CONHEÇA NOSSAS CERVEJAS

Conheça nossas cervejas ............................ Tira dúvidas .. 1 .. 2 .. 3 .................... Adquira seu Equipamento ............................ Fórum

Como usar seu KEG .. 1 .. 2 .. 3 .. 4 .. 5 .. 6 .. 7 ............ Calcule seu Priming ................ Processo Cervejeiro .. 0 .. 1 .. 2 .. 3 .. 4 .. 5 .. 6 .. 7 .. 8

............................ Encomende seus Kits e Copos ............................

domingo, 17 de outubro de 2010

Cervejas Extremas

Quem disse que os extremos são perigosos?

Enfim chegamos ao último estágio de conscientização. Como se diz, o último, mas não menos importante! Se você nos acompanhou e teve a oportunidade de degustar algumas cervejas sugeridas aqui ao longo desse árduo caminho, parabéns! Se conseguiu arrebanhar mais adeptos com você, parabéns em dobro!!

Esse conceito de cerveja extrema embora pareça ser bastante recente, foi utilizado e documentado em Boston no ano de 1994 para descrever a Triple Bock Sam Adams (17,5% ABV – álcool por volume), além disso, há informações de que home-brewers americanos perseguem essas características desde os anos 70, pois esse tipo de cerveja tem nos EUA sua maior popularidade.

As chamadas “Extreme Beer” começaram a tomar corpo mundialmente há pouco tempo, a menos de dois anos atrás a cerveja mais alcoólica do mundo tinha 27% ABV, mas os consumidores queriam mais. Como na sua grande maioria as cervejas possuem entre 4 e 6% ABV (logicamente há ainda várias com 8%, 9%, 10% +) sabemos que esse teor é determinado pelos limites da fermentação tradicional, contudo, utilizando-se de um método chamado de “Freeze Destilled” repetidas vezes podemos conferir à bebida aromas e sabores inimagináveis, além de teores alcoólicos surpreendentes que superam os 40% ABV. Lembrando aos mais afoitos que o método é muito antigo e utilizado nas cidras chamado também de "freeze distillation", "normal freezing" ou "progressive freezing", mas começou a ser utilizado na produção de cervejas recentemente.

Mas o que vem a ser esse processo de “destilação por congelamento”? O termo destilação é aplicado aqui de forma ilustrativa, já que sabemos que a destilação pressupõe o aquecimento da mistura de forma a evaporar e condensar o líquido concentrando seu teor alcoólico devido à separação deste do excesso de água e outros elementos presentes na mistura. Da mesma maneira, quando resfriamos uma mistura a um ponto de quase congelamento podemos separar boa parte da água, em forma de cristais de gelo, dos demais componentes, assim simularemos uma destilação, porém a frio, daí o nome.

Quanto mais se repete a operação, mais “água” se retira da mistura e, por conseguinte, mais a concentramos; Claro, aqui também existirá um limite, mas os entusiastas da cerveja já atingiram os 55% ABV (veja quadro mais à frente). Mais detalhes sobre “freeze destilation” acesse http://wiki.homedistiller.org/Freeze_distillation .

E como uma cerveja pode ser considerada extrema? Somente por ter altíssimos teores alcoólicos? A resposta é NÃO. De acordo com nossos amigos americanos, para que uma cerveja receba este estigma ela precisa se encaixar em pelo menos uma das características abaixo:

* Cervejas produzidas sem lúpulo (acreditem!!), mas com alta concentração de plantas como urze (estorga) ou lavanda (procure por heather flower – essas flores eram utilizadas na Escócia antes do advento do humulus lupulus pela facilidade de encontrá-las naquele país);

* Cervejas envelhecidas em barris de carvalho de Jack Daniels e que tenham teor alcoólico igual ou superior a 20%;

* Estilos tradicionais de Cerveja, mas com o dobro, triplo ou mais de lúpulos ou maltes;

* Cervejas que levam ingredientes como chocolate, manteiga de amendoim (mais americano impossível) ou café em grãos (olha aí, de repente você já fez uma extrema e não sabia) tudo em altas dosagens;

* Strong Porters produzidas com gengibre chinês cristalizado (acho que não precisa ser chinês, certo?);

* Ales elaboradas com ostras e algas (algas até passa, mas com ostras... prefiro as minhas na concha com limão e sal acompanhando uma boa Irish Red Ale B&R, é claro!);

* Cervejas de paladar marcante por terem sido fermentadas com cepas específicas de fermento que foram inoculadas propositalmente em conjunto com algum tipo de bactéria (contaminação intencional).

Retirei fragmentos de vários locais, mas indico a matéria http://www.gizmag.com/worlds-strongest-beers/15256/  como imperdível, apesar de extensa é muito interessante e abrangente. Deste site retirei a incrível imagem a seguir que me poupou desta vez da montagem de um display com cervejas a serem degustadas. Clique nela para ampliar e visualizar os detalhes. A lista abaixo é invejável e pretendo obter algumas delas (ou quem sabe todas) para degustar um dia desses. Destaque para a garrafa da Utopias que é de muito bom gosto, já a da BrewDog... por acaso estão situadas nos dois “extremos” da lista, seria uma reles coincidência?

 
Como podem ver não se trata somente de muito álcool ou muito lúpulo, mas de coisas que na maioria das vezes até tentamos evitar como uma contaminação, porém feitas de forma planejada e controlada. Provavelmente, outras características podem colocar sua cerveja dentro dessa categoria, elenquei aqui condições consideradas pelos americanos, mas temos as nossas também, por exemplo, porque não considerar como extrema uma cerveja com rapadura ou com aipim (conhecem?), talvez com cupuaçu, quem sabe com açaí e até, porque não, com carambola, mas o importante é a concentração desses adjuntos, lembrando somente que extremo é extremo e não meio.

Caros amigos e amiga considerem-se, portanto, iniciados e não parem por aqui, existe um mundo de sabores, aromas e sensações a sua espera, onde? Bem debaixo do seu nariz, ou ainda não perceberam que as cervejas caseiras artesanais não conhecem limites? Ousar é o verbo, criatividade é a palavra.

Nos vemos.

Prosit!!!

3 comentários:

  1. Velho muito esclarecedor...vc está de parabéns, e como sempre vou postar esta materia no meu blog
    ...e quem sabe conseguir com que mais adeptos encontrem a verdade...."QUE A FORÇA ESTEJA COM VOCÊ"
    PROSIT!!!!
    GRANDE CERVEJEIRO link abaixo......
    www.grandecervejeiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado Ricardo, vamos que vamos!!!
    Como ficam os direitos autorais hã??? hehehe
    O importante é a divulgação da cultura!
    Em março de 2011 teremos a B&R Néctar com 20%+ feita no processo Freze Destilled.
    Forte abraço!!
    Prosit!!!

    ResponderExcluir
  3. Cheguei ao fim! ou melhor, ao começo...

    Depois que descobri seu blog, li a FAQ e fiz um comentário por lá, fui no primeiro post e vim lendo do começo para o fim... nao parei e li tudo de uma vez, sao 02h50, e foi uma divertida madrugada.

    Alguem lá no meio disse que parece um livro, e realmente é. Excelente.
    Admira seu desprendimento e generosidade... voce disponibiliza tutoriais, receitas, how-to's, receitas de harmonização, opiniões, e um sem-numero de presentes para nós, os leitores com a clareza, objetividade e simplicidade dos mestres... muito obrigado!
    Parabens pelo seu merecido sucesso. Estou bem perto de Campinas, em Jaguariuna, e na medida do possivel quero ir visitar sua fábrica e parabenizá-los pessoalmente.

    Boa noite!

    Ah... estava animado em fazer cerveja. Agora, com seu kit básico/iniciante e o exemplo de sucesso do seu pai, nao posso esperar para começar.

    ResponderExcluir

Muito obrigado por seu comentário! O Blog "Breja do Breda" é feito pensando em você!