hidrataçōes e amido, o pH do seumosto no final da brassagem é o que realmente importa, seestiver entre 5.2 e 5.6 ok, não se preocupe.
    Voltando, mash in a 55, não deixe mais de 20 minutos em 55, suba para 62 em15 minutos, mantenha por mais 20 suba para 68 em 15, mantenha por 20 minutos, suba para 72 em 10 minutos, mantenha por 10 minutos, suba para 78 em10 minutos e faça mash out após 10 minutos.
    O restantedo processo mantenha o seu, depois me diga como ficou sua espuma.
    Garanto que, se Não hoiver nenhuma contaminação no seu processo de fermentação, maturação e envase, você terá uma espuma mais cremosa do que as dos melhores chopp tirados em sua região.
    PS- mantenha o carapils nas suas receitas.
    Aguardo seucomentário após sua próxima cerveja, mas não deixe de seguir as rampas à risca.
    Forte abraço e boa sorte.
    Saúde.
    Breda

    ResponderExcluir
  116. Maravilha Breda, esta semana farei um nova brassagem, seguirei as dicas e assim q ficar pronta mando as novidades, obrigado e grande abraço...Marcos Paulo

    ResponderExcluir
  117. Boa Tarde!!! Tudo Bem Breda???

    Tchê, nos seus comentários sobre nossa cerveja, vc salienta que ela esta um pouco palida e com o amargor fraco, teria isso a ver com o fato de nos colocarmos os lupulos dentro de saquinhos ou coadores para evitar maiores residuos na cerveja??? Tem diferença entre colocar solto ou dentro de filtro???

    Saude

    ResponderExcluir
  118. Como vai Marcos?
    Sobre o amargor, em teoria não deveria, pois o amargor está relacionado ao potencial de alpha ácidos do lúpulo e ao tempo de permanëncia na fervura, ambos não se alteram pelo fato de estarem dentro de um sachet desde que este permita o contato com o mosto sem muita diferenciação na temperatura interna, ou seja, se vc fez um saquinho de "voil" que é o mais comum, não deveria causar nenhuma diferença, mas experimente fazer um teste, aumente o tempo de permanëncia do lúpulo na fervura, ou aumente as quantidades ou faça a próxima sem saquinho.

    O amargor é influenciado também pela OG do mosto, em menor intensidade, mas também há interferëncia dela no cálculo de amargor, mas se atenha aos outros pontos (tempo e qtd de alpha acidos) que nao terá problemas.

    No mais, como disse, a cerveja de vocës ficou boa, repeti-la trará melhorias que são detalhes da produção e que por ter sido a primeira vez podem ter escorregado, vocë verá.

    Forte abraço.

    Saúde!!!

    Breda

    ResponderExcluir
  119. Olá,
    Prá se conseguir teror alcoólico da STOUT de 7,5% Vol. , é preciso adicionar açúcar ou é possível só com os maltes?

    Obrigado,

    Freitas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Freitas tudo bem?
      Você consegue esse teor e outros bem maiores somente com os maltes, tudo vai depender da concentração de maltes que utilizar e da relação kg de malte x quantidade de água da sua receita. Logicamente existem limites trazidos pela fermentação, pois as leveduras utilizadas na produção de cerveja em geral não superam os 12% ABV, mas há exceções e processos alternativos como utilizar leveduras comumente utilizadas na produção de vinhos e champagnes que suportam teores alcoólicos mais altos ou até usar processos de destilação a frio.
      Acesse a postagem Cervejas Extremas aqui mesmo no Blog Breja do Breda.
      Boas cervejas.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  120. Antônio Cardoso4 de julho de 2012 18:35

    Recebi o malte moído junto com meu kit, mas só pude fazer a brassagem depois de quase 20 dias. Neste período, deixei dentro do balde de fermentação, tampado, dentro de um saco plástico fechado, a uns 9º graus de temperatura média. Será que ferrei com tudo?

    ResponderExcluir
  121. Olá Antonio, obrigado pelo comentário.
    Rapaz, somente o resultado de sua produção poderá confirmar esse que é um ponto controverso no meio cervejeiro que é a questão de moer o malte em um dia diferente do da brassagem,porém no seu caso me sinto tendencioso a dizer que não é uma coisa a ser repetida.
    Procure moer seu malte no dia da brassagem ou no máximo um dia antes se não tiver muito tempo para fazer tudo em um único dia, mas evite comprar malte moído ou armazená-lo assim por mais de um dia (dois em caos extremos).
    Digo isso pois, mesmo que te vendam que o malte foi moído no dia da venda você nunca saberá ao certo, além disso você tem o transporte e o armazenamento que podem ser prejudiciais isso sem contar a moagem em si que pode não ter sido adequada e o malte que não saberemos ao certo qual tipo (ou quais) estão ali triturados.
    No mais, dizer que ferrou com tudo pode ser exagero, mas nos diga como ficou no final e se não se importar em mandar uma amostra de sua cerveja pronta para minha análise mande um e-mail para mhbreda@hotmail,com que lhe passo meu endereço para remessa.
    Boa sorte e boas cervejas.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  122. Olá Breda,
    O Marcos Flores e eu queremos fazer uma receita de cerveja de trigo clara. Porém, as receitas que encontramos são muito vagas e variam muito a composição de maltes e rampas de temperatura. Gostaria que tu nos fornecesse uma receita que tu já tenhas testado.
    Um Grande Abraço
    Leandro Piffer

    ResponderExcluir
  123. Este blog ééé MUITO BOM! Parabéns pelo empenho amigão. Forte abraço! Curitiba (:

    ResponderExcluir
  124. Obrigado Curitiba, continue nos prstigiando!
    Abs.,
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  125. Boa tarde.

    Breda!! estou fazendo minha primeira cerveja, com extrato de malte. Ja faz 20 hrs. que a coloquei o fermento, porém ainda nem sinal de borbulho. Está correto demora mesmo??? Ou vc acha que aconteceu algo de errado???

    Parabéns pelo blog, já rodei uns 10 e esse e f... Desde já agradeço, abraços.

    ResponderExcluir
  126. Como vai meu caro?
    Bom, primeiro preciso sber se você tem certeza de que seu fermentador temuma boa vedação, pois a falta de bolhas no airlock não quer dizer que não está fermentando, muitas vezes a vedação não está boa e o CO2 esta escapando por outro local. Procure respirar próximo ao fermentador e verificar se o aroma de CO2 característico não é percebido, pois poderá se certificar por essa constatação que há fermentação em andamento. Caso nao haja nenhum aroma de CO2, precisarei de mais informações de como foi seu processo para poder verificar se houve alguma falha que prejudicou a fermentação.
    Além disso precisamos verificar se a levedura estava dentro da validade e foi feito um starter adequado.
    Me diga também qual foi a OG do seu mosto.
    Abs.,
    Breda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela resposta.
      Lacrei o fsrmentador com fita adesiva, quando aperto a tampa o airlock borbulha. Não fiz a medição do OG como e minha primeira tentativa resolvi arriscar, fiz todo o procedimento correto, vilidade dos ingredientes ok. Tirando um poco do mosto ja com 36hr de fermentação, e ele ja tem um leve gosto de cerveja.

      Valeu Breda grande abraço

      Excluir
    2. Muito bom Vicente, melhor assim.
      Procure sempre medir a OG antes de iniciar a fermentação, essa informação é imprescindível para você repetir suas receitas e acompanhar a evolução e o término da fermentação, bem como o atingimento do seu objetivo e o teor alcoólico alcançado.
      Forte abraço e boas cervejas.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  127. Gostaria de fazer uma pergunta. pode me ajudar? eu já faço cerveja a 5 anos, sempre fiz em garrafas. nunca tive problema algum, sempre deu certo, e ficaram excelentes. Agora quero fazer chopp, e gostaria de saber se posso fazer o priming, diretamente no barril keg. farei 30 litros, e tenho 190gr de priming(Açucar ivertido) é possivel que se crie gas dentro do barril? isso funciona? depois irei alugar um equipamento somente para retirar o chopp, utilizar o cilindro de gas somente para empurrar o chopp. Será que dará certo? obrigado e fico no aguardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Kayo, como vai?
      Obrigado pelo comentário.
      Sim, é perfeitamente viável fazer priming no barril e a carbonatação ocorrerá normalmente.
      Quanto a quantidade de invertido, me parece boa, e imagino que seja a proporção que você costuma utilizar, contudo para afirmar que é suficiente preciso saber o estilo de cerveja, se for uma lager está OK.
      Atente somente para o fato de que seu barril terá um volume de depósito no fundo e ao retirar a bebida vc pode ter uma turvação excessiva durante o processo e isso pode desagradar o consumidor.
      Minha sugestão é que já que você irá utilizar barril e CO2 que tente carbonatar a cerveja com CO2 forçado, o resultado será bem melhor e vc não terá a turvação da bebida pelo arraste da levedura que se depositou no fundo do barril.
      Leia aqui no blog as postagens de carbonatação no KEG e boa cerveja.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  128. Estou fazendo chopp, e gostaria de saber se é possivel eu fazer o primming diretamente ao barril keg, criar o gas natural com o açucar invertido(190gr para 30 litros de chopp) isso dará certo? depois utilizarei o cilindro de gas somente para empurrar o chopp na hora de servir.

    ResponderExcluir
  129. Olá Kayo, como vai?
    Obrigado pelo comentário.
    Sim, é perfeitamente viável fazer priming no barril e a carbonatação ocorrerá normalmente.
    Quanto a quantidade de invertido, me parece boa, e imagino que seja a proporção que você costuma utilizar, contudo para afirmar que é suficiente preciso saber o estilo de cerveja, se for uma lager está OK.
    Atente somente para o fato de que seu barril terá um volume de depósito no fundo e ao retirar a bebida vc pode ter uma turvação excessiva durante o processo e isso pode desagradar o consumidor.
    Minha sugestão é que já que você irá utilizar barril e CO2 que tente carbonatar a cerveja com CO2 forçado, o resultado será bem melhor e vc não terá a turvação da bebida pelo arraste da levedura que se depositou no fundo do barril.
    Leia aqui no blog as postagens de carbonatação no KEG e boa cerveja.
    Forte abraço.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  130. Olá Breda!

    Queria saber se o priming para uma Bohemian Pilsener é igual ao de uma Ale. Temperatura, tempo e etc.

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  131. Como vai Charles?
    Obrigado por seu comentário.
    São diferentes sim, o ideal para um bom resultado é seguir o padrão de temperatura da fermentação de acordo com a levedura, logo em se tratando de uma lager a B.Pilsener precisa de uma secundária na garrafa dentro do range de lager, utilize a faixa de 12 a 14 graus para nao ser muito lenta, mas levará mais tempo do que uma Ale sim, pois as leveduras de baixa trabalham pouco mais devagar.
    Verifique se a atenuação de sua fermentação primária foi completa, faça o cálculo de quantidade de priming de acordo com o estilo (ver passo a passo na postagem sobre priming aqui mesmo no Blog) e boa sorte.
    Não deixe de colocar garrafas de 200ml para testes e abri-las a cada 3 dias para observar a evolução de sua carbonatação caso nao tenha um manômetro de garrafas.
    Forte abraço.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Breda!

      Bom...A cerveja ficou muito boa. Fizemos algumas experiências. Em um balde colocamos a levedura 34/70, no outro 2 pacotes de nottingham e nos outros dois um pacote de nottingham. O priming foi feito a 21c, só vi a sua resposta depois que o priming foi feito, a carbonatação ficou ótima porem venho notando em nossas cervejas um gosto forte de levedura. O será que estamos fazendo de errado?

      Obrigado!

      Excluir
    2. Olá Charles, que bom que as cervejas ficaram boas.
      Sobre o gosto de levedura, normalmente se deve ao fato de não ter sido feita uma boa decantação pós-maturação. Você consegue isso deixando a cerveja a zero grau por uns dois dias no maturador e fazendo uma boa trasfega sem deixar que leveduras aparentes (lama) cheguem até a garrafa.
      Outro fator que gera esse problema é o próprio priming, pois há uma geração de lama dentro da garrafa pelo fato de ocorrer uma refermentação. Você pode resolver isso utilizando um enchedor de contra-pressão como o nosso Green Filler e não fazer mais priming.
      Por fim, tente não servir o depósito do fundo da garrafa evitando assim que ele chegue aos copos, isso também diminuirá essa sensação, mas priming é priming e um pouco sempre acabará no copo.
      Além disso, é importante você avaliar se o gosto é mesmo de leveduras ou se pode ter havido alguma contaminação não deteriorante, ou seja, contaminou, mas não estragou, porém o contaminante (microrganismo nesse caso) pode estar dando a impressão de ser o seu fermento, mas pode ser uma levedura selvagem também.
      De longe, sem ver seu processo e sem provar a cerveja é o que consigo inferir.
      Boas cervejas.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  132. Boa Tarde Breda !
    1º parabéns pelo blog, ele é de muito bom gosto .
    Minha duvida é sobre a produção caseira de Hidromel. Fermentei de inicio um galão de 5L, após 15 dias parece que acabou o processo inicial de fermentação e fiquei com algumas dúvidas :

    1 - Eu devo esperar as leveduras mortas decantarem no proprio fermentador, devo por em outro recipiente ( no caso, pensei em outro galão de plástico ) ou deveria engarrafar e aguardar a decantação nas garrafas ?

    2 - Eu utilizei uma proporção de aproximadamente 5g de fermento para litro de mosto, e senti um forte gosto do fermento após a fermentação, devo reduzir a proporção nas proximas tentativas, ou esperar o gosto ficar mais fraco ?

    3 - quais medidas posso tomar para que ele fique claro como o que vc engarrafou e postou as fotos ?

    Desde já, muito obrigado pela disponibilidade e pelas informações cedidas aqui no blog !
    Pedro Lopes

    ResponderExcluir
  133. Olá Pedro.
    Obrigado pelos elogios e continue acessando o Blog.
    Vamos às suas questões:

    1. Você deve forçar a decantação das leveduras, espero que ainda não estejam mortas, pois isso pode trazer sabores desagradáveis para a bebida. Normalmente quando nao há mais alimento elas param de atuar, mas não quer sizer que morreram. Você forçaessa decantação refrigerando o fermentador, de preferência a ZERO grau. Depois de decantado você deve passar o hidromel para outro galão evitando ao máximo que as leveduras se misturem a bebida. Mantenha o galão resfriado por mais alguns dias, pois haverá mais uma pequena decantação. Depois disso você pode engarrafar.

    2. Você pode considerar aredução de levedura para 11,5g para cada 20 litros, ou se quiser ter mais agilidade na fermentação 11,5g para cada 10 litros. Mais do que isso não é necessário e você estará desperdiçando fermento. O sabor acentuado provavelmente se deve ao fato de você ainda não ter decantado as leveduras, ou seja, você provou seu hidromel com muita levedura em suspensão. Faça o processo de decantação primeiro (item 1) e depois prove a bebida novamente. Se o sabor persistir me avise.

    3. O processo de decantação prolongado e a transferência para outro galão livre de leveduras fará com que o líquido fique mais límpido. ^

    Fique a vontade para enviar mais dúvidas.

    Boa sorte e bom hidromel.

    Saúde!!!

    Breda

    ResponderExcluir
  134. ola, vc comentou que para carbonatar o barril keg é necessário ligar o Co2 na pressão desejada até ele parar de assoviar, e repetir por 3 vezes. É necessário chaqualhar o barril para incorporar o co2? ou posso deixar ele quietinho no refrigerador e só ir aplicando o Co2? quanto tempo vai levar para carbonatar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Glelmer, como vai?
      Vamos lá, muita calma nessa hora.
      Sim, você deve regular a pressão desejada e conectar ao barril. A questão de "ouvir" o CO2 adentrando o barril é uma dica para auxiliar, mas o ideal é que você mantenha injeções por períodos homogêneos, normalmente 05 minutos por injeção são suficientes.
      Outra coisa, você deve repetir as injeções 03 ou 04 vezes ao dia por 04 dias, OK, não somente três simples injeções, pois não será suficiente para carbonatar adequadamente sua cerveja.
      Por fim, não se deve chacoalhar os barris. Pode deixá-los quietos no freezer a zero grau para que a incorporação do CO2 ocorra adequadamente.
      Agitar funciona para agilizar, mas tirará de você o conhecimento sobre como deve ser a padronização de sua cerveja em termos de carbonatação, além disso, uma incorporação acelerada geralmente resultará em uma perda de CO2 mais rápida durante o consumo da cerveja.
      Continue acessando o Blog.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  135. obrigado pela sugestão, depois te conto como ficou, minha receita foi uma Amber Ale com 13 brix og e 1,017 fg,. Um grande abraço, Glelmer Ferro

    ResponderExcluir
  136. olá breda!
    Minha dúvida é sobre a fermentação de uma ale.Nas primeiras 18h de fermentação o airlock estava muito ativo, mas foi diminuindo e com 24h já não faz mais nenhuma bolha. A temperatura que consegui manter foi em torno de 25°. O fermento já foi todo para o fundo e agora fiquei preocupado.
    o que eu faço breda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo, como vai?
      Vamos lá, fique calmo, isso não é tão ruim assim.
      Primeiro a temperatura que você manteve sua fermentação foi alta demais, isso acaba acelerando um pouco o processo e dependendo da levedura que utilizou (dentre as Ales algumas são mais "nervosas" do que outras) a fase inicial é bastante rápida e pode durar 24h ou 36h. Isso não quer dizer que a fermentação parou. A vedação no airlock pode não estar 100% e quando o fluxo de CO2 diminui a vazão pode não ser suficiente para empurrar a água do airlock e o CO2 buscará saídas mais fáceis, qualquer fresta é uma melhor opção de escape e você tem a impressão de que não está fermentando.
      Se o volume de mosto versus a quantidade de fermento também foi menor do que 20 litros para 11,5g (01 sachet para 20 litros) a fermentação também pode ter sido mais rápida.
      O fato de a levedura ter se depositado no fundo do fermentador também é normal, haja vista que a prática em grandes tanques de fermentação é iniciar as purgas de levedura após 12 horas do início da fermentação.
      Minha sugestão é que você acompanhe a densidade do mosto fermentado para saber se realmente sua fermentação terminou ou não e procure vedar seu fermentado ao máximo para ter mais acuracidade no processo. Além disso, mantenha sua temperatura de fermentação de Ales no máximo a 22 graus, tentando ficar a 18, pois o range de alta fermentação varia de 15 a 22.
      Boas cervejas.
      Saúde!!!
      Forte abraço.
      Breda

      Excluir
  137. E aí breda, beleza?
    Gostaria de saber se você já utilizou gelatina para a clarificação no maturador. E quando utilizada, será que não interfere no priming? (já que leva parte do fermento suspenso para o fundo do maturador)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Dionísio?
      Obrigado pelo comentário.
      Essa questão é muito importante.
      Nunca utilizeipor não ser partidário da técnica de adição de nenhum produto para clarificação da cerveja, utilizo, leciono e recomendo fortemente a maturação a frio (laggering) para decantação do máximo possível de substâncias em suspensão, mas naturalmente. O risco de contaminação aquié muito grande pelo pouco benefício que você terá com esse produto em relação a uma bos decantação.
      Mas, respondendo a questão sobre interferir no priming, acho pouco provável, pois você somente removerá as leveduras de forma eficiente para praticamente impedir seu envio para a garrafa se fizer uma filtração muito bem feita e com equipamento adequado (filtro de terra ou filtro prensa), logo, por melhor que fosse sua aplicação de gelatina isso não impedirá de praticar priming, mas pode eventualmente retardar o tempo de carbonatação, assim como uma boa decantação o faz.
      A questão toda é, porque aplicar gelatina ou qalquer clarificante se depois você fará priming e "sujará"novamente sua cerveja?
      Fica minha sugestão, mature a frio, trasfegue sem enviar depósitos e faça um envase com contra-pressão, terá uma cerveja estável, límpida e muito mais próxima do que você desenhou.
      Boas cervejas.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  138. Olá, admiro muiro seu trabalho, sempre quando estou em dúvida sobre algum aspecto para fazer uma nova leva de cerveja eu consulto aqui.
    Gostaria que voce me ajudasse em um problema que estou tendo. Fiz, pela primeira vez, uma Imperial IPA. No entanto, elas já estão engarrafadas há 1 semana e não estão carbonatando. O priming foi feito com as medidas corretas, e a temperatura, dado que moro em Macapá, abaixo da linha do equador, esta sempre em média 28 graus.
    Estou desconfiando que decantei demais o fermento no fermentador primário e este passou em pouca quantidade para o balde para priming e engarrafamento> digo isto porque estou vendo pouco sedimento no fundo das minhas garrafas de IPA. Voce acha que é isso? O que me sugere para corrigir isto? pensei em 2 alternativas: 1- abrir as garrafas e colocar todo conteúdo num balde e adicionar mais um pouco de fermento ou 2- com uma seringa inocular uma quantidade de fermento (quanto???) em cada garrafa.
    Abraços e agradeço a ajuda por antecipação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai João?
      Muito obrigado pelo comentário e fico contente em auxilia-lo.
      Sobre sua pergunta, se sua cerveja está realmente bem límpida a tendência é que a carbonatação por priming leve mesmo um pouco mais de tempo, portanto uma semana (sete dias) ainda não seria suficiente parauma carbonatação adequada, principalmente se a temperatura está em 28 graus celsius como você informou.
      É importante saber se não há nenehum sinal de carbonatação ou se está pouco carbonatada.
      Se há depósitos nas garrafas houve fermentação, portanto eu não faria nenhuma das duas alternativas sugeridas por você, simplesmente agite todas as garrafas sutilmente de forma a dissolver o depósito e aguarde mais u a semana, preferencialmente mantendo as garrafas a no máximo 22 graus, abra um teste no terceiro dia após a agitação e verifique como está.
      Me avise depoos de abrir o teste.
      Me diga também quantos gramas de fermentecível utilizou para cada litro de cerveja e qual foi o produto.
      Aguardo notícias.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
    2. Ola Breda,

      Gostaria de tirar uma dúvida. Vejo em muitos blogs e foruns informações conflitantes sobre a instalação do controlador de temperatura (o TIC RGTI-17 que quase todos usam) em geladeiras e/ou freezers. Todos dizem que a instalação deste em geladeiras duplex e frost free é mais complexa e muitas vezes não viável, e eu até entendi o por que desta complexidade. A minha dúvida, porém, é quanto ao uso de freezer frost free para o controle da temperatura. Para se posicionar o fermentador dentro do freezer, é necessário fazer a remoção das prateleiras presentes nesse, e isso só é possível nos freezers frost free, dado que um freezer vertical convencional possuí serpentinas aderidas as prateleiras presentes no interior. Sendo então o freezer frost free a única opção por conta do espaço, existe a mesma dificuldade que nas geladeiras frost free? O controlador TIC-RTGI-17 "normal" pode ser usado ou preciso do com função especial de degelo ou algo do tipo?
      Outra dúvida: Penso em utilizar o freezer para poder usar o mesmo equipamento para fazer o controle da temperatura na fermentação e também na maturação, já que o freezer permite alcançar temperaturas menores. Li em alguns lugares que o freezer não é tão bom para controlar a temperatura na etapa de fermentação quanto a geladeira. Existe mesmo essa diferença?

      Abraços e obrigado pela atenção

      Excluir
    3. Ola Vitor, tudo bem? Obrigado pelo contato.
      Cara, honestMente, tirando o problema das serpentinas aderentes o que te impedirá de remover as prateleiras, não há diferença quanto à dificuldade de instalação e operação do termostado, explico, em qualquer dos casos você utilizará a geladeira ou freezer co o está, sem qualquer adaptação elétrica, logo não há que se falar em maior ou menor dificuldade.
      Ao se utilizar um termostato externo, seja o tic, seja o coel ou qualquer outro, você manterá o termostato original da geladeira ou freezer na posição MÁXIMA, e colocará seu trmostato entre a tomada da parede e o plug da geladeira, isso fará com que o termostado externo assuma o co trole, por isso não há diferença entre usar freezer, geladeira, frost free ou qualquer outro equipamento de resfriamento.
      Sobre utilizar o mesmo para fermentar e maturar, sim, claro que vc pode e deve fazer isso para economizar, somente atente para o fato de que só poderá fazer uma cerveja por vez para não ter problemas de temperaturas diferentes em um mesmo momento e não ter dois espaços com controles distintos para atender as duas necessidades.
      Se tiver dúvidas quanqto a forma de ligar seu termostato, me avise.
      Boas cervejas.
      Saúde!!!
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  139. Bala noite, Breda. Seu blog é sensacional.

    Estou começando a fazer cerveja e sempre que tenho duvidos venho aqui fazer uma consulta

    Breda, depois de realizado o priming, quando for atingida a pressao ideal no manômetro, todas as garrafas devem ir para a geladeira? As garrafas devem permanecer na geladeira até serem consumidas ou depois de algum tempo podem ser retiradas?

    Agradeço pela atenção.

    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai meu caro anônimo?
      Obrigado pelo contato.
      Muito boa sua pergunta.
      Quando sua garrafa piloto estiver marcando a pressão ideal você deve gelar todas as garrafas, pois se você fez seu processo adequadamente, todas as suas garrafas estão com a mesma pressão. Depois de geladas elas deverão permanecer geladas a menos que sejam pasteurizadas, ou seja, não adianta gelar e depois retirar da geladeira novamente, pois a fermentação será retomada e suas garrafas poderão explodir.
      Outra dica importante, as garrafas devem ser geladas abaixo de 4 graus celsius, preferencialmente perto de zero, pois acima de 4 graus pode haver fermentação também e mais cedo ou mais tarde suas garrafas podem apresentar problemas.
      Lembrando que uma geladeira comum, aquela da nossa cozinha de casa, normalmente fica a 7 graus se não estiver no máximo.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  140. Caro Breda.

    Eu sou iniciante em fazer cerveja caseira (artesanal).

    Tenho muitas dúvidas e preciso de ajuda.

    Tenho um equipamento que possibilita fazer a mostura com recirculação, tipo 2 panelas em 1 fica fervendo a água com 1 chiller e outra o mosto. este mosto é cozido fazendo um recirculação passando pelo chiller que esta aquecendo na outra panela, sendo assim na tendo contato direto com o fogo.

    MInha dúvida é :

    Tenho que fazer o cozimento na panela com fogo direto e depois transferir pra outra panela e recircular para clarificar ?

    Pois eu até agora só fiz com o processo de recirculação o tempo todo atingindo as rampas de temperatura.

    Desde de já agradeço !!

    Murilo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Murilo, tudo bem?
      Rapaz, se o seu sistema recirculando agua aquece adequada,ente e te permite fazer as rampas de brassagem e a fervura a contento, você tem em casao sonho de muitos cervejeiros que já fazem cerveja a mais tempo que você, portanto a resposta a sua pergunta é NÃO, vc não precisa fazer a brassagem nem a fervura em fogo direto.
      Sobre clarificar em outra panela e depois passar para fervura, ok, mas nenhuma precisa ser fogo direto, o importante é que o aquecimento seja eficaz.
      Me diga, como ficaram suas cervejas até agora utilizando seu processo sem fogo direto?
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  141. Boa noite!
    Gostaria de saber qual fermento ale é o mais neutro, que deixa menos aromas e sabores na cerveja.
    Qual entre o S-04 e o Nottingham? Outra sugestão?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Joca, como vai?
      Obrigado pelo contato.
      Vamos começar pelo fim, o US-05 também é bastante neutro e uma opção para você.
      Agora, além da neutralidade, preciso saber que cerveja você pretende fazer, pois há outros fatores que influenciam na escolha da levedura, além da neutralidade, por ex, floculagem, esterificação, spice, etc..
      Gosto muito do Nottinghan, mas se vc for fazer uma cerveja no estilo americano, por ex, uma American IPA, sugiro o US-05, se for fazer uma Blond Ale, sugiro o S-04, mas se for fazer um estilo Inglês, o Nottinghan será imbatível.
      Boa escolha.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  142. Bom dia Breda,
    O que pode acontecer se eu fizer o primming e deixar as garrafas fora da geladeira até quando a cerveja for consumida?
    Elas foram engarrafadas há 17 dias e estão com a carbonatação ideal.
    Será que faz mal deixar mais uns 40 dias fora de geladeira?
    Grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá meu caro Anônimo, como vai?
      O ponto é o seguinte, não deveria haver problema, porém, para termos certeza disso você teria que ter a certeza absoluta de que não há mais nada a ser fermentado no interior da garrafa, em geral oriento as pessoas a gelarem as garrafas (todas) assim que atingirem uma carbonatação ideal, pois não é muito raro os caseiros engarrafarem a cerveja antes dela ter atenuado tudo o que podia, assim, somando-se um possível residual da fermentação primária e o açúcar adicionado no priming, você pode ter mais carbonatação do que deseja ao longo do tempo, isso significa que sua cerveja pode passar do ponto ideal e como estará refermentando a alta temperatura ainda criar aromas e sabores que você não deseja e, o grande problema, ela pode fermentar mais do que você imaginou e gerar uma sobrepressão no interior da garrafa que poderá causar estouros e acidentes graves se a cerveja estiver em local desabrigado (fora de caixas, por exemplo).
      Então minha sugestão sempre será: Se sua cerveja já carbonatou e está no ponto, gele todas as garrafas, assim a manterá no ponto e não correrá riscos.
      Complementando, esse gelar precisa ser abaixo de 4 graus celsius, caso contrário ainda haverá fermentação na garrafa, lenta, mas haverá.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  143. Ola breda.
    Recentemente li o seguinte:
    Outro ponto que o livro ressalta é o real objetivo da maturação que é permitir que o fermento retire da cerveja compostos responsáveis por off flavors como o diacetyl e o acetaldeído e expulsar compostos sulfurosos e não clarear a cerveja pela decantação do fermento e do cold break que ainda possa estar presente.

    Para isso a maturação precisa ser feita a temperatura de fermentação ou pouco acima dela ao contrário do que a maioria faz ao maturar próximo de 0 grau. Somente com o término da maturação, ou fermentação secundária, lá pelo 10o dia que a temperatura pode ser reduzida para acelerar a decantação do fermento. Mas mesmo assim deve-se evitar abaixar de 20 para 2 graus de um dia para o outro, pois fazendo assim o fermento entra em estado de dormência, compromende a carbonatação na garrafa e reduzindo a viabilidade do fermento para o seu reaproveitamento. Deve-se reduzir de 1 a 2 graus por dia e deixar de 0 a 4 graus por cerca de 2 dias.

    Em todas as minhas levas até hoje eu reduzia a temperatura para 2 graus no 7 dia de fermentação e todas elas apresentavam de pouco a muito acetaldeído indicando pouco tempo de maturação. Em minha ultima leva já estou deixando a 22 graus por pelo menos 10 dias para verificar o resultado.


    Oque vc acha disso?. pois sempre li que a maturação deve ser feita em baixa temperatura.

    Adriano/sp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Adriano, como vai?
      Obrigado pelo contato.
      Ótima questão a sua.
      Não sei o livro que está lendo, mas a polêmica sobre fermentação e maturação é muito grande e prefiro não falar em certo e errado, pois afirmar que o acetaldeído de sua cerveja é falta de maturação ou mesmo se o que sua cerveja tem apresentado é acetaldeído demandaria uma análise sensorial para confirmação, contudo, vamos aos procedimentos para que você tenha boas cervejas.
      Primeiro ponto, você fala de 20 graus, portanto entendo que estamos falando de cervejas de alta fermentação, OK.
      Supondo que você fermentou sua Ale a 20 graus e constatou que sua fermentação primária já finalizou e deve iniciar a maturação é correto afirmar que você não "Precisa" baixar a temperatura para 2 graus, porém não é coreto dizer que você não "Pode" fazer isso, contudo, é ideal que seja feita uma maturação com a levedura ativa o que ocorrerá somente acima de 4 graus celsius. Baixar a temperatura 2 graus a cada 24 horas não tem nenhuma base científica e me parece simplesmente uma tese dentre outras muitas. Minha orientação é maturar a cerveja a uma temperatura de 20% a 30% abaixo da faixa mínima de trabalho ideal da levedura que você estiver utilizando (falo aqui tanto para lager quanto para ale), ou seja, no seu caso, o bottom line das ales é 15 graus celsius, logo uma boa maturação ocorrerá a 10 graus, sem problemas. Isso causa uma lentidão no metabolismo da levedura e gera uma fermentação fina além de fazer com que leveduras mais fracas decantem. Feito isso por um tempo que você definirá com a prática e que dependerá do estilo de cerveja, pois 10 dias também é uma simples referência, você deverá baixar a temperatura para 0 a 2 graus, dai sim de forma a inativar todas (ou praticamente todas) as leveduras e provocar uma boa decantação para tornar sua cerveja límpida. Esse processo deve durar de 48 a 72 horas (mas depende da sua prática e do tipo de cerveja, pode variar mais) e é chamado de Lagering. Vão dizer também que não se faz lagering pra ales, por exemplo, mas quem não tem filtro pode lançae mão dessa técnica, que é utilizada na produção de lagers, para deixar sua cerveja mais límpida. Eu utilizo em todas e os resultados são fantásticos.
      Fazendo esse processo certamente você terá uma ótima cerveja, desde que as fases anteriores tenham sido adequadamente executadas.
      O que mais me chama a atenção nessa sua leitura, e gostaria que você me enviasse a referência para que eu pudesse dar uma olhada em detalhes, pois já lí inúmeros livros e ainda não me deparei com tal procedimento, é que a fase de reabsorção de diacetil é o final da fermentação primária onde a recomendação quase que pacífica na literatura é fazer o diacetil rest que consiste na elevação da temperatura nas últimas horas de fermentação, para nós que não temos muito equipamento laboratorial para isso, a sugestão é elevar nos últimos dois dias, contudo você precisa saber que sua fdermentação está acabando, ou seja, precisa estar acompanhando dia a dia a atenuação. A maturação servirá posteriormente para apurar os bons aromas e sabores da cerveja mais do que remover off flavors ou substâncias indesejáveis.
      Esse é meu parecer, faça agora seus testes, encontre sua melhor forma de trabalho e produza suas melhores cervejas, divulgue e compartilhe seus resultados e sempre lembrando que há muitas formas de se fazer e várias delas estão certas.
      Aqui mesmo você encontrará sugestões de maturação a frio e garanto, para os iniciantes, principalmente, que não podem ter uma temperatura controlada e fermentam em temperatura ambiente, uma maturação a temperatura de fermentação será mortal para a cerveja e baixar dois graus por dia na maturação será um devaneio.
      Forte abraço.
      Boas cervejas.
      Continue enviando suas dúvidas para o Blog. Realmente são ótimas questões que geram esclarecimento a um maior número de pessoas.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  144. Ola breda.
    Muito obrigado pelos esclarecimentos. li essa materia no site http://rotenfussbier.wordpress.com. sobre do livro Yeast do Chris White.

    Adriano. sp

    ResponderExcluir
  145. Como vai Adriano?
    Darei uma olhada no blog do Linus e o livro do Chris, eu tenho, vou procurar essa parte.
    Forte abraço e boas cervejas.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  146. Ola Breda , primeiramente parabéns pelo blog , muito bom! grande conteúdo e muita informação agradeço des de já.
    Mas gostaria de tirar algumas duvidas, duvidas de um leigo no assunto mas que tem grande curiosidade em aprender ... já tive a oportunidade de fazer minha cerveja graças a internet que nos disponibiliza grande material e graças as pessoas como vc que compartilham os conhecimentos ... mas tenho uma duvida sobre o embarrilamento , envase da cerveja no barril de chopp convencional sem ser o post mix ... muito vejo em vídeos sobre a carbonatação dentro do barril , sendo feito com o recurso do cilindro de co2 .. existe alguma forma de se fazer o embarrilamento sem ter o cilindro de co2 ... minha duvida é porque .. eu tenho acesso a um barril e tenho a bomba extratora manual e serpentina .. minha intenção era ao invés de engarrafar minha cerveja e pasteuriza La era embarrilar , porem não tenho cilindro mas também não entende o motivo pelo qual é preciso ser feito essa carbonatação dentro do barril através do cilindro... eu não poderia ao final do processo de maturação da minha cerveja fazer o priming de acordo com a quantidade de cerveja e fazer o envase direto no barril ? sem essa carbonatação forçada .. ou talvez utilizando um outro processo mais fácil que não utilize o cilindro de co2 ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo, obrigado pelo comentário.
      Uma ótima dúvida e fico muito contente, pois tenho observado que nós brasileiros estamos evoluindo rapidamente no conhecimento sobre a cerveja artesanal, além disso a cada questão que esclareço sinto como se uma aula atinja muitos outros leitores e os aumente o xonhecimento, portanto, muito obrigado por colaborar, você e todos os meus amigos leitores.
      Sobre sua questão, sim, você pode fazer o priming no barril notrmalmente, como faria nas garrafas, calculando o volume de açúcar por litro e deixando a temperatura correta por tempo suficiente para a carbonatação adequada, sem problema nanhum, depois basta conectar sua torneira e extratora e beber sua cerveja.
      A questão aqui é a seguinte, como você não tem o cilindro de CO2 deverá observar alguns cuidados para não estragar sua cerveja toda no barril antes de estar pronta, explico:
      1. Como ela estará a temperatura de fermentação carbonatando, é interessante que você deixe pelo menos umas 3 garrafas de teste para não precisar ficar retirando amostras do barril durante os 10 dias de secu dária, pois a entrada de oxigênio no barril será prejudicial a sua cerveja, logo, abra um teste após o sétimo dia de carbonatação para ver como está e se não estiver ok vá abrindo outra garrafa a cada 3 dias para controle. Quando a garrafa estiver bem carbonatada seu barril também estará e poderá ser refrigerado;
      2. Após o termino da carbonatação você deverá gelar o barril e mantê-lo refrigerado, logo, pense nisso, se você tem eaço para mantê-lo na geladeira;
      3. Lembre-se que você ao utilizar uma bomba manual de extração estará injetandomar dentro do barril, istomsignifica que estará inserindo oxigênio que é mortal para a bebida, logo, deverá consumir todo o conteúdo do barril no mesmo dia, caso contrário a cerveka oxidará e vocé poderá perder todo o conteúdo restante do barril. Talvez, com sorte, se mantiver o barril bem gelado o tempo todo, pode durar mais um dia ou dois, mas isso não é uma afirmação é uma inferência. O ideal será consumir todo o baril de uma só vez.
      PortAnto, analise as variáveis e se o barril não for muito grande para see bebido por poucas pessoas, manda ver, caso contrário acho mais viável você adquirir um cilindro de CO2, mesmo que seja somente para a extração, pois você também pode fazer a carbonatação por priming e somente usar o CO2 para extrair, assim um cilindro ira durar muito tempo.
      A pratica de carbonatar com CO2 se deve ao fato de que o priming deixa a cerveja mais turva devido ao deposito gerado pela refermentacao, mas se isso nao for um problema para você faça o priming no barril e extraia com CO2 e se o barril nao for grande ou se pretende sempre bebe-lo todo de uma vez, relaxe e utilize sua bomba manual mesmo, é plenamente viável.
      Continue enviando suas dúvidas.
      Boas cervejas.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  147. Breda olha eu aqui novamente , sou o responsavel por essa pergunta anterior do priming direto no barril, e tenho mais um duvida, porque agora vc me falou sobre um processo que me deixou com uma duvida .. bom vamos la ,vamos dizer que fiz minha cerveja acabei com o processo de fermentação e maturação e agora vou para o priming e o segundo processo de fermentação direto no barril , e depois se tudo der certo e conforme vc me explicou eu verificar a carbonatação dela nas garrafas que vou deixar em separado verificando depois do 7 dia e assim seguindo todo o processo de verificação ela chegou no ponto ideal que queria .. eu tenho que colocar o barril para gelar ou melhor tirar ele da temperatura que favoreça a fermentação .. bom ok ... mas e se caso eu leve esse barril a um baixa temperatura mas depois tenha que fazer um transporte do mesmo e leve para um local aonde não vou ter um local para deixar ele em baixa temperatura deixando ele em temperatura ambiente até a hora de beber , coisa de 2 dias que podem se estender até por uma semana esse barril em temperatura ambiente , porem lembrando que não foi injeto oxigenio dentro dele com a bomba manual que sitei na pergunta anterio , ele esta da mesma maneira que saiu da maturação e entrou para o freezer para sair da temperatura de fermentação não foi feito nada , mas teve que ficar em temperatura ambiente por não ter uma geladeira para acomodar ele no local... sera que com essa exposição a temperatura ambiente pode acontecer de voltar a fermentação dessa cerveja? saindo assim do ponto de carbonatação que estava ou oque pode acontecer? .. e caso tenha uma variavel de poder colocar em temperatura ambiente quanto tempo posso mater esse barril em temperatura ambiente, agradeço pela resposta anterior e anciso por essa proxima porque ela ira me ajudar com oq pretendo fazer que é levar um barril da minha cerveja para o interior aonde não vou ter uma geladeira para manter ele em baixa temperatura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, vou responder, mas antes gostaria de saber seu nome, fica melhor a conversa quando sabemos quem está do outro lado.
      Vamos então às suas dúvidas, sim se o barril ficar novamente à temperatura ambiente as leveduras voltarão à atividade e se houver alimento continuarão afermentação alterando as condições daquela cerveja que você conheceu dias antes, além disso a carbonatação aumentará se houver contunuidade da fermentação e sua cerveja pode espumar demais qua do for extraída, fora isso, que serão resultados não "destrutivos" por assim dizer, pode haver problemas piores, pois, suponha que o barril fique, como você disse, uma semana mais fora da geladeira, e não haja mais absolutamente nada, nenhum alimento para as leveduras que ainda vivem na bebida, o que acontecerá então? Pois é, elas começarão a morrer e morrendo pode haver o rompimento das membranas celulares e todo o conteúdo das células mortas será jogado dentro da sua bebida e sua cerveja terá um gosto bem desagradável de fermento e um aroma sulfuroso que com certeza vocé não desejava. Portanto, acho melhor vc levar o barril no maximo 24h antes do evento e mantê-lo no gelo inclusive para decantar o depósito que turvou toda a cerveja durante o transporte.
      Sobre o tepo que pode manter a temperatura ambiente, depois de carbonatado, deveria ser nenhum, mas posso te dar uma idéia, se você tem tanta certeza de que irá deixar o barril uma semana fora da geladeira antes de começar a bebê-lo, porque não deixa para fazer a carbonatação lá? Faça os testes das garrafas para ter certeza de que sua cerveja vai carbonatar, deixe o barril carbonatar somente 3 dias para gerar CO2 suficiente para pressurizá-lo e refrigere-o, acompanhe as garrafas por 7 dias, abra uma, verifique seestá boa, e sigacomo jáexpliquei, se tudo estiver bem você sabe que o barril carbonatará em mais 4,5 ou 6 dias, daíbasta calcular quantos dias terá que deixá-fora da geladeira lá no interior para ter certeza de que ele carbonatará a tempo de ser consumido. Pronto!!!
      Ficam as alternativas, ou garante e deixa ele gelado ou corre um pequeno risco calculado e faz a finalização da carbonatação no local.
      Forte abraço e bom evento.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
    2. Opa Breda , desculpe não ter colocado meu nome me chamo Igor .. confesso que tirar as duvidas como anonimo é muito melhor rs rs, fica sem o peso de estar falando bobagem em demasia, bom tentei publicar essa resposta com um perfil mais não consegui acho que tenho que ter um conta no google, agradeço todas as suas respostas e gosto muito de acompanhar o seu blog .. essa area de duvidas é muito bacana porque vc lendo as duvidas de outros pode esclarecer as nossas proprias duvidas muito bacana .. coisa que falta em outros blogs que vejo pela net , muito conteudo teorico mas sem a troca de informações acaba sendo um blog de visita para os entendidos e coloca a produção de cerveja como um bicho de 7 cabeças com muitos calculos etc e acredito que fugindo muito do objetivo inicial que tem a produção de cerveja artesanal que seria a simplicidade e a predileção de cada um , porque cada um tem um gosto cada um tem um estilo etc.. e a produção de cerveja artesanal traz esse lado de poder seguir e fazer a sua cerveja com o seu estilo e logico erros sempre acontecem é normal mas nada que seja um desastre total mesmo que seja desperdiçada a materia prima ou a cerveja vale pela tentativa e pelo aprendizado.... agora voltando a falar sobre a historia de deixar o barril fora da refrigeração e fazer o priming no local para esperar a carbonatação, então ... isso se é que eu entendi direito apos a primeira fermentação da cerveja eu embarrilar como se estivesse maturando a cerveja sem a adição do açucar para o priming eu posso deixar essa cerveja tranquilamente até uma semana ou mais dentro desse barril a temperatura ambiente sem problema , como se eu estivesse maturando ela ?

      Excluir
    3. Que é isso Igor, dúvidas são dúvidas, bobagem é não perguntar. Olha só, não é bem isso, o que sugeri foi que você deixasse o barril carbonatar uns dias para pegar pressão, ou seja, você já fez o priming, deixou ele 2 ou 3 dias a temperatura ambiente, ele começão a refermentar e gerou CO2 suficiente para não oxidar, mas ainda não carbonatou completamente, OK? Então, como você sabe que irá para o interior e o barril ficará mais uma semana sem refrigeração antes de ser consumido, você interrompe essa secundária que já começou refrigerando o barril, OK? Assim ele ficará pressurizado, mas não carbonatado e quando você o levar para o interior e deixá-lo fora da geladeira novamente as leveduras concluirão o trabalho de refermentação e a cerveja será carbonatada. Assim você não terá excesso de carbonatação em virtude de ter que deixar seu barril mais uma semana a temperatura ambiente, pois não deixou que a secundária fosse completa da primeira vez, ficou claro agora? Deixa a cerveja depois da primária no barril maturando a uma temperatura ambiente e sem carbonatar irá prejudicá-la e muito, diria que até estragá-la.
      Lembre-se porém que a refrigeração do barril precisa ser abaixo de 4 graus, caso contrário a fermentação não será interrompida, ficará mais lenta, mas não será interrompida.
      Espero que tenha ficado mais claro.
      Forte abraço.
      Saúde.
      Breda

      Excluir
  148. olá amigo, tudo bem?
    posso usar uma panela e fazer a passagem do mosto para outro balde para filtra-lo ?? é a minha primeira cerveja e só tenho uma panela. obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Leandro, tudo bem?
      Que legal qie está iniciando e tirando as dúvidas antes. Isso é muito bom e o mais adequado, parabéns.
      Sim, você pode filtrar em um balde Desde que ele seja alimentício, a ressalva fica por conta da temperatura, pois seu mosto estará a 78 graus e a essa temperatura o plástico soltará algum sabor no mosto se não for de material adequado, por isso tenha certeza absoluta de que ele é de material alimentício, ok, caso contrário tente arranjar uma outra panela.
      Forte abraço.
      Boa sorte na sua primeira leva.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
    2. Ola breda,
      Vou fazer minha primeira brassagem e estou com duvida a respeito do acompanhamento de atenuação na fermentação, ia usar o refratrometro, mas li que devido ao alcool, a leitura não sera correta, então teria que usar densimetro,mas isso vai diminuir o volume final de cerveja pois cada medição vai uns 500 ml. esta correto?

      paulo/sp

      Excluir
    3. Olá Paulo, como vai?
      Que bom que vei até aqui, muito do que leu está incorreto, esse é o problema da internet, muita gente quer escrever suas experiências e acaba passando a idéia de que isso é informação, mas nem sempre são corretas, mas vamos as suas respostas.
      De fato o refratômetro precisa de uma correção de leitura quando se tratar de um líquido que tenha álcool na sua composição, a menos que o seu equipamento seja apropriado para leitura de álcool, contudo, não é obrigatório que se utilize um densímetro, você pode simplesmente lançar os valores das leituras em uma planilha excel apropriada e terá seu valor corrigido para álcool, sem qualquer dificuldade, assim poderá utilizar sim o refratômetro comum e não perderá preciosos 250ml (e não 500) a cada leitura com densimetro e proveta, além de nao precisar aguardar um longo tempo para que sua amostra chegue aos 20 graus celsius necessarios para a correta leitura da densidade.
      Sim, sei que vai me perguntar: "mas onde arranjo essa planilha?" acesse o link http://morebeer.com/web_files/morebeer.com/files/THJ%20Refractometer_Beer.xls
      A utilização é muito simples, vocé somente necessitará da sua OG em Brix e de uma tabelinha simples para converter farenheight em celsius, mas isso no excel voce encontra aos montes na internet e no proprio software da microsoft.
      Boas cervejas.
      Saúde!!!
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  149. ola breda.

    Estou começando no mundo da cerveja artesanal e estou estudando bastante.Como a intenção é fazer cerveja não só par mim mas tambem para compartilhar com os amigos, estou preocupado com o amargor da cerveja, pois muita gente acostumada as do mercado, estranhariam um pouco uma cerveja muito amarga.
    Gostaria de um esclarecimento, o amargor tem relação com a quantidade de malte, exemplo, uma cerveja que tem 20 ibu mas tem mais malte. pode ser menos amarga que uma que tem 15 ibus com menos malte ou menos densa, esta certo meu raciocinio?

    Adriano/sp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Adriano? tudo bem?
      Seu raciocínio está correto, vamos apenas melhorar a forma de expressão, mais malte ou mais densa seriam referências ao mosto, mas você quer falar de cerveja pronta, portanto, podemos dizer sim que uma cerveja menos encorpada terá sensorialmente uma perceptibilidade maior de amargor do que uma mais encorpada, além disso, o que se busca na boa cerveja é o equilíbrio, portanto, uma cerveja deve ter a amargor equilibrado ao seu estilo.
      Você está correto sim, por exemplo, uma pilsen nacional tem 13 ibu ou menos, uma german pils tem muito mais, porém você poderá observar sensorialmente que não foi somente o amargor que mudou, outroas propriedades da cerveja acompanham essa alteração. Faça uma degustação comparativa e verificará na prática o que estamos falando.
      Forte abraço.
      Boas cervejas.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  150. Oi eu tenho uma pergunta, a minha fermentação inicia muito forte no primeiro dia, e depois para por causa completa, isso é normal? ja até troquei o fermentador por medo de má vedação..

    ResponderExcluir
  151. Ola breda
    Estou com duvida a respeito da fermentação maturação e lagering de uma blond ale. Estou pensando em fermentar a 18C por 6 dias, depois maturar a 10 C depois baixar proximo de 0 para fazer o lagering. Devo retirar a levedura decantada antes de maturar? e antes do priming?. e por quanto tempo maturo? duvidas e duvidas..

    Sérgio brandão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Sérgio, tudo bem?
      Obrigado pelo contato.
      Rapaz, até parece que você andou
      Endo meu Blog. Está tudo certinho! É isso mesmo, fermentar a 18 graus é uma ótima opçãompara uma Blond Ale, por 6 dias ,OK, lembrando que o tempo em dias é sempre uma referência, pois o melhor mesmo é controlar a densidade e verificar se a atenuação foi completa para começar a maturação, se você tiver como fazer isso será ideal. Maturar a 10 graus também está correto para uma Ale, o tempo de maturação adequado para esse estilo varia de 10 a 15 dias, assim sugiro que você mantenha por 10 dias a10 graus e depois baixe a temperatura para zero. Se voce tiver como ir retirando a levedura decantada no final da fermentação pode faze-lo, contudo, se não tiver, não se preocupe, depois de doos dias a zero grau, faça uma trasfega para outro maturador e deixe mais 5 dias a zero grau, assim terá um período de 17 dias e uma cerveja limpissima, pronta para envase, se for com CO2 ficará um espetáculo de trasparencia.
      Se for fazer priming, não faça os últimos 5 dias de lagering, pois a secundária na garrafa eliminará todo o trabalho realizado, pois turvará novamente sua cerveja.
      Boas cervejas.
      Saúde!!!
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  152. Ola breda.
    Estou desenvolvendo minha primeira cerveja, uma blonde ale e vou usar os seguinte maltes, pilsen,viena e caaramber, estou em duvida nas proporções, pode me dar uma ajuda.Quero uma cerveja não muito amarga 15 ibus. facil de beber. médio a leve corpo.


    ADRIANO SP.
    VALEU.

    ResponderExcluir
  153. Tudo bem Adriano?
    Para uma Blond Ale sugiro não usar o caraamber. Pode usar o viena, mas muito pouco, 20% no máximo.
    iBU, depende de quantos litros você fará e de que lúpulos tem disponíveis, Prefira variedades americanas se puder.
    Forte abraço.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  154. Fala Breda.
    Estou montando uma receita de uma blond ale no beersmith. mas estou com duvida em relação ao bitternes ratio. Quero deixar com pouco amargor por volta dos 15 que esta no limite do estilo. pelo que vi na internet a relação de amargura de uma blond ale é de 0,467. Porque mesmo eu deixando os parametros dentro do estilo como OG DE 1040 E IBU DE 15,8, esta ficando com bitterness ratio de 0,391 ou seja fora da relação. se eu fizer com essa OG E IBU para 20 litros. vai ficar desiquilibrada?

    Adriano. sp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Adriano.
      Cara, não utilizo o BeerSmith, na verdade não utilizo nenhum programa de receitas, tenho minhas tabelas de cálculos próprias, mas entendo que se você tem os parâmetros vitais atingidos na sua receita, sua cerveja não ficará desequilibrada, principalmente porque no caso da Blonde você está bem próximo da linha inferior (1040 e 15,8 IBU), minha opinião é que pode fazer tranquilo, não ficará desequilibrada não.
      Abs.,
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  155. olá amigo, obrigado pela resposta anterior, tenho outras duvidas...rs
    Comprei um Kit Básico Iniciante Blond Ale 20 Litros, e veio acompanhado o kit, Lúpulo Haillertau 8g e fermento 6 gramas, minha duvida é se devo fazer com essa quantidade do lúpulo e fermento para os 20 litros ou diminuir?? e a quantidade de litros d´água que devo usar?? qual o melhor horário para começar a produção ? amanhã vou começar a fazer a minha primeira cerveja.
    Desde já obrigado !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leandro, quem te vendeu esse kit hein?
      8g de lúpulo não será suficiente, pode usar tudo que ainda bai ser pouco, se optar por ter uma cerveja sem aroma nenhum de lupulo coloque tudo no início da fervura, pois se dividir vai ficar sem aroma e sem amargor.
      O fermento preciso saber que tipo é, a maioria dos liofilizados que temos disponível no Brasil é de 11,5g para 20 litros, logo se não for algum especial, é muito pouco também, pode usar tudo.
      O melhor horário pra começar é bem cedo, principalmente se vocé for moer seu malte em um moinho de discos.
      Corte Braço e boa sorte.
      Saúde?,!?,
      Breda

      Excluir
    2. olá, o fermento é Muntons yeast, eu consigo uma boa cerveja com esses ingredientes ?? ou preciso comprar mais Lúpulo e fermento . obrigado

      Excluir
    3. Bom Leandro, você não me disse de onde veio esse kit, não utilizo o Muntons, mas dei uma pesquisada e pelas informações que obtive 6g são indicadas para 10 litros.
      Sugiro que verifique se a embalagem não traz alguma referência de uso para que eu não esteja te dando também uma informação irreal, pois como te disse, não utilizo esse fermento e o que te escrevo é fruto de uma rápida pesquisa.
      O kit não traz mais informações? Por exemplo o potencial de alfa ácidos do seu lúpulo? para fazer um rápido cálculo de amargor?
      Complicado te dizer se a cerveja ficará boa, pois cerveja não depende somente de ingredientes, mais de 70% do negócio está relacionado ao processo e a fermentação tem muita importância nisso tudo.
      Em tese, sua blond ficaria boa com eles, mas um ajuste quantitativo é necesário.
      Veja se tem mais dados no seu kit e na embalagem do fermento para que eu possa te ajudar com mais segurança.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
    4. Tá me sacaneando??? brega não é BREDA com "D", sacanagem hein....hahahahah corrige ae senão a galera vai se confundir meu caro.
      Olha só, para 20 litros com 8g de Magnum com 15% de a.a. em pellete, você terá com 60 minutos de fervura um amargor máximo de 18 a 19%, fica dentro do estilo, mas ficará sem nenhum aroma.
      Se dividir em duas adições já sai do estilo.
      O mínimo ideal seria fazer com 10g, ta próximo, mas faz diferença, 6g a 60min, 2g a 30min e 2g a 5min, para pelo menos ter um arominha, mas eu colocaria 12g, 4 no final.
      Abs.,
      BREDA (não esqueça, é com "D")

      Excluir
    5. Desculpas pelo erro rsrs estava empolgado digitando que nem percebi. Vou começar a moer os grãos
      obrigado pela informação e um forte abraço

      Excluir
  156. Fala Breda.
    Fiz minha primeira brassagem hoje e na hora de inocular o fermento no mosto, esqueci de conferir a temperatura. só lembrei depois. ai verefiquei que o mosto estava a 26,5 c , acima da temperatura das Ales, no caso éra um blond. depois disso coloquei no refrigerador com temperatura controlada pelo tic 17, para fermentar a 18c. sera que terei problemas por ter inoculado a 26,5. e se a fermentação não ocorrer em 24 horas será que posso inocular outro fermento. no caso era o S-04.
    Abs.
    Fabio. sp

    ResponderExcluir
  157. olá Breda, fiz todo o processo no sábado da minha primeira leva, está no balde fermentador só que não estou conseguindo manter a 20°C o que eu posso fazer ?? varia muito entre 25° a 28 ° vc acha disso sera que perdi toda a produção ou posso reverter isso. obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz, nessa temperatura fica perigoso contaminar e com certeza vocë terá esterificação demais, alcoóis superiores, entre outras coisas.
      Tente deixar em um local mais fresco, coloque o balde dentro da panela se couber, por exemplo, e coloque gelo ao redor para baixar a temperatura, isso é uma iséia, mas você precisa analisar o que tem disponível por aí.
      Tente manter o mais baixo possível e perto dos 18, ou pelo menos dentro de 22-24 no máximo.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  158. ola breda.
    Me ajuda ai.Fiz a brassagem de uma blond, com og d 1050. aerei com bomba de aquario por uns 20 minutos, inoculei o fermento s 04. e coloquei pra fermentar a temperatura controlada de 18C. hoje faz 4 dias de fermentação. medi a atenuação ontem e estava em 5 brix ou 1020. hoje medi novamente e não mudou nada. pq sera que atenuou tão pouco. tem problema se ficar assim mesmo?
    Adriano-sp Fiz uma rampa de 20 minutos a 50C E 65C por 60min.
    usei maltes pilsen, viena e caramunich.

    Adriano, sp.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Adriano, tudo bem?
      Muita calma.
      Você está medindo com densímetro ourefratômetro?
      Esses 5 Brix ou 1020 que você tem demedida está obtendo em leitura direta, ou seja, se for com refratômetro, você está simplesmente olhando nele o resultado ou está corrigindo?
      Explico, se você está lendo diretamente os 1020 no refratômetro provavelmente sua fermentação já terminou, pois o valor precisa ser corrigido devido a presença do álcool.
      Estou sem a planilha de correção aqui, pois no iPad ela não roda, mas me diga se está utilizando refratômetro que faço a correção e te digo o quanto está sua FG.
      Você pode obter essa planilha acessando: http://morebeer.com/images/file.php?file_id=1433
      Saúde!!!
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  159. ola breda.
    Usei o refratrometro sim.
    Corrigindo, esta em 1022.

    Valeu pela ajuda.
    Adriano. sp

    ResponderExcluir